Pesquisar por palavra-chave

sexta-feira, junho 25, 2010

31 ANOS DESAPARECIMENTO DO MARAJOARA DALCÍDIO

Por *José Roberto
Hoje 16 de junho, 31 anos que meu pai Dalcídio Jurandir, desapareceu do nosso convívio. Josué Montello, publicou uma crônica no dia 26/6/79-Jornal do Brasil, dedicado a ele. Repasso: "O romancista Dalcídio Jurandir, que há poucos dias desapareceu em silêncio, com a simplicidade e a discrição de seu feitio, faz parte agora do meu patrimônio de saudades. Amalgamada às boas recordações de minha vida, a sua lembrança perdurará comigo.... Há amizades que não reclamam a frequência do convívio. Nem sequer necessitam da breve palavra ao telefone. Os encontros espaçados, sem qualquer premeditação, bastam a entretê-las. A afinidade perdura em cada um dos amigos. Não está à vista, com as exterioridades efusivas, mas subjacente, quase escondida. É silenciosa e firme."

Embora fosse diferente a nossa concepção do mundo e da vida, pude entender-me perfeitamente com Dalcídio, e a virtude era dele: sabia ser extremamente polido, com um requinte de educação que me impressionou. O caboclo magro criado na Ilha do Marajó em contacto com a vida primitiva, nascera exemplarmente civilizado".

Considero esta crônica, uma das mais importantes, devido ao afeto demonstrado, através de suas palavras. Por coincidência, estarei num evento, hoje, na União Brasileira de Escritores-UBE-RJ, em homenagem a Josué Montello. Abraços *José Roberto é filho de Dalcídio Jurandir. Para conhecer a vida e obra do grande escritor, clique aqui.

Local e Nacionalmente, a crise da Direita é de Princípios

Charges do Manain
O PSDB paraense tá em pedaços. Depois de 22 anos de fundado, o partido não resistiu à 08 anos de oposição, depois de ter ficado 08 no governo federal e 12 no estadual, seus lideres brigam entre sí e não tem dó de expor o que há de mais nefasto na política paraense.
Almir Gabriel comandou por muito tempo o ninho tucano no Pará, hoje é uma das principais ameaça daqueles que um dia foram comandados e já sinaliza apoio ao PMDB de Jader, à quem um dia chamou de ladrão e hoje conversa e utiliza seu jornal para detonar o desafeto Jatene que entende de pescaria e violão. De jornalistas à vice-governadora e presidência do DEM/PA, respectivamente, o casal Valéria e Vic Pires Franco sem a parceria tucana que no Pará, ao contrário da orientação nacional, só abre espaço para o aliado se for como vice. O Casal está interessado em emplacar o Senado com ela e ele..(?) Ele vai assessorá-la, pois reeleito não será!

O poder do Serra de desorganizar as coisas é fora do comum. O Álvaro Dias não acrescenta nada e desagrega muito.

Aqui no RS tivemos pessima experiencia com o PSDB. Temos o vice e nada foi cumprido. Nos desrespeitaram. Imagine sem o vice.

Acordo é acordo. A vice era do DEM. Queremos ajudar o País, mas se PSDB não quer ganhar a eleição, como disse @bornhausen, "hasta la vista"!

O PSDB queria que diante desse golpe o Democratas ficasse calado, com o rabo entre as pernas, acatando o desrespeito.

As falas acima estão no twitter do Ronaldo Caiado (Go), vice-presidente nacional do DEMOCRATAS, partido aliado do PSDB de Serra (SP) e Jatene (PA), ambos candidatos majoritárioS que polarizando com as petistas Dilma (SP) e Ana Júlia (PA) disputarão os votos nas eleições de Outubro com projetos ambíguos e ao mesmo tempo colocarão nas mãos dos eleitores a decisão de volta ao passado e/ou a manutenção do status quo no cenário político brasileiro.

Os recentes acontecimentos envolvendo a cúpula dos dois partidos mais conservadores do Brasil - PSDB e DEMOCRATAS - estão numa crise sem precedentes na história recente de nosso país.

Veja o que diz o Estadão:

O vice-presidente do Democratas (DEM), deputado Ronaldo Caiado (GO), reagiu com indignação à notícia de que o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) seria indicado para a vaga de vice na chapa de José Serra à Presidência da República. Caiado afirmou que defenderá na Executiva do partido a quebra da aliança com o PSDB.

"Essa atitude do PSDB de tentar tirar do Democratas a vaga de vice de José Serra é desastrosa e inconseqüente. O PSDB bagunça um grande colégio eleitoral que é o Paraná, desestabiliza partidos aliados por um nome (Álvaro Dias) que não vai acrescentar", publicou em seu perfil no site de micro blogs Twitter.

Pois é, prezados leitores, é por estas e outras que eu tenho dito que esta eleição será histórica não só por termos a 1ª presidenta eleita no Brasil, mas por vermos o povo ungindo um projeto de nação e descartando os representantes de projetos falidos e comprovadamente danosos aos interesses da maioria da população brasileira.

Cá no Pará, além do calor típico deste período, os ventos gelados vindos do centro-sul do país, provocam camadas de gelo na relação democrata/tucana por aqui também.

Vic Pires, o rapaz que além de deputado federal em seu último mandato gosta de se proclamar como o bam-bam-bam dos blogueiros paraenses, largou tudo na vida para dedicar-se na aventurança de eleger sua esposa, a ex-vice-governadora Valéria Franco, candidata derrotada ainda no primeiro turno das eleições de 2008 à prefeitura de Belém.

Nesse vale tudo, repito, ainda vamos ver muito boi voando.

Pode acreditar!

Boi Voando...

Se você está chegando recentemente ao Estado do Pará, talvez não fique surpreso com o início da campanha eleitoral, se for petista, eleitor de Jader ou ex-funcionário dos tucanos, ao certo vai pedir para ser beliscado, pois vai ver muito boi voando nesta eleição.

Se for verdade que o PMDB, tal como o PT, possui militância, esta ao certo, estranhará a presença de Almir Gabriel no palanque eleitoral pedindo voto para Domingos Juvenil nesta eleição.

Eleito governador em 2004, Almir Gabriel orquestrou a cooptação de diversos quadros do PMDB, fazendo uma verdadeira varredura na ALEPA e prefeituras do partido de Jader pelo interior à fora.

Jader, à época, emputecido com os caciques tucanos teria declarado o PSDB um dos principais adversários do partido e 12 anos depois resolveu apoiar o PT, tendo inclusive articulado a intervenção do PT nacional no Pará para que Mário Cardoso, candidato petista ungido democraticamente pelo partido, abrisse mão de sua candidatura em favor da candidatura preferida da vontade de Jader, a atual governadora Ana Júlia.

A escolha de Jader teria sido balizada pela perspectiva de que Ana Júlia ao vir de um pequeno grupo interno do PT, e sem muita projeção nacional, seria mais fácil de depender de Jader para obter governabilidade na ALEPA, principalmente.

Trato feito, Jader empenhou todo seu arsenal comunicacional e influência política para aposentar o ex-governador Almir Gabriel que convencido de sua superioridade no interior do partido, impediu a reeleição do então governador Simão Jatene, quem havia eleito 04 anos atrás.

O "corpo mole" de Jatene teria resultado na derrota de Almir para Ana Júlia em 2006 e provocado uma das maiores estórias de rancor já protagonizada em palco paraense.

Acusado de ser complacente com a Vale do Rio Doce e até de ser uma espécie de funcionário da multinacional por Almir Gabriel em entrevista no jornal de Jader (Diário do Pará), Simão Jatene, pescador e músico e candidato nas horas extras, terá que enfrentar seu atual algoz ao lado de Jader Barbalho, quem a militância pmdebista nunca imaginou rearticulado.

Situação constrangedora também deverá ser difícil de se contornar no interior da militância histórica petista. Ao conseguir fechar o apóio político do PTB de Duciomar Costa, o PT deverá ter junto aos seus quadros políticos, o prefeito de Belém pedindo votos no palanque de Ana Júlia em Belém, onde ambos ao se enfrentarem nas eleições de 2004, deixaram respingar sangue, com acusações sérias, principalmente contra o alcaide, tendo seus 3 CPF´s exibidos nos programas televisivos do PT.

Jader Barbalho terá que convencer que Almir Gabriel agora é companheiro e Duciomar Costa que é companheiro de Ana Júlia e o pragmatismo de que boi voa sim, e não é de hoje.