Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, setembro 16, 2010

Advogado Américo Leal diz: Tucanos mandaram atirar no MST

Pesquisa fresquinha!

Direto do Bilhetim de Edir Veiga a pesquisa do Veritate vai dando 2° turno no Pará.

Vejam a postagem na íntegra.

Pesquisa LCP/UFPA/Veritate: os números.

Até as 17 hs e 17 minutos nenhuma citação judicial chegou até a Veritate. As 17.16 minutos completou o prazo legal para a publicação dos dados referentres à pesquisa LCP/UFPA/Veritate.

A apresentação está muito simples, desculpem o dia foi muito corrido. Cada meio de comunicação receberá um CD com o relatório completo da pesquisa.

Protocolo da pesquisa número 16558/2010 TSE/TRE-PA.

Relatório Sintético do resultado da pesquisa LCP/UFPA/Veritate

Para Senador:

Jader 33.5%

Paulo Rocha 22.4%

Flexa 21.3%

Marinor 4.2%

Abel Ribeiro 1.1%

Prof. Neide 1.4%

Paulo Braga 1.2%

João Agugusto 1.2%

Savanas 0.3%

Yamada 0.4%

Governador (espontânea)

Jatene 36.7%

Ana Júlia 21.3%

Juvenil 4.7%

Cleber Rabelo 0.7%

Fernando Carneiro 0.6%

Outro 0.2%

Nenhum/branco/nulo 10.4%

Sem resposta 25.4%

Total 100%

Governador (estimulada)

Jatene 41.6%

Ana Júlia 24.5%

Juvenil 5.6%

F.Carneiro 1.4%

Cleber Rabelo 1.1%

Nenhum/branco/nulo 11.7%

Sem resposta 14.1%

O Pacificador?

Em abril de 1996, em pleno governo tucano de Almir Gabriel e Simão Jatene sob ordens dos acionistas da Vale do Rio Doce - Privatizada pelo governo FHC em parceria com os próprios - repassam a ordem aos comandos da PM de Marabá e Parauapebas para desobstruirem "à qualquer custo" a linha do trem que levava nossas riquezas extraídas pela CVRD

Quem estava impedindo a saída dos vagões cheios de minérios era o MST e 19 vidas foram ceifadas - com muitos tiros dados à queima roupa - transformando aquele dia no mais sangrento capítulo da história dos conflitos agrários do Brasil.

A vergonhosa atitude dos governantes tucanos, foi condenada por diversos organismos internacionais e até hoje configura-se como um atentado à vida e aos direitos humanos.

Como se nada disso estivesse escrito, falado e televisionado, assessores de comunicação do agora candidato Simão Jatene, tentam ocultar sua história reacionária e responsável pelas grande mazelas em nosso Estado, à exemplo desta.

É preciso mentir pra sí mesmo para acreditar que o homem que há décadas está pregado no concreto da máquina pública do Estado não seja cumplice - quando não autor - das maiores decisões que impediram nosso Pará se desenvolver com equilíbrio econômico-social, direitos humanos, distribuição de renda e paz no campo.

Saudações à quem tem coragem, principalmente coragem de lembrar e fazer outros lembrarem!

Acelera...