Pesquisar por palavra-chave

domingo, janeiro 25, 2009

Corrida dos Direitos e da Solidariedade do FSM

No sábado, dia 31/01/2009 as 16:00hs partirá uma corrida denominada “dos direitos e da solidariedade”.
A partida será feita na área externa do Fórum Social, entre o segundo e o terceiro portão da UFPA e o percurso previsto é de cerca 6 km, atravessando os bairros do Guamá e Terra Firme.
Será uma corrida livre, aonde se poderá correr, marchar, caminhar, porque o importante é a participação á iniciativa, que tem como finalidade levar o Fórum Social Mundial para fora de sua sede, em contato com a população de Belém e vice e versa. A inscrição é gratuita. Quem quiser participar poderá se inscrever na área “Esporte para todos”, nos locais que serão colocados dentro do espaço do Fórum Social, na Sede do Centro de Segurança da Cidade, localizado no Bairro do Guamá e na sede do SESC, localizado na Avenida Doca de Souza Franco. A iniciativa será organizada pela UISP com a colaboração do SESC, dos organizadores do Fórum Social Mundial, associaçoes brasileiras, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Para – SEEL, ARCI, Coordenação Italiana FSE – FSM e Região Toscana (Itália). Informações pelos emails: m.tossini@uisp.it ou ascomseel@gmail.com

Se depender da Credibilidade de Dudu, a Greve continua!

Do presidente do Sindsaúde, Luís Menezes, depois de anunciado pelas secretarias de Saúde (Sesma) e Administração (Semad) que os trabalhadores da Saúde do município não perderão suas gratificações, promessa que levou os funcionários a encerrar a greve que só durou um dia:
“Temos um pé atrás com esse prefeito [Duciomar Costa]. Por isso, vamos até a Semad para saber se a folha de pagamento fechou com os cortes, porque, se for assim, a greve vai continuar.”
É mesmo, Menezes.
Convém vocês ficarem com um pé atrás.
Se Sua Excelência é capaz de mudar o curso dos tempos e mais capaz ainda de desbloquear valores que continuam bloqueados, por que não será capaz de fechar uma folha de pagamento com cortes de gratificações.
Olho vivo, Menezes. Olho vivo!

A Nota do PT-PA sobre as Nova Eleição em Santarém

1. O Partido dos Trabalhadores no Pará lamenta, denuncia e repudia a decisão do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), em praticamente deixar fora da nova disputa eleitoral o PT de Santarém, justamente o partido que estava no governo e foi democraticamente reeleito pelo povo, numa ampla coligação.
2. Ao determinar que a desincompatibilização de funcionários exercentes de cargos públicos tem que levar em conta o final de junho-2008 e não uma nova data que deveria ter sido marcada no novo calendário eleitoral, o TRE restringe a participação das lideranças do PT que estavam no governo de Santarém, ou em outros cargos públicos.
3. Ora, se o TRE determina um novo pleito, com prazo para convenção, propaganda eleitoral e todas as atividades de uma eleição, por que mantém o prazo da desincompatibilização ligado a junho-2008.
4. Por que o douto Tribunal não estabeleceu uma data razoável de desincompatibilização, permitindo a plena participação de todos os partidos no pleito e a democracia?
5. O PT irá à Justiça questionar a decisão do TRE, que atinge tão somente o Partido dos Trabalhadores e deixa em xeque a democracia, ao restringir a participação de todos os partidos em condições semelhantes.
JOÃO BATISTA BARBOSA - Presidente do PT.
O Blog considera que muito pouco que o PT fizer, alterará o status quo político nas terras Mocorongas, já que tem-se como certo de que o golpe foi forte e bem planejado por quem cobiçava as rédias do município sojeiro.
Há quem ache que Maria do Carmo deva lutar até o fim para tentar retornar ao cargo o qual foi reeleita pelo povo santareno.
Outros, não querem nem imaginar a representação do PT - caso seja acatado o recurso do partido - ir para as mãos do irmão da ex-prefeita, o médico Everaldo Martins, que era secretário municipal e pelas regras do TRE-PA também está fora do jogo.
Os motivos?
Quem sabe?!

Um Click Ortográfico

Pra quem ainda não se antenou nas novas regras gramaticais e precisa de agilidade para adaptar-se para uma escrita atualizada, aqui você converte todas as dúvidas no novo padrão ortográfico, o qual visa unir as ortografias de todos os países de língua portuguesa.
Tudo num click só!

Ana Júlia fala sobre o FSM

A Coluna Por Dentro do portal das ORM publicou entrevista com a governadora Ana Júlia, anfitriã mor dos participantes do FSM em Belém. Alguém bem que poderia alegar: Só com o PT o Fórum Social Mundial na Amazônia foi possível. Não estaria mentindo, não! ___________________________________ ENTREVISTA: ANA JÚLIA CAREPA – GOVERNADORA DO PARÁ Com o Pará como anfitrião do Fórum Social Mundial (FSM), que pela primeira vez é realizado no norte do Brasil, a governadora Ana Júlia Carepa (PT) espera que a Amazônia volte a ser o centro do debate mundial sob a ótica do desenvolvimento sustentável. Nessa entrevista, exclusiva, Ana Júlia fala de sua expectativa sobre a realização do FSM em Belém e anuncia que as medidas adotadas em parceria com o governo Lula garantirão a segurança dos milhares de participantes do Fórum. “Nosso desafio é trabalhar o desenvolvimento duradouro” POR DENTRO - Qual a importância da realização do Fórum Social Mundial em território paraense? ANA JÚLIA CAREPA – É a oportunidade de colocar a Amazônia no centro do debate mundial, sob a ótica do desenvolvimento sustentável. A nossa região concentra a maior floresta tropical do Planeta, mas não é um território constituído apenas de fauna e flora. Só na Amazônia Brasileira existe uma população superior a 20 milhões de pessoas, que tem direito a uma vida digna. O nosso desafio, portanto, é trabalhar o desenvolvimento de forma duradoura, em que os recursos naturais possam ser utilizados de forma equilibrada. Então espero que as discussões do Fórum possam nos ajudar a consolidar o novo modelo de desenvolvimento que estamos implantando e que assegura a inclusão social das populações locais, o investimento em ciência, tecnologia e inovação de tal forma que possamos tirar proveito da nossa biodiversidade, através da incorporação de produtos da floresta em pé. POR DENTRO - A questão da segurança para os mais de 100 mil visitantes esperados no Fórum está equacionada com a presença da Força Nacional de Segurança e com as medidas adotadas por seu governo, como a contratação de mais policiais? ANA JÚLIA – Esperamos que sim. Quando assumimos o governo do Estado encontramos um déficit de 13 mil homens, resultado de mais de dez anos sem a realização de concurso público para a Polícia Militar. Já fizemos um concurso, vamos fazer o segundo e colocamos 1.500 policiais nas ruas, treinados e equipados. Para garantir a segurança do Fórum Social Mundial, solicitei a presença da Força Nacional, que veio reforçar o trabalho da Secretaria de Segurança e deverá permanecer em Belém por mais 90 dias. Isso mostra a parceria do nosso governo com o Governo Lula. Creio que o que une as pessoas que participam do Fórum é maior do que aquilo que as separa, já que todos estão identificados com os ideários do evento, que é a busca uma nova ética planetária, que pressupõe respeito, tolerância e sustentabilidade ambiental. POR DENTRO - Em termos práticos, o que a senhora espera que o Fórum Social Mundial deixe de positivo para a Amazônia? ANA JÚLIA – O aumento da consciência mundial sobre o papel da Amazônia. Esperamos despertar ainda mais as organizações científicas e de cooperação internacional para que possamos implantar os nossos projetos, o nosso programa de 1 bilhão de árvores em cinco anos, os nossos parques tecnológicos e outras propostas. Porém, o mais importante para nós é fortalecimento das relações entre os povos da Pan-Amazônia e a consolidação do nosso bloco de integração latino-americana, que é o Mercosul, que nos dará maiores e melhores condições de afirmar as nossas propostas de superação de um modelo baseado na opressão, no egoísmo e na exploração de imensa parcela da população mundial. Mas tudo isso só ocorrerá com o fortalecimento das organizações sociais, que impulsionam governos e instituições em busca de um novo modelo baseado na solidariedade e no equilíbrio ambiental do planeta. Fonte: Coluna Por Dentro - (www.portalorm.com.br).

O Caso Cesare Battisti em pauta no FSM

No Blog do Brasiliense O ministro da Justiça, Tarso Genro, e o italiano Cesare Battisti, que ganhou a condição de refugiado no Brasil, serão incluídos de última hora na agenda de programação do Fórum Social Mundial, no fim do mês, em Belém. Entidades de direitos humanos querem que o fórum manifeste apoio aos dois, mesmo ausentes do encontro, que reúne ONGs de todo o mundo. Tarso receberá o apoio por sua decisão de contrariar a posição do Comitê Nacional para Refugiados (Conare) e permitir que Battisti viva no Brasil e não seja extraditado para a Itália. Como a programação do Fórum estava concluída, a solução foi incluir o "caso Battisti" na oficina intitulada "Direito à memória e à verdade", que discutirá e reivindicará a abertura dos arquivos da ditadura, a revisão da Lei de Anistia e a punição para militares que torturaram nos anos de chumbo. Essa discussão ocorrerá durante três horas, na manhã do próximo dia 30. A iniciativa de incluir o ministro e o ex-militante político italiano como tema de debate foi do Movimento Nacional dos Direitos Humanos.

Yes, Let´s see! (Sim, vamos ver!)

No link dos vídeos do Youtube (aqui ao lado esquerdo) há um vídeo que retrata um pouco a dura realidade dos povos amazônicos. Confira! O nome dele é Amazônia uma região de poucos.

O FSM e as contradições

Como o start das atividades pré-fórum, realizadas por diversas entidades, fóruns segmentados e demais setores da sociedade civil, começam também as denúncias, reclamações e divergências à cerca dos esquemas de segurança, logística e hospedagem que muitos alegam terem sido renegados à inexperiência e incompetência de parte da organização do evento.
Na terra-firme e Guamá, moradores inevitavelmente utilizam-se da rede de computadores para denunciarem o que chamam de Apartheid devido o esquema de repressão ao crime, o que segundo relatos, na verdade, encobre os mal-tratos que a população está sendo submetida nos bairros periféricos no entorno do território do Fórum. Caso sério que iremos debater sempre que houver exagero por parte da políça, e por certo não faltarão.
Outras questões abordadas via email e alguns programas de rádio é que os alojamentos programados não foram suficientes para abrigar os participantes que chegam de todos os continentes do mundo.
No acampamento da Juventude, onde é previsto a montagem de milhares de barracas, a questão se agrava. Pessoas ligadas à entidades de Belém, dizem que os preparativos do local não garantirão segurança plena para os hóspedes.
A mata, os animais personhentos e demais adversidades - o período chuvoso faz com que a área fique alagada - criam um misto de reclamações que tende a aumentar e que pode respingar no governo estadual e na prefeitura, no mínimo.
Já a cobertura midiática local é medíocre e pega carona nas "cabeças de rede" que terão suas equipes à posto para registrarem as belezas e contradições desta região amazônica.
Boa oportunidade para expor nossos problemas, cobrar das três esferas de governo maior investimento em infraestrutura e de quebrar fortalecer a presença viva e a colaboração no planejamento público das cidades.
As pólis, agradecem e desejam um produtivo Fórum Social Mundial para tod@s e acredita piamente que um outro mundo seja possível.