Pesquisar por palavra-chave

sexta-feira, agosto 30, 2019

Dos negócios para a Política: Jader Filho comandará o MDB no Pará e leva "deputada do Wlad"

Jader Filho assume a presidência do MDB e mantém o controle do partido pela família Barbalho.

Por Diógenes Brandão

O MDB foi um dos principais partidos responsáveis pela Constituinte de 1988 e pela redemocratização do Brasil, coordenando a campanha pelas eleições Diretas. 

De lá prá cá, Sarney foi o último e único presidente eleito pelo partido, que sempre teve uma das maiores bancadas no Congresso Nacional e fez parte, sendo o principal partido, da base aliada dos governos dos ex-presidentes Itamar, Collor, FHC, Lula e Dilma.

Sob o comando de Eduardo Cunha, Michel Temer e Romero Jucá, o partido retornou à presidência do país, depois daquilo que os partidos de esquerda chamam de golpe e que resultou no impeachment de Dilma Rousseff, em 2016. 

Convém dizer que o partido encolheu muito depois da operação Lava Jato. 


Encolheu bastante, mas no Pará é onde o partido está mais forte e onde as empresas de comunicação da família Barbalho, que controla o MDB com mãos de ferro e depois de anos em guerra com o PSDB, hoje o partido tem os tucanos como aliados.

Além do PSDB, os Barbalhos guerreavam contra seu principal concorrente no mercado da comunicação do Pará: As ORM. Hoje os Barbalhos compram a lealdade dos veículos de comunicação dos Maioranas.

Amanhã, o partido realiza sua convenção estadual e conclamará o que foi decidido na mesa de jantar da família Barbalho: A presidência do partido fica com o empresário Jader Filho, primogênito do senador Jader Barbalho e irmão do governador Helder Barbalho.  O primo de Jader, deputado estadual José Priante, assume a vice-presidência.

Jader Filho sempre agiu nos bastidores e nunca mostrou a cara na política. Nunca de forma explícita, mas uma fonte que conhece de perto a família, diz que desde a campanha que elegeu Helder Barbalho, "Jader Filho age de forma contundente no governo do irmão, indicando pessoas para órgãos, secretarias e decidindo quem recebe e quanto recebe de verbas publicitárias e diversos contratos", revelou a pessoa que pediu para não ter seu nome divulgado.

Além do ex-tucano, o deputado estadual Dr. Daniel, a deputada estadual Renilce Nicodemos, eleita pelo ex-partido do ex-deputado federal Wladimir Costa também assinará a ficha de filiação ao MDB. 




O jornal O Globo noticiou o imbróglio, entre Wlad e Jader Filho. Em um trecho da matéria Deputado é denunciado por filho de Jader Barbalho após ofensa: 'Mais feio que a fome', podemos ler: 

O parlamentar disse que o administrador Jader Barbalho Filho, filho do senador do PMDB, é "feio pra caramba" e que "pegou o chifre de uma amiga". O parlamentar diz ainda que a família Barbalho simboliza a maior organização criminosa do país, e que é sinônimo de roubo. Por conta disso, o empresário apresentou uma queixa-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF) em que pede a condenação de Costa por injúria, calúnia e difamação.   "A família Barbalho no estado do Pará incluindo Elcione Barbalho, Helder Barbalho, Jader Barbalho (vulgo Barbalhão), e Jader Barbalho Filho, eu falo pra eles que eles simbolizam a maior organização criminosa do país. Barbalho, hoje, senhoras e senhores, todos sabem, é sinônimo de quê? É sinônimo de roubo. Barbalho é sinônimo de enriquecimento ilícito, de assalto. Barbalho é sinônimo de safadeza. Barbalho não é sobrenome. Barbalho é pornografia. Se você chamar: Lá vai um Barbalho ali. Quê que as pessoas imaginam? Lá vai um ladrão. Lá vai um vagabundo, safado. Lá vai um aproveitador do bom senso alheio", diz em entrevista à rádio Jovem FM, do Pará.

"O Jader Filho, o Jader Barbalho Filho, feio pra caramba, isso pegou um chifre de uma amiga minha, que ele tá doido até hoje. Tá doido até hoje. A esposa... Eu nem sei o que ela achou em ti, porque tu é muito feio, Jader Filho. Vou te falar! Tu é uma mistura do “fantasminha diabólico”, tu é um cara horroroso. Tu és mais feio do que fome, seu desgraçado. Mas a primeira lá, a de Brasília, tu sabe, a de Brasília, te meteu um chifre. Não tenho medo de ti, não. Viu, seu vagabundo? Nem de ti e nem de nenhum dos Barbalhos", disse Wladimir, em um dos trechos da entrevista reproduzida por Barbalho na petição.

População de Capanema apela por saúde e Hospital Regional é mantido fechado

Hospital Regional dos Caetés está pronto e já poderia estar atendendo a população do nordeste paraense, mas continua fechado desde novembro do ano passado.

Por Diógenes Brandão

Tomado pela insegurança de se revelar incapaz de governar para todos e com a pretensão de estar presente em todos os lugares, como se tivesse uma capacidade divina da onipresença, o governador Helder Barbalho se esforça para mostrar serviço, pelo menos de maneira altamente midiática e tenta passar a ideia de que está resolvendo a questão da violência e das queimadas no Pará. 

Como é movido por pautas que mais aparecem nas pesquisas de opinião que encomenda, mas não divulga, Helder se volta para elas e acaba virando as costas para as demais, onde inúmeros problemas se arrastam sem a sua devida atenção.

Prova disso é a situação dramática do povo de Capanema, que agoniza sem a inauguração do Hospital Regional, que deveria ser inaugurado ainda em Novembro de 2018, mas não foi por uma determinação judicial, após contestação feita pelo então primo do governador, Igor Normandona época vereador de Belém e eleito naquele mesmo ano, deputado estadual -  que justificava que o hospital ainda não estava todo pronto e por isso não poderia ser inaugurado. 

A população que sofre com a falta de leitos e precisa se deslocar de sua cidade para outros municípios não concordam com os efeitos negativos que recaem sobre os mais pobres e populares de Capanema, afirmam que o hospital estava praticamente todo pronto, com alas que já poderiam estar atendendo a população, como a materno-infantil, mas como o hospital não foi aberto, as mulheres grávidas são obrigadas a fazerem seus partos em municípios próximos, como Bragança e Salinas.

Veja as fotos divulgadas pelo governo de Simão Jatene, quando no fim do seu mandato pretendia inaugurar o Hospital Regional dos Caetés, construído com quase 100 leitos de média e alta complexidade, com equipamentos de última geração, salas de cirurgias, unidade materno-infantil, entre outros, já poderia atender a população de boa parte do nordeste paraense, mas foi barrado por decisão judicial movida e pressionada pela família Barbalho.







A postura birrenta de governantes, oriundos de famílias ricas e que preferem deixar seu povo penalizado, a ter que abrir as portas de hospitais para atender pacientes, deixa vítimas e traz muitos problemas, sobretudo para famílias pobres.

Em Capanema, por exemplo, diversos apelos são feitos pela população através das redes sociais, mas como a maior parte da imprensa está submissa e controlada por  interesses econômicos e o pagamento de altas verbas de publicidade, a dor e o desespero de quem precisa do atendimento público da saúde, não são noticiados.



Depois de inaugurado, O Hospital Regional dos Caetés servirá a quase meio milhão de paraenses que vivem no entorno de Capanema, como nos municípios de Peixe boi, Capitão Poço, Nova Timboteua, Primavera, Quatipuru, Ourém, Garrafão do Norte, Santa Luzia, Cachoeira do Piriá, entre outros.

Só falta o governador Helder Barbalho colocar a placa de inauguração, fazer a selfie e junto com os deputados e prefeitos aliados, entregar a obra para a população. 


Faça logo isso, governador! 


A população daquela região não suporta mais viver com essa grande estrutura hospitalar fechada e por abri-la e colocá-la para salvar vidas e curar doenças, com certeza ela te agradecerá!

Líder em violência, Ananindeua recebe novamente a Força Nacional de Segurança

Sérgio Moro, Helder Barbalho, Jair Bolsonaro, Manoel Pioneiro e Onix Lorenzoni no lançamento do projeto federal que integra União, estados e municípios no enfrentamento à criminalidade. Ananindeua foi uma das cidades brasileiras escolhidas, pelos altos níveis de criminalidade e violência. A única da Região Norte. Foto: Jailson Sam.

Por Diógenes Brandão


A chegada da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária no Pará causou um alvoroço nas cadeias do estado.


Agentes prisionais da SUSIPE e policiais militares que atuam nos presídios paraenses, sentiram o peso do rigor dos agentes federais.

Comenta-se nos corredores da SEGUP, que a corrupção de agentes de segurança pública é apontada como uma das principais responsáveis pela entrada de celulares, armas e drogas nos presídios do estado, o que também leva a fugas, rebeliões e massacres, como o que recentemente abalou o país, com 62 mortes, por degola e asfixia, seguida de carbonização dos corpos dos presos que estavam em contêineres do Centro Regional de Recuperação em Altamira.

Com o lançamento do Projeto Piloto de Enfrentamento à Criminalidade Violenta, do Ministério da Justiça, em Ananindeua, a iniciativa pode trazer férias de 180 dias para as quadrilhas formadas por agentes da SEMUTRAN, DETRAN, PM e Guarda Municipal, costumazes em extorquir motoristas no município.

Leia trechos da matéria que o site de notícias do governo do Estado publicou nesta quinta-feira, 29:

O governador Helder Barbalho participou, na tarde desta quinta-feira (29), no Palácio do Planalto, em Brasília, da cerimônia de lançamento do “Em Frente, Brasil”, projeto piloto de enfrentamento à criminalidade violenta do Ministério da Justiça. A ação consiste na articulação entre União, estados e municípios, para a redução de crimes violentos – em especial homicídios –, com foco territorial em áreas de concentração desses indicadores.

Para as ações, cinco cidades brasileiras foram escolhidas, uma de cada região do País: Ananindeua (PA, Norte); Paulista (PE, Nordeste); Goiânia (GO, Centro-Oeste); Cariacica (ES, Sudeste) e São José dos Pinhais (PR, Sul).

Como parte das ações preparatórias do projeto, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, autorizou o emprego da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) nas cinco cidades escolhidas. As portarias foram publicadas no Diário Oficial da União da última quinta-feira (22).

A Portaria nº 685 autoriza a atuação da FNSP em ações de polícia judiciária e perícia forense no combate à criminalidade violenta pelo período de 180 dias, podendo ser prorrogado. As ações de policiamento ostensivo para preservação da ordem pública e segurança das pessoas e patrimônio foram autorizadas pela portaria nº 683 pelo prazo de 120 dias, a contar de 30 de agosto, podendo ser prorrogado.

O prefeito Manoel Pioneiro ressaltou que Ananindeua possui aproximadamente 526 mil habitantes e que o município gostaria de contribuir financeiramente com o Estado, mas, com uma economia muito baixa.

Para Pioneiro por ser um projeto piloto, os resultados precisam vir a curto prazo, para que sirvam de exemplo para as outras cidades. “Todos querem fazer a transformação, a melhoria e fazer com que seus municípios saiam da condição de não dar dignidade e segurança para os seus moradores”, disse o prefeito de Ananindeua.