Mostrando postagens com marcador PDT. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PDT. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, dezembro 04, 2019

Sem o PT, partidos de oposição a Bolsonaro criam Frente Centro-esquerda

A reunião com dirigentes do PSB, PDT, Rede e PV deu um passo decisivo para construir uma frente de partidos de oposição a Bolsonaro e uma agenda positiva e progressista ao país.

Por Diógenes Brandão.

Acaba de ser realizada uma reunião que pode entrar para a história da centro-esquerda brasileira.

Reunidos na noite desta terça-feira, 4, em Brasília, dirigentes do PSB, PDT, Rede e PV acertaram os primeiro passos para construir uma frente de partidos, com uma pauta em comum: Atuarem coletivamente para encontrar saídas em favor do Brasil.

Um paraense esteve presente na reunião. Trata-se de Zé Carlos Lima, ou Zé Carlos do PV.

Além dele, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no senado, Carlos Lupi, presidente Nacional do PDT, Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB, Alessandro Molon (PSB-RJ), líder da oposição na Câmara dos Deputados, além de Pedro Ivo, Porta-voz da REDE Sustentabilidade, André, Penna entre outras lideranças destes partidos.

A ideia não é nova, mas tem ganhado mais consistência com a oposição programática ao governo Bolsonaro.

Amanhã o blog informa se a frente dialogará ou se manterá um certo distanciamento do PT e partidos mais a esquerda, como o PSOL e PCdoB, mas já adianta que essa possibilidade é muito remota.

quarta-feira, maio 23, 2018

Pré-candidato do PDT ao senado, Coronel Osmar já tem seu site no ar



Por Diógenes Brandão

Pré-candidato à uma das duas vagas ao senado, Coronel Osmar adiantou-se e foi o primeiro dos novatos a lançar seu site na internet. 

Apesar de sair na frente dos demais concorrentes e de possuir uma boa apresentação estética, a plataforma não é conhecida pelo eleitor paraense e tanto nela, quanto nas redes sociais do pré-candidato, a carência de interação com os internautas é gritante, o que se apresenta como um ponto extremamente negativo e significativo, devido a falta de efetividade na comunicação do candidato com o eleitor.

Mas se a falta de interação é um problema para a pré-campanha eleitoral do Coronel Osmar, a maioria dos seus adversários também sofrem do mesmo problema, afirma o consultor em Inteligência Digital, Diógenes Brandão, responsável pelo Comitê Digital, empresa que assessora e cuida da presença online de candidatos e partidos, para que tenham um bom desempenho na internet. 

Com a expertise da última campanha presidencial - onde foi o único paraense contratado para atuar profissionalmente através de uma agência de comunicação digital - Diógenes Brandão chama a atenção para dados e impressões coletadas em suas análises de sentimento e métricas aplicadas aos nomes dos pré-candidatos ao Governo do Estado, Senado e Câmara Federal, assim como para a Assembleia Legislativa do Estado. Segundo ele, pelo monitoramento que realiza é possível perceber que quase todos os principais pré-candidatos apresentam um baixo rendimento em relação às suas potencialidades.

Para o consultor, este problema se dá pela falta de visão de que as redes sociais se tornaram a mais importante plataforma da pré-campanha eleitoral, já que as demais estão proibidas pela legislação brasileira ou pelo alto custo financeiro. Além disso, partidos e candidatos só querem saber de "jogar o conteúdo" nas redes e mídias sociais e pouco se importam com a interação com os seus seguidores e público em geral. "Ignoram a importância do monitoramento nas redes sociais, assim como de terem uma ação planejada, bem conduzida e com conteúdo feito sob medida para atrair e converter seguidores em  eleitores", conclui Diógenes Brandão.

QUÉM É O CORONEL OSMAR?

Nascido em Goiás, Osmar chegou ao Pará em 1976. Morou em Santarém por 08 anos e mudou-se para Belém, onde se formou como engenheiro. Ingressou no Exército, onde serviu por 05 anos, indo depois para a Polícia Militar, onde alcançou o cargo máximo, o de Coronel. 

Em sua trajetória, Coronel Osmar lembra que tem 30 anos de serviço público, dos quais os últimos cinco (05) foram a frente da Secretaria de Saneamento de Ananindeua. 

Lançado no dia 09 de Março, como pré-candidato ao senado pelo PDT-PA, além do seu partido, diversos prefeitos, produtores rurais e empresários, Coronel Osmar conta com apoio do prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro e do Presidente da Assembleia Legislativa (ALEPA), Márcio Miranda, que é pré-candidato à sucessão do governador Simão Jatene

A DISPUTA PELAS DUAS VAGAS AO SENADO

Esse ano, finda o mandato de dois, dos três senadores paraenses: Flexa Ribeiro e Jader Barbalho. Paulo Rocha ainda permanece senador até 2022 e foi apresentado como pré-candidato do PT ao governo. 

Ainda não se sabe se Jader realmente disputará novamente a vaga de senador, por conta da ajuda necessária de reunir apoio de outros pré-candidatos ao senado, para compor a chapa de Helder Barbalho ao governo e também pela recente abertura de investigação do seu envolvimento na operação "Lava Jato".

Na disputa pelas duas vagas, além dos atuais senadores, constam ainda como pré-candidatos o Coronel Osmar (PDT), o advogado e ex-presidente da OBA-PA, Jarbas Vasconcelos (PV), o ex-senador Mário Couto (PP), o deputado estadual Sidney Rosa (PSB), a jornalista Ursula Vidal (PSOL), o jornalista Hiromar Cardoso "Xaropinho do Povo" (PPL), o vice-governador Zequinha Marinho (PSC) e o deputado federal Zé Geraldo (PT).

segunda-feira, abril 18, 2016

PDT expulsa os seis deputados que votaram a favor de impeachment



Diretório Nacional avisou que quem votasse contra governo correria risco de expulsão

O PDT iniciou nesta segunda-feira (18) o processo de expulsão dos seis deputados federais do partido que contrariaram a determinação do Diretório Nacional e votaram a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff neste domingo (17). Os parlamentares são Mario Heringer (MG), Sérgio Vidigal (ES), Giovanni Cherini (RS), Flávia Morais (GO), Subtenente Gonzaga (MG) e Hissa Abrahão (AM).

A decisão do partido de votar contra o impeachment foi tomada em dezembro do ano passado, sendo referendada posteriormente, por unanimidade, pelo Diretório Nacional em janeiro e confirmada na última sexta-feira (15), em reunião da Executiva com integrantes da Comissão Nacional de Ética, presidentes dos movimentos de base partidário e integrantes das bancadas do PDT na Câmara e no Senado.

Reunida nesta manhã (18) na sede nacional do partido, em Brasília, os membros da Comissão Permanente discutiram o comportamento dos deputados do PDT e, ao final, confirmaram a decisão de expulsar os deputados infiéis.

A Comissão de Ética, como anunciado, iniciou os processos de expulsão garantindo a todos amplo direito de defesa previsto na legislação e nos estatutos; e vai submeter o seu parecer ao Diretório Nacional do PDT já convocado para decidir sobre o assunto no próximo dia 30 de maio, no Rio de Janeiro.

Os que forem dirigentes estaduais serão destituídos dos cargos, caso do Espirito Santo, presidido por Sergio Vidigal; e Goiás, presidido por Georges Morais – e também serão destituídas as comissões provisórias do PDT nos estados de Minas Gerais e Amazonas presididas, respectivamente, pelos deputados Mario Heringer e Hissa Abrahão.

O PDT informou, ainda, que todos os parlamentares foram avisados por escrito que corriam risco de expulsão caso não votassem contra o impeachment.

terça-feira, maio 26, 2015

PARAUAPEBAS: Operação Filisteu do MPPA apreende documentos e faz prisões (Mais um "bacana" preso)

Materiais apreendidos serão periciados, em busca de provas que comprovem a prática de crimes contra o patrimônio público.

Lembram do caso do vereador Odilon Rocha (SDD) que escandalizou o Brasil, ao dizer que com o salário de um vereador, se ele não for corrupto, ele mal se sustenta? 

Pois é, hoje ele foi preso em uma operação do Ministério Público do Estado do Pará, onde também foram recolhidos documentos, notas fiscais, HDs de computadores, entre outros na sede da prefeitura de Parauapebas, na Câmara Municipal de Vereadores e seus gabinetes, além de diversas Secretarias Municipais, empresas prestadoras de serviço e residências de vereadores, empresários e do prefeito do município, Valmir da Integral, que há algum tempo está na mira do MPE-PA e da polícia. 

Em alguns casos, foi preciso arrombar portas, já que os procurados não estavam em seus gabinetes e pelo que se sabe, a operação ainda deverá voltar ao município, assim que reunir as provas levantadas através do material recolhido hoje. 

Prefeito Valmir da Integral (PDT) e vereador Odilon Rocha (SDD), na imagem publicada no blog "Sol do Carajás"

A prisão do vereador petista.

A "visita" do Grupo de Atuação Especial do Crime Organizado (GAECO) ao município de Parauapebas, foi noticiada em vários blogs da região, entre eles o blog do Zé Dudu, e do Sol do Carajás que deram informações adicionais, como a de que o vereador José Arenes (PT) foi preso por porte ilegal de quatro armas (espingarda calibre 44, revólver 38 e pistola 380), além de munições, encontradas em sua residência. O Diretório Municipal do PT de Parauapebas, emitiu nota sobre o envolvimento do vereador. 

Além da nota, dirigentes ligados ao grupo interno do PT, Articulação Unidade na Luta, alegam que o vereador José Arenes pertenceu à mesa da Câmara Municipal até o final do ano passado, ocupando no cargo de vice-presidente e por isso, como o Ministério Público determinou que as investigações recaíssem sobre todos os vereadores da mesa diretora atual e passada, foi expedido mandado de busca e apreensão em suas casas, entre as quais a do vereador petista. Como nada que pudesse envolvê-lo nos crimes de corrupção ou qualquer outro desvio, sua prisão foi motivada pelo crime de porte ilegal de armas.


Comitiva de vereadores de Parauapebas, com o procurador de Justiça e coordenador do Núcleo de Combate à Improbidade e Corrupção do MPE-PA, Nelson Medrado (seta amarela) e o vereador José Arene (seta branca), em um dos momentos em que denunciavam e formalizavam o pedido para investigações sobre graves desvios, agora descobertos naquele município.

Nas redes sociais, muitos populares estranham e protestam contra a prisão do vereador José Arene, alegando que ele sempre esteve à frente das denúncias dos esquemas fraudulentos, feitas ao MPE-PA, agora expostos à sociedade brasileira. Dizem por exemplo, que em razão do embate político com o prefeito e por ser um dos líderes do grupo de 7 vereadores da oposição, começou sofrer ameaças de morte, após o assassinato do advogado Jackson, ex-presidente da OAB local, quando o vereador foi aconselhado a reforçar sua segurança pessoal para resguardar-lhe a vida, já que após sofre constantes ameaças de morte por parte dos denunciados e o Estado é notoriamente incapaz de proteger a vida de testemunhas e pessoas ameaçadas no Pará.

Prefeito tinha apoio da mídia local.

Dois dias atrás, o blog do "Bacana", administrado pelo colunista da high society paraense, Marcelo Marques, pegou um avião e fez uma visita de "cortesia" à casa do prefeito Valmir da Integral - hoje invadida pela polícia - onde fez uma amigável entrevista e publicou uma postagem com o título: Parauapebas caminha bem

Leia um trecho e veja o que a "amizade" e o marketing  são capazes de produzir, na imprensa de nosso Estado:

Estive na semana passada em Parauapebas convidado pelo publicitário Marcus Pereira. Fazia tempo que eu não ia por lá, sempre fui muito em toda a época da administração Bel e depois na de Darci. As notícias que me chegavam não eram as melhores e por várias vezes fiz aqui críticas a administração Valmir Mariano. Mas um amigo muito bem informado de lá, o blogueiro Zé Dudu sempre me disse que a cidade caminhava muito bem com Valmir, ao contrário das informações que me chegavam e eu divulgava. Tenho que reconhecer que Zé tinha razão. Me impressionei positivamente nessa primeira visita a cidade na gestão de Valmir. Fora isso me chamou atenção seu chefe de gabinete Gilmar Moraes, advogado jovem que vem sendo, segundo alguns que conversei na cidade, seu principal braço direito, desobstruindo entraves na gestão Mariano. Que assim continue.

Assista a reportagem sobre a "Operação Filisteu", exibida no canal GloboNews, na manhã desta quarta-feira (27)


Veja agora matéria publicada no site do MPE-PA.

A operação denominada Filisteu desmontou esquema criminoso oriundo de fraudes em processos licitatórios e superfaturamento de terrenos desapropriados pela prefeitura; emissão de notas fiscais frias e desvio de recursos públicos entre membros da câmara e o comércio na região. Foi preso até o momento o vereador Odilon Rocha de Sansão (PMDB), conhecido pela afirmação polêmica acerca do valor do salário de vereador. E o empresário do ramo do comércio local, Edmar Cavalcante conhecido como “Boi de Ouro” acusado de emitir e vender notas fiscais frias.


Outro alvo da operação é a casa do ex-presidente da câmara municipal, Josineto Feitosa de Oliveira. A operação coordenada pelo Grupo de Atuação especial de combate ao crime organizado (Gaeco) do MPPA foi deflagrada na madrugada desta terça (26) contra a prefeitura municipal, secretaria de obras e a câmara no município de Parauapebas, região sudeste do Pará. 


Executa a operação pela promotoria de Parauapebas os promotores de Justiça, Hélio Rubens, Paulo Morgado Junior,  Franklin Jones e Eduardo Falessi; pelo Gaeco atuam os promotores de Justiça, Milton Menezes (coordenador), Harrison Bezerra, Arnaldo Célio de Azevedo, Raimundo Aires, Daniel Barros e Augusto Sarmento e pelo Núcleo de combate a corrupção, o procurador de Justiça, Nelson Pereira Medrado.

PRISÕES

Mandados de busca e apreensão e de prisões foram expedidos em Belém pela desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia, do TJPA, em desfavor da prefeitura municipal cujo titular é o prefeito Valmir Queiroz Mariano (PDT) e, em desfavor da câmara, pelo juiz da comarca de Parauapebas, Líbio Araújo Moura.

APOIO

A "Operação Filisteu" conta com o apoio do Gabinete Militar, com a presença de 23 militares.

quarta-feira, julho 24, 2013

Em clima de 'fora Dilma', Força Sindical abre congresso

Manoel Dias afirmou que a pauta de interesse dos trabalhadores está sendo negociada no governo Força Sindical.

Praia Grande (SP) – A Força Sindical abriu na tarde de hoje (24) seu sétimo congresso nacional em ambiente hostil ao governo. Ao lembrar que representava a presidenta Dilma Rousseff, a quem chamou de "companheira", o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, teve de ouvir dois minutos de vaias, apenas interrompidas a pedido do presidente da central, o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho (PDT-SP). "Que bom que vocês estão protestando, companheiros. Quando era jovem, eu não podia protestar", reagiu o ministro, defendendo um "pacto" em defesa da democracia. "Nós tivemos avanços, mas essas conquistas precisam aumentar. Temos de resgatar os que estão à margem do desenvolvimento."

Na saída, Dias afirmou que a pauta trabalhista está sendo negociada.  "O diálogo é uma maneira moderna de avançar no debate. Estamos agora discutindo terceirização. Está se avançando bem nessa discussão", avaliou, referindo-se à comissão quadripartite formada para discutir o Projeto de Lei 4.330, de 2004, criticado pelos sindicalistas. "A terceirização é uma coisa real, mas a realidade não pode subtrair direitos." Ele também citou outro item reivindicado pelas centrais, o fim do fator previdenciário. "Está na mesa de negociação. E vamos avançar, creio." Ele também destacou o fato de o país continuar criando empregos, em meio a uma crise mundial. De volta de reuniões da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do G-20, Dias afirmou que "o único país que pôde dizer que está criando empregos é o Brasil".

Quando desceu do palco, o ministro foi levado para tirar fotos com delegados no plenário. Mas teve de ouvir um coro de "151" vindo de uma representação de servidores, em alusão à Convenção 151 da OIT, sobre negociação coletiva e direito de greve no setor público.

Na primeira fileira do plenário e em alguns pontos das arquibancadas do ginásio que sediará o congresso até sexta-feira, havia vários cartazes com os dizeres "Fora Dilma". O presidente da central confirmou que não apoiará uma possível candidatura à reeleição. "Acho que a situação da Dilma está muito ruim dentro da Força Sindical. Ela não atendeu nenhuma das reivindicações, não há por que continuar apoiando", declarou pouco antes da abertura.
O dirigente disse considerar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e a ex-ministra Marina Silva (Rede Sustentabilidade) como alternativas, mas disse que a situação ainda está em aberto. E preferiu não comentar sua ideia de criar um novo partido, que se chamaria Solidariedade. A central chegou a anunciar a presença do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), mas ele não foi à abertura. Também anunciado, o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), que estava com o papa em Aparecida, foi representado pelo secretário-chefe da Casa Civil, Edson Aparecido.

Todas as centrais participaram da mesa de abertura, que teve como "mestre de cerimônias" o ex-ministro Antônio Rogério Magri, hoje assessor da Força. E todos os dirigentes cobraram o atendimento da pauta sindical, com alguns falando em greve geral em 30 de agosto.

Aproximadamente 4 mil delegados participam do evento, que deve reconduzir Paulinho à presidência. Desde sua fundação, em 1991, a central teve dois presidentes. O primeiro foi Luiz Antônio de Medeiros, atual superintendente do Emprego e Relações do Trabalho em São Paulo.

O cemitério hospitalar de Helder Barbalho

Depósito da SESPA está mais para um cemitério de equipamentos hospitalares, denuncia populares. Por Diógenes Brandão O escândalo ...