Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, janeiro 15, 2019

Traições e expulsões podem trazer mudanças na bancada do PSDB na ALEPA e fazer Helder perder apoio

Suplentes estão ansiosos pela possível expulsão dos traidores do PSDB que pularam do barco tucano para o de Helder Barbalho.

"As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas". 

Sun Tzu, século IV a.C. 


Por Diógenes Brandão

Segundo 3 advogados consultados pelo blog AS FALAS DA PÓLIS, o Diretório Municipal do PSDB em Ananindeua não tinha competência para expulsar um membro do Diretório Estadual, tal como foi anunciado por alguns blogs, que prestam auxílio voluntário ao governo de Helder Barbalho.  

No entanto, pessoas ligadas ao ex-vereador e deputado estadual eleito e diplomado, Dr. Daniel (PSDB) entraram em contato e disseram que a instância municipal, controlada pelo prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro (PSDB), pode sim expulsá-lo, pelo fato de que Daniel ainda  é vereador e presidente da Câmara Municipal do município. 

Nossos advogados porém contestam a afirmação, dizendo que Dr. Daniel já foi diplomado como deputado e que o Diretório Estadual do PSDB é quem tem a prerrogativa de avaliar se ele ou qualquer outro membro desta instância da estrutura partidária tucana traiu ou não os interesses e programa do partido e assim tomar suas providências, que podem incluir sua expulsão e a perda do mandato, já que conforme já foi abordado por este blog, o art. 22-A da Lei 9.096/95, que foi acrescentado pela Reforma Eleitoral de 2015, especifica os três casos considerados como justa causa para desfiliação partidária sem a perda de mandato.  São eles:    
  1. Mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário;   
  2. Grave discriminação política pessoal e   
  3. Mudança de partido efetuada durante o período de trinta dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para concorrer à eleição, majoritária ou proporcional, ao término do mandato vigente.
Por isso, além do Dr. Daniel, o PSDB pode apreciar o pedido de expulsão de outro deputado tucano que debandou par ao lado adversário: O deputado reeleito Luth Rebelo (PSDB).



O curioso de tudo isso é que diante de tudo que está acontecendo, o deputado eleito que segundo alguns blogs alardearam que havia sido expulso pelo Diretório do PSDB de Ananindeua, em nenhum momento reclamou da sua expulsão e nem se manifestou sobre a as decisões das instâncias de seu partido e segue recolhido e calado nas redes sociais.

Talvez o recolhimento do Dr. Daniel seja pela preocupação em buscar uma saída para a grande ameaça a cadeira que ainda nem sentou: É que deputados estaduais aliados do governador Helder Barbalho continuam a pressionar e disputam a presidência da ALEPA, que segundo blogueiros voluntários, estava prometida ao agora "deputado expulso".  

Para piorar, Dr. Daniel também já sabe que os candidatos do PSDB que também disputaram cadeiras na ALEPA e ficaram como suplentes, também pressionam dirigentes do partido, através de mensagens, telefonemas e encontros reservados, em busca de apoio dos colegas para uma reviravolta nos bastidores do poder legislativo, onde muitos já davam como certo, de que Daniel seria ungido e proclamado presidente da casa. 

A pergunta que circula agora é se for expulso do PSDB pela instância estadual e o partido requerer e ganhar o direito do mandato, quem assume no lugar do Dr. Daniel? Fontes que circulam e interagem com maestria nestes bastidores, sempre mantém o blog atualizado com informações quentíssimas e uma delas acaba de nos dizer que nos dizer que Alexandre Von (PSDB) com seus 30.419 votos e Sancler (PSDB) que obteve 28.247, já não dormem de tanta ansiedade pela reunião do diretório estadual tucano, que pode avaliar o pedido de expulsão dos "traidores" e os suplentes reivindicarem na justiça, junto com o partido, as duas vagas na ALEPA. 

Há quem dizia que tudo sairia do jeito que Manoel Pioneiro e Helder Barbalho planejaram e agora percebem que não será tão fácil assim. Conversas de ambos os lados estão em curso e a disputa, pelo menos agora, é pela maioria no Diretório do PSDB.

PSDB estadual anula expulsão de deputado tucano cotado para presidir a ALEPA

Após ser expulso pelo Diretório Municipal do PSDB, Dr. Daniel teria caminho livre para ser presidente da ALEPA.


Por Diógenes Brandão

O Diretório Estadual do PSDB resolveu agir e anulou a expulsão do vereador e presidente da Câmara Municipal de Ananindeua e deputado estadual eleito e empossado, Dr. Daniel (PSDB).

No documento, a direção estadual tucana lembra que o art. 29 do Estatuto Partidário diz que compete a ele e não ao Diretório Municipal de Ananindeua, remeter ao Conselho de Ética e Disciplina, qualquer infração e violações cometidas por membros do Diretório Estadual, o qual Dr. Daniel integra. 

A decisão pode jogar um balde de água fria nos planos do prefeito de Ananindeua, que controla o Diretório Municipal de Ananindeua e que é o principal padrinho político do ainda tucano Dr. Daniel.

Segundo o documento que acaba de chegar ao blog, a decisão da direção estadual do PSDB determina que o Diretório Municipal apresente documentos que comprovem a tentativa de expulsão, já que a instância superior não foi oficialmente notificada da expulsão, divulgada através de blogs e das redes sociais.

O clima é tenso entre os tucanos após a vitória de Helder Barbalho, que segundo blogs de política, tem feito cooptações de tucanos a fim de enfraquecer o PSDB, principal adversário do MDB no Pará.

Diretório Estadual do PSDB anula expulsão de deputado eleito.
Fontes consultadas pelo blog, dizem que Manoel Pioneiro (PSDB) foi complacente com a estratégia de expulsão do seu amigo e aliado, que apoiou Helder Barbalho (MDB) contra o candidato apoiado pelos tucanos, o Democrata Márcio Miranda. Para muitos analistas, Pioneiro está se vingando pelo fato de ser preterido pela cúpula tucana, quando pensou que seria o nome certo para disputar a sucessão de Simão Jatene, o ex-governador do Pará.

15 dias de muita violência e assassinatos de PMs e cidadãos no Pará

Números extra-oficiais revelam que em apenas 15 dias, mas de 50 pessoas já foram assassinadas no Pará, nos primeiros dias deste ano.

Por Diógenes Brandão

No começo da noite desta segunda-feira, 14, três moradores foram assassinados em um bar no bairro da Cremação, há apenas 200 metros de um quartel da PM, em Belém. 

Na manhã desta terça-feira, um sub-tentente foi assasinado dentro da sua casa, no bairro da Pedreira, em Belém. Segundo a polícia, os 4 homens que mataram o PM já chegaram atirando diversas vezes no policial. Com ele, 6 policiais militares já foram executados nestes primeiros 15 dias do ano.

Agora a pouco, um empresário foi morto ao sair de uma academia, onde praticava exercícios físicos, levou 7 tiros, sendo 6 na cabeça e morreu, em Ananindeua. Leia a postagem que trouxe em primeira mão, o último assassinato que tem deixado muita gente indignada nas redes sociais:



Esses casos nos mostram que ao contrário do que o governo do Estado diz,  a violência não diminuiu e o crime segue com força total no Pará. Qualquer número oficial, não passa de um recorte temporal, que o tempo se encarregará de desmentir. Infelizmente é essa a realidade que nos impõe, a falta de governantes com um olhar mais profissional sobre as políticas públicas.