Pesquisar por palavra-chave

sexta-feira, dezembro 28, 2007


Assim como no Pará, a Síria tem um local chamado Maraba (sem acento), mas trata-se de um bairro e lá a prostituição de jovens e adolescentes é o triste resultado da invasão americana ao Iraque.

Depois de saqueado, agora o povo daquele país é obrigado à encontrar meios de se manter vivo, fora de sua própria terra, dada a insegurança que assola a região desde então.

Que 2008 seja o ano que os povos de todas as pólis, revoltem-se contra o terror e o imperialismo e construam efetivamente um mundo melhor para todas e todos.

Aos Povos...

Foto de Holanda Cavalcante

Liberdade ao povo Africano, Indiano, Palestino, Iraquiano, Árabe...e também ao Judeu explorado, ao Americano idiotizado, ao Brasileiro humilhado...

Daqui a algumas horas muitos não terão o que brindar, ou nunca tiveram.

Onçinha pitada, coelhinhos pintados...Abram seus olhos para o mundo e concentrem-se em mudá-lo!

Mais alguns se confraternizarão. Farão promessas de mudanças, desejarão paz, alegria, saúde...mas num mundo de excluídos e exploradores, até o dia em que isso não mudar, não teremos paz e toda perpectiva "positiva", estará invitavelmente abalada pela realidade nua e crua que nos reprime.

"Se calarmos até as pedras gritarão" (Pedro Tiera - Poeta )

Prudência e Canja nunca fazem mal


O pretensioso movimento que vem se articulando para tentar sabotar o processo democrático, resultante da eleição interna da UEPA que elegeu Silvio Gusmão o novo Reitor daquela universidade, tem seus dias contados.

As evidências e a sensatez, durrubam a possibilidade de Bira ser indicado pela lista tríplice.

Silvio Gusmão, já recebe apoio de vários grupos, inclusive por membros da ex-chapa que apoiou o Bira dentro do CONSUN da UEPA.

-" Terminada a eleição, agora eu fico com a decisão da maioria".

Esta foi a frase de um influente líder do PT, que durante as eleições manifestou apoio à Bira, assim como muitos outros petistas mas que agora poderá junto com os demais líderes, suplantar de vez a aventura que o grupo de Bira tenta para se recompor, tanto da derrota obtida no PED - seu grupo perdeu por falta de votos a vaga que tinha na Executiva do Diretório Estadual, instância máxima do PT - e do fiasco na campanha da UEPA.

Leia mais no blog do pessoal da UEPA

quinta-feira, dezembro 27, 2007

Precisamos de + ?


A comunicação social dos governos tucanos sempre foi criticada por seu modelo e a falta de sintonia com a realidade de seu público, assim como a área cultural era rotulada de elitista, e era.

Mas se formos mais fundo na questão há de se encontrar certo comodismo e reprodução de um sistema falido de interpretação do mundo institucional e que continua alojado nas paredes da Secretaria de Comunicação do governo Ana Júlia.

Já falei dentre outras questões, à cerca deste comportamento em outro post e agora venho fazer uma rápida avaliação de uma das responsabilidades da recém-criada secretaria.

Vou de ante-mão, me reportar ao portal do governo, pois este é o ultimo lugar que se encontra informações relevantes à cerca dos problemas do Estado e notícias de cunho mais ácido, tanto das tensões políticas, quanto dos incidentes que vira-e-mexe são explorados pela mídia.

Note-se que o caso da menina abusada e encontrada na delegacia de Abaetetuba com mais 20 homens presos, só foi noticiado, depois de vários dias na página oficial do governo com uma pífia declaração, depois de rodar o mundo, atribuindo-se insistentemente à figura do Estado a total responsabilidade pelo lamentável fato; o caso do contrato dos pilotos no Aeroclube, enfim.

Um órgão com a competência de posicionar a defesa da gestão e informar a sociedade sobre o trajeto tomado, não pode se furtar de ser ágil e contundente, neste mar de controvérsias que os aparatos comunicacionais nos permitem hoje em dia.

Transformada em Secretaria de Comunicação no mês de novembro - aumentando assim seu poder de fogo - a ex-Coordenadoria de Comunicação Social, se mantiver a “lógica” que hoje tem, dificilmente dará conta do árduo compromisso de um de seus desejos proclamado:a criação de uma sociedade mais democrática e politizada.

Para tal, deveria estar preparada para agir com a devida cautela e agilidade no processamento das informações, neste mundo em que estamos onde o time de emissão/recepção de mensagens acaba dando o tom aos fatos e suas conclusões, onde opinião pública e poder comunicacional se confundem para muitos e que a procura por elementos contraditórios, dos mais variados ângulos é a alternativa para quem busca se manter informado.

Mas sem aprofundar na questão, até porque o Secretário e também professor Dr. Fábio Castro sabe muito bem do que trato, pois mantinha um blog "acadêmico" que tratava justamente disso: Comunicação, Cultura e interatividade contemporânea, mas que foi abandonado assim que o talentoso professor foi nomeado ao cargo comissionado, com a justificativa de que a falta de tempo e sua nova função eram incompatíveis com a manutenção do espaço cibernético.

A práxis é esperada professor. Por isso, citarei um punhado de palavras retiras de uma das postagens de seu adorável blog:

Thomas Jefferson said it first: Communication - an informed public - is not optional in a democracy. If people don't know what's going on, freedom is an illusion. Good reporters are not scum. They are communicators. We need more"

Algum tradutor-voluntário se dispõe?

Hasta La Vista?


Almir Gabriel - Big-Mouse - anunciou neste mês de dezembro, que decidiu abandonar de vez a vida política - e o Estado que ele tanto dizia amar - e foi morar em São Paulo, onde a maior parte da Família já estava.

A notícia percorreu os dois maiores jornais com grande estilo, deixando encobertos, fatos que marcaram nosso povo, como a ordem em seu governo para a PM desobstruir a curva do "S", o que custou a vida de 19 pessoas até agora injustiçadas e outros mais recentes como o que nos informa o site da Procuradoria da República no Pará:

"O Ministério Público Federal acusa o bando - empresários, servidores públicos, contadores e funcionários das empresas ligadas ao esquema - de formação de quadrilha, fraudes em licitações, corrupção passiva, falsidade ideológica e sonegação previdenciária. Foram apontados como chefes da organização criminosa João Batista Ferreira Bastos - o Chico Ferreira e Marcelo França Gabriel".

Mas o fato que nos espanta é a posição do jornal dos Barbalhos, deixando um ar de vá com Deus e obrigado por tudo, ao conceder entrevista ao Senador Flexa Ribeiro do PSDB, quem mais lucrou na parceria com o ex-governador e fez questão de enaltecer a imagem de seu "sócio" e deixando sem voz aqueles que tanto esperam saber se o Almir sabia ou não quem era e como operava um esquema de corrupção milionário, ele o Big-mouse Jr., vulgo Marcelo Gabriel.

Se voltarem, que seja para visitar um Banco...

...o dos réus!

O Boff que não é de elite






Oscar Niemeyer e o comunismo como valor*.








Sua visão de mundo se funda no comunismo, ao qual foi fiel durante toda a vida, em tempos em contratempos. Mas trata-se de um comunismo como valor ético que visa a resgatar da sociabilidade humana, a capacidade de sentir o outro e de caminhar com ele como companheiro e não como competidor. "É preciso olhar o outro, ser solidário; as pessoas que só pensam em suas profissões não vêem a pobreza; só querem ser vencedores". Para ele o importante "não é ser arquiteto, ser especialista, ser mundialmente reconhecido. O importante é a vida e a amizade. A palavra mais importante da minha vida é solidariedade".


Essa solidariedade, especialmente para com os pobres, o torna simples como simples são as suas formas arquitetônicas. Vive a verdadeira humildade de quem comunga do mesmo húmus (donde vem humildade): "todo mundo é igual; a pessoa vem à Terra, conta a sua historinha e vai embora".

Nunca esquecerei uma longa conversa com ele durante um almoço em Petrópolis no final dos anos 70. Naquele dia acabava de retornar de Cuba. Eram ainda os tempos de relativa abundância, antes da queda da União Soviética.

Contava-lhe como era universal o sistema de saúde, como o ensino era aberto a todos, independentemente de sua extração social ou racial, como não se viam favelas na ilha e como a população incorporara uma vida de austeridade compartilhada. E referi-lhe as longas conversas com Fidel, noite adentro, sobre religião e a teologia da libertação que tentava e ainda tenta fazer do Cristianismo uma força de transformação histórica contra a pobreza e a marginalização social. Dizia-lhe citando Frei Betto: "Cuba parece uma Bahia que deu certo". Vi que Oscar ouvia tudo atentamente e seus olhos brilhavam de satisfação.

Qual não foi a minha supresa quando dias após li na Folha de São Paulo um artigo dele sobre a nossa conversa com um desenho de sua autoria: duas montanhas uma das quais encimada por uma cruz. E lá dizia: "descendo a serra de Petrópolis, eu que não creio, rezava ao Deus de Frei Boff, para que aqueles benefícios que Cuba realizou para o seu povo, chegassem também, um dia, ao povo brasileiro".

Por causa de sua solidariedade para com o povo cubano que sofre ainda um atroz embargo imposto pelos Estados Unidos, está abrindo em Cuba um posto avançado, uma escola de arquitetura, sem qualquer lucro, apenas o necessário para manter o escritório.

Pessoas assim nos fazem crer que o ser humano é resgatável, que a voracidade da acumulação privada de riqueza distorce o sentido da vida, que o ideal capitalista é profundamente perverso porque inumano, nada solidário e alheio à qualquer comiseração para com o próximo. Sua mensagem maior que vale mais que qualquer discurso de alguma autoridade religiosa foi expressa no Jornal do Brasil de 21 de abril deste ano: "O fundamental é reconhecer que a vida é injusta e só de mãos dadas, como irmãos e irmãs, podemos vivê-la melhor".


Com estas palavras fechamos 2007 com a esperança de que 2008 comece a realizar o sonho singelo deste ancião sábio e simples que, na construção da catedral de Brasília com seus braços estendidos ao céu, deu forma à sua secreta mística da solidariedade, nascida do mais puro ideal comunista.

Leonardo Boff - para ler mais sobre vida e obra, clique aqui
* Publicação autorizada pelo autor

terça-feira, dezembro 25, 2007

Acidente?



Um motorista, visivelmente embreagado, ao vir de Outeiro por volta das 08:30, leva ao plano espiritual, uma das sete irmãs e a genitora do Conselheiro Nacional das Cidades e Coordenador do Movimento Nacional de Luta pela Moradia, Sr. Miguel Lobato, mais conhecido como Miguelzinho.

O Blog adianta o que "O Liberal" mente e o que omite o "Diário do Pará" em sua matéria de capa.

As Falas da Pólis, manifesta solidariedade à Família e cobra das autoridades competentes a devida apuração do caso, já que o "acidente" foi um crime. Isso mesmo, um crime cometido por um sargento (na reserva) da PM, que acompanhado de mais dois membros da coorporação, ao retornarem da ilha de Caratateua-Outeiro, apanharam a mãe e irmã do referido companheiro, desprevinidas, em plena Augusto Montenegro, jogando-as às alturas, de onde caíram já desfalecidas devido a alta velocidade do impacto do veículo, irresponsavelmente dirigido pelo ex-policial.


Testemunhas afirmaram no local do crime, que depois de matarem mãe e filha - a filha era mãe de uma criança de 09 anos e dois adolescentes de 14 e 15 anos. Todos assistiram o lamentável fato) que o ex-sargento, ao tentar empreender fuga, foi interceptado por uma Van, que os obrigou a parar o veículo e além dos três polícias, levava duas mulheres de identificação desconhecida até o momento, desaperecidas do local logo após o fato.


A polícia, chamada pelos próprios militares, quebrou todos os recordes de agilidade, disse uma testemunha que presenciou o fato. "aqui, as gangues se matam, há diversos acidentes, quase que semanalmente e nunca havia visto uma viatura chegar tão rápido, como a que veio por primeiro, proteger os policiais de alguma "atitude" nossa", enfatizou o popular.


Miguelzinho, lembra indignado a postura dos policiais que atenderam o caso em primeira instância e afirma que "os policiais que levaram o motorista assassino e os demais comparsas que todos foram protegidos logo de cara, pelo coorporativismo existente na polícia e levados para os exames de dosagem alcoólica e tóxicológica, mas da hora da partida áte a chegada ao IML, passaram-se mais de 04 horas, lá os mesmos, se recusaram a prestar os exames e havia forte tendência à proteção destes, por parte do delegado da Seccional de Icoaraci."


O enterro acontecerá às 14:00h, mas a reunião de diversas lideranças políticas junto à família, como o Vereador Adalberto Aguiar e presidente do PT-Belém, Silvio e Socorro Brasil, presidente da Fundacentro e Coordenadora da Escola de Governo, respctivamente, além de diversos servidores da COHAB, de onde Miguel é Assessor Especial, revelou que a impunidade será afastada com a garra de todos que presenciaram os momentos de profunda dor da família.


Manifestações do Ministério das Cidades e outros representantes de orgão públicos e amigos chegam para fortalecer o companheiro e mostrar-lhe solidariedade.
Um detalhe é comum na diversidade: Todos querem que este crime seja o ponto de partida para uma emblemática mudança, no paradgma da impunidade existente nos crimes de trânsito.

Cabe prisão?

Com a palavra, os leitores.

segunda-feira, dezembro 24, 2007

ENTÃO É NATAL !


Hoje é o dia de confraternizaçã o dos cristãos, a maioria do povo brasileiro. No Natal, as famílias se encontram e celebram um momento coletivista, raro em nossa sociedade. No fim das contas, judeus, ateus, agnósticos e todos as demais minorias acabam participando pela confraternização em si, independente da data.

Nesse momento, onde estão ali gerações distintas, vale a pena transmitir recados valiosos em mensagens simples, mas que sejam úteis a quem as recebe. E que possa trazer resultado prático no novo ciclo de vida que se renova a cada fim de ano.

Minha mensagem se baseia na carta que o centenário arquiteto Oscar Niemeyer recebeu de Fidel Castro, o também longevo líder cubano. Entre outros elogios, Fidel levantava os seguintes comentários, que trago para sua reflexão:

"Ler:

- É uma proteção contra todo tipo de manipulação(...)
- Desenvolve a mente
- Fortalece a inteligência
- Estimula o senso crítico
- É um antídoto contra os instintos egoístas do ser humano

"Portanto, LEIA MAIS! Esse é o singelo recado que sugiro que transmita a cada pessoa que celebrar esta noite de Natal. Se essa mensagem tocar algumas pessoas, no mínimo, pode ter certeza, alguém no próximo Natal lhe agradecerá por esse recado, e sem dúvida, sua reunião de Natal será ainda mais interessante, mais assuntos, mais viva. Ofereça então esse presente útil aos seus familiares nessa noite. Até porque, parece que ler ajuda a ter vida longa e produtiva... Saudações a todos

Sergio Telles - Compilação da lista Tribuna da Internet

domingo, dezembro 23, 2007

Retrospectiva 2007 (Parte II)


O Blog aguarda ainda a decisão de Mário Cardoso sobre deixar a SEDUC para assumir a candidatura a prefeito de Belém.


Entre as diversas opiniões, há quem torça que isso aconteça, assim estaria consolidada a vontade de parte da DS que defende o nome da professora e Antropóloga Edilza Fontes à pasta mais cobiçada por ela, inclusive, afirma uma fonte da DS de Ana Júlia e Cia.

Professora da UFPA, Edilza, compentente e braço direito de Ana Júlia, foi ainda na transição, cogitada para ser chefe da casa civil e acabou indo para a Escola de Governo, onde até hoje o site oficial do governo a mantém nesta função, mas que na verdade assume tarefas como superintendente do PTP. Cabe lembrar que até hoje não definiu a forma concreta com que o Conselho do PTP vai atuar no controle social deste governo democrático-popular.


Mesmo assim, Edilza representa o secretário José Júlio em diversas atividades e este com a pasta do ex-secretário de Planejamento Carlos Guedes, o qual, não passou muito tempo desempregado, pois logo em seguida de sua renúncia ao cargo, foi convidado para ser assessor do Ministério do Desenvolvimento Agrário.


Saiu insatisfeito com o esvaziamento de sua secretária, onde os irmãos Monteiro, possivelmente teriam mexidos as pedras do tabuleiro do governo. É a DS que outrora, criticava os grupos internos mais antigos no PT por não terem sua "unidade".

Foto de Elizeu Dias - Agência Pará

Retrospectiva 2007 (Parte I)



2007 foi mesmo um ano ímpar, me disse uma amigo..eu ligth que estava, disse-lhe: é claro, todos não o são ?!
Mas algo este ano nos deixou de certa forma mais reflexivos - ou seria flexivos - politicamente falando e eu e ele fomos lembrando...


Em 2006, assistimos Lula, vir à Belém e em plena Av. Pedro Miranda sob o sol escaldante pedir voto e apoiar Ana Júlia e Priante ao mesmo tempo, no mesmo bate-palanque com Jáder Barbalho, Paulo Rocha e Ademir Andrade, três notórios líderes políticos, arrolados em processos por acusações de envolvimento ilícito com recursos de campanha e coisas do genêro. Lá, Lula-aqui disse uma de suas frases que entraram para a história deste país: "Hoje aqui está tendo uma aula de articulação política". E era mesmo verdade. A mídia se roeu!

Quanto às denúncias cabe a apuração rigorosa e agora todas são de responsabilidade da justiça. Ana Júlia, Zé Geraldo e Beto Faro, também sofreram os últimos anos com sérias acusações com supostos envolvimento com fazendeiros e madeireiros do Estado. Sem falar da operação da PF, que levou algemadas 18 pessoas, entre elas o ex-senador Ademir Andrade em 2006 (mas é outro ano, não cabe mais lembrar, ou cabe?)

Ou seja, levianos ou não os fatos precisam de apuração o mais rápido possível para não exporem vítimas e/ou responsabilizar por seus crimes aqueles que desviam suas funções públicas, causando prejuízo à nosso pobre povo e virem à tona cada período de dois em dois anos, para depois desçarem em paz nas gavetas de nosso sistema judiciário até retomarem seu folêgo novamente em outra eleição.

Jader, temporariamente esquecido pelos noticiários e inimigos, aplaudiu em ao ver a polícia federal que outrora, lhe pulsera a “pulseira do Roberto Carlos”, colocar a mesma prateada em outras personas da política Paraoara, como na ação que finalizou com a prisão de dezoito pessoas entre elas, o ex-senador Ademir Andrade em 2006. A pergunta que fica no ar é quem em 2008 poderá imputar o dedo na face do outro para dizer algo, sem ter que esperar a recíproca, mesmo que seja apenas perseguição política*, as acusações que recaem sobre si?

O filho do ex-governador aposentado, o peralta Marcelo Gabriel, sócio-proprietário da empresa onde foram executados os irmãos Novelino - que também, não devem ter ido para o céu - está todo enrolado.
Resta ainda a equipe dos 12 anos de tirania tucana e "democrata", ah...Mas dessa galera, mexendo aperece muita coisa...é só mexer!

Vejam aí o desdobramento da operação Rêmora e das investigações do MP, em cima do Ex-secretário de Almir Gabriel, o marginal de vulgo Dr.Fernando Dourado que quando secretário de saúde se lambusou nas contas da SESPA ao qual contratava empresas de seus familiares, com superfaturamentos gigantescos em benefício próprio de ao certo de seus padrinhos Vic/Valéria Pires Franco.

No mais, faltou o Dudu encarar um xadrez, mas este de caso antigo com juízes e juízas, se livra dos delitos que insiste em cometer contra a ordem pública e o povo desta cidade. Mas um dia o pau acha ele e tomara que este pegue uma cana-dura, pois provas contundentes ele coleciona à décadas, assim como o Senador Mário Couto e tantos outros larápios que soltos mantém suas contas (não cuecas, pois são profissionais) cheias de dinheiro público.

Ainda teremos cenas nos próximos capítulos com mais gente graúda outrora, caíndo como jaca madura.

Ninguém Merece


A PRODEPA sofreu intervenção judicial para reintegrar servidores que foram vítimas de assédio moral e como consequência foram afastados pela direção do orgão. A CUT comprou à favor dos trabalhadores e apoiou os servidores na busca jurídica por seus postos de trabalho.

Mesmo assim havia resitência por parte da direção que sugeriu que os servidores - mesmo com mandato judicial nas mãos - "ficassem em casa esfriando a cabeça" . Uma afronta à Justiça e aos direitos dos servidores públicos.

Além da Prodepa, trabalhadores da COSANPA atravessam uma onda de autoritarismo e desmando.

Pior: Nos dois orgãos, esses atos partem por dirigentes que se dizem petistas!

Aos tiranos pós-modernos: Se toquem se não papai-noel não deixará nada ao lado da lareira de vossas casas e ainda pode tomar a estrelinha vermelha que fica guardada na gaveta dos seus gabinetes!

O Blog estará vigilante quanto à postura reacionária em torno dos dois orgões estaduais. "Chega disso neste Estado", não foi isso que foi dito e repetido pela governadora?

Happy Birthday, ou seja, Parabéns!



Está de pé no berço, a governadora Ana Júlia.

Pelo que tudo indica, não haverá parabéns públicos nem tão pouco festa à governadora capricoriana, mas de qualquer forma o blog deseja saúde e serinidade à primeira governadora eleita pelos votos de milhares de pessoas que aguardam ansiosos mais e melhores mudanças neste imenso Estado do Pará.

Parabéns!

Foto: Eunice Pinto. Agência Pará

sábado, dezembro 22, 2007

Brincadeira de gente adulta e imprudente


Uma menina de 11 anos morreu afogada em uma das piscinas da sede social do Clube do Remo, no bairro de Nazaré, na manhã deste sábado (22). A estudante Samara Carolina Souza Nascimento estava na companhia de uma irmã de 15 anos e de colegas do colégio Tiradentes I, um deles atleta de basquete do clube, no momento do acidente, por volta das 9h30. A menina não sabia nadar.


Testemunhas contaram que a menor, inicialmente, estava na piscina pequena do clube e depois passou para a piscina de adultos, onde estavam os outros adolescentes. 'Estava todo mundo junto, quando vimos ela já estava se afogando. Foi tudo muito rápido', contou o estudante Márcio Chagas Barros, de 14 anos. Ele é o atleta com quem a menina e a irmã entraram no clube.


Ainda segundo o adolescente, os colegas retiraram Samara da piscina e chamaram uma enfermeira do clube, que tentou reanimar a menina. Uma viatura do resgate do Corpo de Bombeiros passava pelo local na mesma hora e foi acionada. Os bombeiros também tentaram reanimar Samara, que já estava morta.


A família da menina foi avisada por telefone e a mãe e uma tia se deslocaram do bairro do Jurunas, onde moram, até a sede do Remo. Desesperada, a mãe de Samara, a dona de casa Ruth do Socorro Santos de Souza, chorava abraçada ao corpo da garota.


A tia, Rosa Helena Santos, contou que Samara mentiu para família antes de ir tomar banho de piscina no Remo. 'Ela acordou cedo e disse que ia fazer um trabalho da escola, a gente acreditou e deixou ela ir. Nunca passou pela nossa cabeça que ela viria para cá e nem que tinha levado roupa de banho', contou.


No colégio Tiradentes, Samara e a irmã Suzane, encontraram Márcio Barros e mais dois amigos. De lá eles seguiram para a sede do Remo. A tia não soube informar se Samara já tinha mentido outras vezes para ir tomar banho de piscina no clube. 'Se ela mentiu antes, não sabemos, mas infelizmente isso aconteceu hoje', afirmou.


Mãe e tia disseram não ser sócias do clube e se indagavam como as meninas tinham entrado no local. 'Nunca viemos aqui, não somos sócias desse lugar', afirmaram. 'Só sabemos que um porteiro deixou eles [o grupo de adolescentes] entrarem, porque elas estavam junto com um atleta daqui', complementaram. O porteiro do clube, que pediu para não ser identificado, confirmou só ter deixado a menina entrar porque ela estava com Márcio Barros.No momento do acidente não havia salva-vidas monitorando a piscina do Remo. Também não havia nenhum responsável pela sede quando o afogamento aconteceu. Um conselheiro do clube informou que neste sábado as piscinas só abririam ao meio-dia. 'Infelizmente foi uma fatalidade isto que aconteceu', afirmou.


Ainda segundo outros sócios que estavam no local, os adolescentes teriam pulado o alambrado - que estava fechado - para chegar até a piscina.


Polícia - Uma viatura da 2ª ZPol esteve no local para procedimentos e encaminhou a mãe da menor para a Seccional de São Brás.


Lá, ela registrou queixa do afogamento e o caso está sob responsabilidade da delegada Maria Lúcia Costa. Segundo policiais de plantão na delegacia, o porteiro da sede social, além de testemunhas e responsáveis pelo clube serão chamados para prestar depoimento.


A polícia solicitou a remoção do corpo ao Instituto Médico Legal, do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. O cadáver deu entrada no centro por volta das 13h50.

O corpo de Samara Carolina foi liberado para sepultamento no final da tarde deste sábado.

Redação On Line do Portal ORM.

Num País sério, ou se a vítima fosse filha de um sócio-remido, ou parlamentar, empresário, entre outros abençoadas pela “graça divina do dinheiro e do poder” a polícia lavraria um Flagante na hora em quem quer que estivesse responsável pelo clube e no mínimo encerraria a festa de confraternização que transcorreu normalmente, mesmo depois do trágico desfecho naquele local.

Cabe apuração séria sobre os responsáveis e repensarmos sobre nosso espaços de lazer, sonegados pelos gestores aos moradores de áreas periféricas, assim como a DESPROTEÇÃO SOCIAL de nossas crianças e adolescente, pobres pra variar!

segunda-feira, dezembro 17, 2007

O RECADO DO PT MAJORITÁRIO

Majoritário no PT, agora só o que há é o recado da Militância e foi com esse espírito que ontem se deu o fim do 2º turno do Processo de Eleição Direta do Partido dos Trabalhadores.
Com a vitória de Berzoini na Chapa Nacional, João Batista na Estadual e Adalberto Aguair em Belém e na maioria dos municípios paraenses, a tendência do Presendente Lula em conjunto com setores progressista do PT com seus militantes históricos, manda seu recado para a sociedade.

terça-feira, dezembro 11, 2007

UEPA e a História do PT

A UEPA espera ansiosa pela nomeação do reitor eleito, Sr. Silvio Gusmão. O Sentimento é de todos os professores, estudantes e servidores que lhe confiaram a vitória sobre os demais candidatos, entre eles o secretário adjunto da SEDUC, o Bira. Como todos sabem a campanha deste foi super-estruturada, lembrando outros candidatos apoiados pelos governos passados, onde esbanjava-se finanças. Assim, é compreensível o temor de que haja um golpe na democracia e que Bira venha a ser indicado pelo governo, através da lista tríplice, criada pelos milícos em plena ditadura para impor na marra a vontade de quem estava no poder. Mário Cardoso, atual secretário da SEDUC, passou pela mesma ansiedade que Silvio Gusmão hoje atravessa. Criticou na mídia a caneta tucana que nomeou outro que não havia sido eleito, assim como diversas lideranças do PT que o defenderam. Resta saber qual a posição de todos que estão no governo diante do impasse criado com a afirmação de quem ganha, nem sempre há de levar. A UEPA e nossa história esperam coerência.

quarta-feira, novembro 21, 2007

Pierre Verger no Ver-o-Peso


Muito Desigual


Terminou ontem a eleição para reitoria da UEPA. Provavelmente com a vitória certa do candidato apoiado pelo governo. Com Fernando Palácios na era tucana foi assim mesmo.

Particularmente, acho que este tipo de disputa assemelha-se com eleições para deputado e isso acaba ferindo a autonomia de nossas universidades, pois candidatos sem estrutura financeira ficam impossibilitados de apresentar sua plataforma política e a universidade acada reproduzindo os vícios herdados da política eleitoral, tanto da UEPA quanto da UFPA é assim.

Entre os candidatos deste pleito um detalhe: Só um tinha estrutura e que estrutura !

Quem quiser comprovar é só dá uma olhada nos Outdoors espalhados por aí e sentir o quanto a reforma política faz falta, inclusive para dentro de outros espaços institucionais e não só o parlamento e o executivo brasileiro.

sábado, novembro 17, 2007

Pierre Verger no Rio


Falta de Tinta

Deve faltar tinta na caneta de nomeações do Governo do Estado, pois até agora não nomeou a professora Socorro Brasil que assumiu desde julho a Diretoria Geral da Escola de Governo no lugar da também professora Edilza Fontes, considerada braço direito de Ana Júlia.
A secura no tinteiro é de causar estranheza pois a atual titular da Escola é ligada ao grupo do Dep. Federal Paulo Rocha e este e seu grupo sofrem grande assédio e ao mesmo tempo isolamento por parte da DS, o grupo da governadora. Uma busca pela hegemônia partidária, que faz o PT ser o que é.
Muitos servidores públicos de dentro e de fora da EGPA e lideranças de movimentos sociais que participam das ações de formação e requalificação, promovidas pela instituição, reconhecem a competência de Socorro Brasil à frente da instituição.

quarta-feira, novembro 07, 2007

Vivo, nem morto!

Um projeto de lei apresentado pelo deputado Carlos Martins, que dispõe sobre a denominação de logradouros, obras, serviços e monumentos públicos, foi aprovado em primeiro turno nesta terça-feira (06/11). De acordo com o projeto, esses espaços públicos não podem receber o nome de pessoas que tenham ocupado cargos públicos até dois anos após o desligamento delas. Exemplos ridículos dessa prática estão por todo o Estado do Pará. Em Jardelândia, bairro de Ananideua que foi ocupado e seus moradores depois receberam seus títulos pelo mesmo governador que o auto-nomeou, tem uma escola com o nome de sua ex-esposa Elcione Barbalho, recentemente outra ocupação nasceu como o nome do "Filho do Homi": Helderlândia. A ex-Che Guevara do dia pra noite recebe o nome de Almir Grabriel. Algum em comum? Seguindo o exemplo, Jatene como uma de suas últimas ações como governador, assina seu título de professor-doutor em plena Almirante Barroso, causando naúseas em quem por alí passava, durou dois meses. Durou muito!

Natal dos temporários

Se você tiver a oportunidade de conhecer algum temporário que fora demitido este mês, perceberá o quanto é doloroso perder seu emprego depois de 15, 20 anos de serviço público contratado. Avaliando o impasse que a justiça causou com a obrigatoriedade aos governos estaduais, resta uma pergunta: não seria mais humano e politicamente correto demitir depois do fim-de-ano ??

Operação Mecenas

Nota Oficial
O Ministério da Cultura e a 'Operação Mecenas'
Na manhã desta terça-feira (6 de novembro), a Polícia Federal cumpriu cinco mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão, como parte do inquérito que apura irregularidades na tramitação de projetos postulantes aos recursos da Lei Rouanet, na chamada "Operação Mecenas". As investigações, pedidas pelo Ministério da Cultura a partir de uma denúncia, levaram à prisão uma servidora do MinC e mais quatro acusados, ligados a duas empresas de consultoria a projetos culturais. Ao longo dos últimos seis meses, a articulação e cooperação entre o MinC, a Controladoria Geral da União e a Polícia Federal foram essenciais para assegurar uma investigação minuciosa. O inquérito policial está sob segredo de Justiça. Porém, já podemos informar que o esquema irregular consistia no travamento da tramitação de projetos com maior potencial de captação de patrocínios e com valores mais elevados. A partir daí, integrantes das empresas G4 e Mecenas ofereciam seus "serviços" aos proponentes desses projetos, para assegurar a tramitação dos mesmos. Para isso, ainda segundo as investigações, contariam com a participação da servidora acusada. O Ministério da Cultura informa que as irregularidades atingiram 20 projetos, de um total de oito mil que tramitam anualmente no ministério. Isso, entretanto, não diminui a gravidade do fato. Caberá ao MinC instaurar o processo administrativo disciplinar para apurar as responsabilidades da servidora envolvida no caso, que terá assegurado o amplo direito de defesa. As providências, no âmbito criminal, estão a cargo da Polícia Federal. O Ministério da Cultura continua empenhado e atento para que todas as nossas atividades sejam pautadas pelos princípios constitucionais que regem a administração pública e pela ética que tem caracterizado nossa gestão. Esta postura republicana implica assegurar que todos os projetos postulantes aos recursos públicos oriundos do Fundo Nacional de Cultura ou de renúncia fiscal tramitem em condições de igualdade e em processos transparentes. O MinC reafirma sua determinação de investigar todos os indícios de atos ou fatos que possam comprometer o interesse público.
Brasília, 6 de novembro de 2007.
Ministério da Cultura

sábado, outubro 20, 2007



"Vou penetrar
A escura rua
Com minha lua
No teu existir

Vou me sentir
Alguma coisa inserida
Entre o homem e o menino
O estado da flor
A violência explosiva

Vou gravar a fita
Passar a limpo
Limpar os sapatos
Dançar em ti
Com teus saltos altos"

© CAETÉ


sexta-feira, outubro 19, 2007

Ventos forte de que um possível chega-prá-cá esteja para ser visto no cenário Político Paraense. Com a notória crítica feita por Dudu & Cia aos tucanos e seus mandatos, demostram a possibilidade de Dudu estar ao lado da caneta governista no próximo pleito em Belém.

terça-feira, outubro 16, 2007

Quem quer 2, perde em 2010


Muito ba-fa-fá em torno do nome que sairá do PT para disputar a prefeitura de Belém. Na DS - tendência da governadora Ana Júlia, a indicação de pretensos nomes está indefinida, até agora dois secretários disputam a questão: Suely Oliveira (SEDURB) e Edilson Moura (SECULT).

No Campo Majoritário, Mário Cardoso parece ser o nome preferido, mas Waldir Ganzer também se apresenta.

Quanto ao futuro, ninguém duvida: todos que lambem os beiços para abocanhar mais poder com a eleição de 2008, haverão de levar em consideração a eleição de 2010, ou seja, quem não abrir mão agora, poderá ter o retorno disso dois anos depois.
Paulo Rocha observa com mais interesse o Senado em 2010.

Ana Júlia e Jáder Barbalho querem o que mesmo?

segunda-feira, outubro 08, 2007

Citzen Bank

O vice-governador Odair Corrêa é o centro de uma acusação séria e grave sobre desvios no Banco do Cidadão. Cabe defesa e explicações, mas o ônus pelo que sei é de quem acusa. O que temos adiante?
Em um jornal local o vice-governador dispara:
"não ficará pedra sobre pedra. Todos os envolvidos serão punidos" e enfatizou que "não compactua com bandidos, nem faz acordos com gente assim". Teria salientado, ainda, que "não fez campanha pelo estado inteiro, pregando a transparência, para se sujar por R$ 30 mil".
O Banco suspederá suas operações por 20 dias até que sejam apuradas as denúncias.
Nunca um vice-governado do Estado havia sido tão badalado pela mídia paraoará desde Carlos Santos, vice de Jáder Barbalho tempos atrás...

Os Blogs, o "Povo", e a Opinião Pública

do blog 5ª Emenda

Admite-se, desde Poulantzas, que o poder no Estado não é monolítico, e que a luta pelo domínio das esferas de poder é permanente e mutante.Governos de coalizão tendem a acentuar essas disputas, e às vezes, membros da coalizão se desmembram ao chegar no poder.É certo, salvo alguma exceção que neste post queira se apresentar, que as maiores lideranças políticas deste estado - as que estão no poder ou longe dele - não conhecem detalhadamente estas teses, senão alguns de seus assessores mais dedicados ao estudo das questões do poder, que as transferem, sob a forma de sugestões de procedimentos decisórios e executivos, de volta às lideranças.É certo, ainda, que alguns poucos leitores e comentaristas do Quinta também desconhecem estas e outras descrições científicas dos meandros nos quais se esgueira a política, e aí sentenciam, por vezes de forma irrecorrível, com base nos desatinos deste ou daquele governo, a sua sorte, o seu destino.Trata-se de um equívoco.Outros, que desafortunadamente nunca foram apresentados a Gramsci, por exemplo - que aliás tem interessantes pontos de contato com Poulantzas - acham que é o "povo" quem faz a opinião pública, e daí derivam juízos de valor e hierarquias entre mídias.Lamento dizer que também se equivocam, profundamente.A respeito dessa hierarquia, cumpre informar que blogs são ferramentas cada vez mais efetivas na construção da opinião pública, mais do que pensam, gostariam, ou estariam preparados para tal os seus signatários, este inclusive.Mas são ferramentas muito efetivas sim.Mesmo neste sistema, nestes tempos, nestas terras. Ou seria por isso mesmo?

sábado, outubro 06, 2007

PAC da Cultura e a Playboy


Depois de tanto reboliço, ameaças, artigos, cpi´s e coisas do genêro, a jornalista Mônica Veloso, ex-amigante do Senador Renan Calheiros, resolve mostrar as estrelas que fizeram a mídia, a política e os empresários brasileiros agitarem-se, agora é a vez das bancas de revistas.



Era quarta-feira de manhã, aqui em Brasília, estava eu saindo do lançamento do Cultura Mais, também chamado de PAC da Cultura, o qual e irá destinar mais de 5 bi para esta área e desenvolverá um verdadeiro choque no setor, pois além dos recursos financeiros, haverá finalmente a integração de diversos ministérios e programas federais, fazendo com que a Cultura chegue à maioria dos Brasileiros, seja através do Vale-Cultura, dos Pontos de Cultura e demais programas do MINC.




Terminanda a cerimônia, deparei-me em frente ao ministério da Cultura com um fila de "empaletozados", assessores, assessoras, servidores e público em geral, à espera de sua vez para uma compra inusitada, adivinhem do quê !!



Se a pensão desta moça - capa da Playboy deste mês - foi paga com recursos públicos há de se apurar, mas uma coisa já podemos ter certeza: Tá assim de gente querendo engravidar de homens influentes na política Brasileira, já que jogador de futebol já não dá muito Ibope e nem se mantêm no cargo, caso pise na bola.

terça-feira, outubro 02, 2007

Sucessão Esperada

Zé Geraldo, atual presidente do PT-PA, não contará com a ajuda do Campo Majoritário para sua reeleição. Há forte inclinação do apoio da maior tendência interna do PT - Articulação Unidade na Luta - em apoiar o Dep. Estadual Carlos Bordalo, o qual comemora e agradece. A crise se desenrola desde a indicação do ex-dep. Estadual Mário Cardoso à candidato ao Governo do Estado. Articulada com Zé Geraldo, Ana Júlia obtém apoio em Brasília com o PMDB e através dos caciques do partido, consagra-se a candidata, contrariando a indicação estatutaria do PED que indicou democraticamente Mário Cardoso. Depois disso, Zé Geraldo foi diversas vezes reclamado por não assumir postura de um presidente partidário, nos momentos de composição do governo Ana Júlia, articulando em favor de sua tendência ao invés do partido como um todo. O resultado? É espera para ver e crêr !

quarta-feira, setembro 19, 2007

Chupa essa Manga e Comunica !

Há um contraditório grave entre a análise social, política, cultural e econômica e a proposta de política de comunicação do governo Ana Júlia, destaca-se: 1. Propõe democracia na comunicação, mas mantém distância do conjunto de recomendações e diretrizes apontadas pelo plano de governo, PTP e demais fóruns que discutem a Comunicação Social em nosso Estado. 2. Centraliza na coordenadoria de comunicação (futura secretaria de estado) com a justificativa de unidade, contigüidade e coerência, a política e o sistema de comunicação sem a devida participação popular e o controle social. 4. Prevê relacionar-se com a iniciativa privada (agências de publicidade, empresas de comunicação e produtoras) com mais controle estatal, mas sem o fomento às rádios e Tv´s comunitárias, produtores independentes, nem tão pouco aponta para absorver membros da sociedade civil organizada e/ou estudantes para discutem a comunicação no sistema integrado de comunicação do Pará.
Leia e opine: http://www.pa.gov.br/downloads/MANUAL_DE_PROCEDIMENTOS.pdf

Rangar no Hangar das Cidades.

Dias 20, 21 e 22 - Quinta, Sexta e Sábado - no Hangar, acontecerá a III Conferência das Cidades, momento ímpar para reunir gestores e sociedade civil para juntos construir a agenda do pretenso desenvolvimento equilabrado das cidades do Estado do Pará. Compareçam, a entrada é livre e a participação de cidadãos e cidadãs fortalece uma nova cultura participativa no desenvolvimento de políticias públicas essências ao povo de nosso Estado. Transmissão ON LINE e outras informações: http://www.conferenciadascidades.pa.gov.br/

sábado, setembro 08, 2007

O VICE-GOVERNADOR DO ESTADO QUE FALA MUITO E MAL

De Lúcio Flávio Pinto

Quando candidato, o atual vice-governador Odair Corrêa não apareceu uma única vez nos programas da governadora Ana Júlia Carepa. Foi um dos mistérios da campanha eleitoral do ano passado. Mistério menor, ainda assim intrigante. Se não era usado na propaganda em busca de voto, era porque não somava? Quem sabe, podia até diminuir a votação da cabeça de chapa? Mas por que, então, foi escolhido como seu parceiro? Seria porque, sendo de outro partido, o PSB (já em trânsito para o PMDB), mas sendo também inócuo, não comprometeria a sempiterna estratégia do PT de não dividir o poder, mesmo quando em coligação compulsória, como a que foi obrigado a fazer em 2006?

Se foi por isso, Odair está começando a adquirir contornos inesperados, com elementos de Carlos Santos (em relação a Jader Barbalho) e Hélio Gueiros Júnior (diante de Almir Gabriel). Politicamente, ele sempre foi inexpressivo: sequer conseguiu se eleger vereador em Santarém, sua terra natal. Para tanto, não precisava nem ter mil votos, meta que sempre ficou à distância do seu cacife. Mas era um dos líderes da campanha pela criação do Estado do Tapajós (ou do Baixo-Amazonas), liderança que talvez se baseie na fragilidade desse movimento, e assim foi apresentado à aliança - e assim se apresenta agora.

Mas se vê que o vice-governador é um daqueles que empunhou a bandeira sem um conhecimento mais profundo quanto ao seu significado. Seu conhecimento é superficial, com fundamentação empírica, por intuição ou entusiasmo, não por reflexão adequada. Sem outras armas, ele se deixa levar pela onda da oportunidade, onda que o levou ao mais polêmico de seus movimentos: ir ao vizinho Amazonas defender a redivisão do Pará.

Se o comparecimento tivesse sido a um seminário ou a uma mesa-redonda, era uma coisa. Tratava-se, porém, de uma audiência pública. A designação procura dar a idéia de que o ato faz parte de procedimentos para o processo de retalhamento do Pará, como são as audiências públicas no rito do licenciamento ambiental. Não possuem apenas caráter acadêmico: têm intenção deliberativa. Visam conseqüências práticas, não só blá-blá-blá.

O vice-governador sustentou que o Amazonas se tornou lugar legítimo para audiência pública sobre a reconfiguração territorial do Pará porque já abriga um contingente demográfico representativo de pessoas originárias do que pode vir a ser o Estado do Tapajós. Numa entrevista a Mauro Bonna, no Diário do Pará, o vice disse que, "nos últimos anos, mais de meio milhão de paraenses da região Oeste e Baixo-Amazonas migraram para o Amazonas". Já para O Liberal ele declarou que "o número de paraenses, seus descendentes e familiares, já ultrapassou 300 mil na cidade de Manaus".

A imprecisão é grande, demasiada. Na primeira entrevista, fala "nos últimos anos", sem esclarecer quantos. Na outra declaração não há referência temporal. Na primeira, em dado período, que não especificou, mas tem duração restrita, a migração foi para todo Amazonas e somou 500 mil. Já na outra entrevista, a referência é a um saldo histórico acumulado, talvez desde quando moradores da parte ocidental do Pará começaram a se estabelecer do outro lado da divisa estadual, chegando a "apenas" 300 mil, mas só na capital amazonense.

Pode-se confiar nessas avaliações, exageradamente abstratas e imprecisas? Claro que não. Admitindo-as, entretanto, apenas para efeito de raciocínio, que significação tem essa grandeza populacional se esses paraenses não estão no Pará e, por conseqüência, não poderão votar no plebiscito, restrito aos residentes no Estado?

Aí está o grave da questão. O vice-governador pode ir ao Amazonas defender suas idéias separatistas (espera-se que não o faça com ônus para o erário paraense, por questão ética, moral e de coerência), mas não pode violar os compromissos legais a que está sujeito. E o que ele defendeu é ilegal.

Ele quer que a consulta sobre a criação do novo Estado se restrinja aos moradores dessa área que propõe emancipar. Já é manso e pacífico o entendimento de que o plebiscito se aplica a toda a área do Estado e não apenas ao pretendido território novo. Feita a consulta geral, o Senado decidirá sobre a mudança, submetendo a deliberação ao presidente da república, para confirmação ou veto.

A discrepância manifestada pelo vice representa, ela, sim, uma violação aos seus compromissos legais, não só como autoridade pública, que jurou cumprir e fazer cumprir a Constituição paraense (além da nacional), mas também como cidadão, que não pode ignorar a lei.

Se sua interpretação fosse legal e legítima, a que ela o conduziria a partir daí? A, como um Moisés mocorongo, trazer de volta ao Pará os 300 mil ou 500 mil paraenses que estão do outro lado do mar verde, para aqui votar no eventual plebiscito sobre a criação do novo Estado? Ou tentar fazer com que possam votar sobre o destino de um Estado, encontrando-se em outro? A primeira hipótese seria crime: transportar eleitor na véspera ou no dia da eleição. A outra, também: romperia o princípio federativo, que é cláusula pétrea na organização constitucional do Brasil.

O vice-governador Odair Corrêa é como aquelas pessoas pelas quais Cristo pediu a clemência compreensiva do Pai: não sabe o que diz.

quinta-feira, agosto 30, 2007

Assim M_Ana ...


O que se temia, aconteceu. A governadora Ana Júlia Carepa, de uma só canetada, definiu as entidades que "democraticamente" representarão a sociedade civil organizada no Planejamento Territorial Participativo.

Ao invés de dez, como haviam ventilado pelas principais Secretarias de Estado, apenas três foram convidadas sem nenhum processo eletivo como deveria ser: OAB, CUT e FIEPA.

Ontem, durante a apresentação dos membros do conselho, a DS - tendência interna do PT e de Ana Júlia, foi o grupo político que mais conselheiros somou no conselho estadual do PTP.
Logo atrás vem o PMDB que investiu pesado nos municípios e teve todos os interesses de Hélder Barbalho, bancados nas plenárias metropolitanas. Dudu com as vais recebidas na primeira fase do processo, resolveu negociar por cima e não investiu como o visinho de Ananindeua.

Na foto acima, o Secretário de Planejamento, Orçamento e Finanças, Sr. José Júlio, literalmente abre o bolso para aprovar o início das obras da Avenida Independência, no município de Ananindeua com recursos do PTP e não de onde ele pretendia que era esperar os recursos federais prometidos pelo governo federal para ajudar nas obras de infra-estrutura do Fórum Social Mundial.

Os movimentos sociais organizados, históricos como: Defensores dos direitos das crianças e adolescentes, direitos humanos, negros, religiosos, populares, comunitários, microempresários, economia solidária, cooperativas, Ong´s e demais representações da sociedade civil foram devidamente excluídos da estrutura do conselho que se pretende ser a representação da sociedade paraense.

Assim Ana Júlia e sua equipe de governo, implantam um projeto hegemônico que não abre espaço para quem tem projeto político definido. Fecha-se para dentro e impede aliados históricos de contribuir no planejamento de um novo Pará. Em contrapartida, fecha acordo com políticos de partidos que historicamente lhe fora hostis.

Como se não bastasse, não mostrou até agora como e onde, irá discutir o modelo de desenvolvimento do Estado, já que investimento em concreto e asfalto não basta para desenvolver um Estado e pouco, muito pouco, além disso, foi apontado como prioridade pelos prefeitos que deram o tom ao PTP da governadora do Pará.

Mas assim M_Ana...

terça-feira, agosto 28, 2007

Homor Negro na Imprensa Paraense

Publicado no Caderno D da última segunda-feira.



Pelo jeito que a imprensa brasileira anda sendo criticada, muitos da chamada "opinião pública" que nada mais passa de opinião dos donos dos meios de comunicação, estão por certo, desatentos demais para o ato de informar e transformam-se em verdadeiras quitandas de notícias, como um dia citou Lúcio Flávio Pinto em referência à instável posição da ORM frente à Vale do Rio Doce.




Com efeito é logo que encontrado por um dos herdeiros de Rômulo Maiorana, espancado por este e alguns capangas em um famoso e "chique" restaurante da cidade. Ninguém faz nada e o bravo jornalista fica cheio de ematomas em todo o corpo. Imprimia-se a verdadeira face dos que falam em liberdade de imprensa.




Agora com a disputa entre o Jornal O Liberal e o Diário do Pará pela liderança em número e qualidade, já que a peça publicitária que afirmava que O Liberal era o maior, foi alterada para o melhor jornal do norte-nordeste, pelo fato do CONAR ter intimado a Delta propaganda, agência publicitária responsável pela peça que circulou durante anos à fora, a retirar a falsidade do "ar".
A Mentira, atestada pelo IVC - Instituto de verificação de Circulação, tentou maquiar a farsa, que omitia a real situação de crise que o império ORM enfrenta.




Muitos são os pesadelos que os Maioranas enfrentam, um deles é que o investimento na ORM cabo, que custou alto às contas da empresa, foi um fracasso de empreendimento no Estado. Um segundo motivo se dá pela derrota do grupo político (PSDB/PFL) que mais pagou à indústria da notícia e durante 12 anos vendeu aos telespectadores, ouvintes e leitores, um Pará fictício. A mesma receita é seguida pela RBA, que faz de Ananindeua uma cidade modelo, mas basta uma visita a qualquer bairro, à esquerda da BR 316 para que se comprove a realidade: Inexistência de água tratada e encanada, lixões com crianças catadoras, lama onde o asfalto é raro, falta de médicos, entre outras mazelas, são a marca da atual gestão em Ananindeua.




Um outro motivo se dá pela anulação do convênio que garantia o verdadeiro mensalão, de mais de meio milhão de reais para a TV Liberal usar as torres da FUNTELPA, uma afronta ao bom-senso e ao dinheiro do povo-contribuinte.




E como desgraça quando chega vem acompanhada, o maior grupo empresarial do Pará, (Yamada), impõe uma "jejum" à ORM e não anuncia nada em seus meios de comunicação, em retaliação às regras impostas aos anunciantes e rechaçada pelo japoneses que mais vendem fiado no Pará.




Não sabemos até quando ambas as partes pedirá arrêgo, mas uma coisa é certa: 2007 foi o pior ano para os que não perdem a pompa e se dão o luxo de comprar uma rotativa deprimeira linha, que deu mais qualidade e velocidade na impressão do jornal, mas sucesso empresarial (e político) que é bom, neca!




Com a vitória de Ana Júlia a bajulação dispensada pelos maiores concorrentes da comunicação no Pará- RBA e ORM, fica uma pergunta no ar: Quem está de bom "homor" Jáder ou Rominho ?

Lúcio Flávio, o PMDB e o PT em Ananindeua


A provocação feita ao PT de Ananindeua pelo pequeno, porém realista artigo de Lúcio Flávio Pinto em seu jornal pessoal da 1ª quinzena deste mês, gerou desconforto entre militantes daquele município.


Antes, com a secretaria de cultura nas mãos de Luiz Freitas (PT), dizia-se que a aliança inédita nos municípios paraenses entre o partido de Jáder Barbalho e o dos trabalhadores já trazia diversas observações aos mais atentos, que víam alí apenas a consolidação de um acordo entre alguns dirigentes do PT de Ananindeua e o PMDB de Hélder e que em nada interferia na condução da política que era centralizada pelo principal herdeiro de Jáder. Agora com a consolidação de mais um novo espaço (secretaria de Agronegócio - Felipe Bastos) são três os espaços importantes (?) ocupados pelo PT - ou algumas lideranças, como queiram!

Lúcio Flávio só esqueceu de citar o espaço disponibilizado por Heldér ao ex-secretário da extinta secretaria de cultura e ex-candidato à prefeito pelo PT, Luiz Freitas.

Há luz nesse fim-de-túnel? Ou o PT consiguirá um dia eleger vereadores e oxalá um prefeito na segunda maior cidade do Estado?

O mensalão em todos os lugares

Domingo passado (25/08) durante o programa Canal Livre na Band, Roberto Jefferson, ex-deputado "caçado" por receber mais de 4 milhões de reais, naquilo que ele mesmo denominou de "mensalão", reafirmou tudo que dissera anteriormente, lançando diversas lideranças do PT na lama.
No próximo domingo (02/10), no mesmo bat-programa e bat-horário é a vez do ex-chefe da casa civil, José Dirceu ser sabatinado por Fernando Mitre e seus companheiros de emissora.
Lembrando que a tropa da oposição e o relator do processo na CPI instalada para o famoso "mensalão" o classificava como chefe da quadrilha, que envolvia um também famoso publicitário, o "carequinha" Marcos Valério que desde o governo Fernando Henrique era frequentador assíduo do palácio do planalto, mas só foi descoberto pelo amadorismo dos petistas dirigente do partido naquela altura do campeonato.
Há quem diga que teremos recorde de audiência do programa e vendagem do DVD que é disponibilizado pela BAND, mas não esperemos nada de novo do ex-homem forte do governo Lula, poiso mesmo, conta com a defesa jurídica, já que julgado e detonado por quase a totalidade da mídia brasileira.
O que mais incomoda neste circo alegórico que vemos em torno desse fato histórico é que o cerne da questão não deixou de coexistir no seio da vida política brasileira. Pelo contrário, a burguesia continua a financiar as campanhas eleitorais e recebendo em troca as obras e serviços de quem se elege, vide o caso dos empresários de transportes urbano de Belém, que aumentam a passagem quando querem, mantém a frota velha e precária e o gestor municipal nada faz, ou faz: apoia!
O interesse público é refém do interesse privado e quanto mais nos afastamos do processo político, menos democracia iremos desfrutar.
Você crer nesta democracia ou no atual democrata, que formulou a denúncia contra os "mensaleiros" ?

Raul Meireles e o PTP Metropolitano


"O Momento é de somar e não de dividir, o momento é de multiplicar e não de separar."


Raul Meireles, ex-petista, agora secretário municipal de Belém, na Plenária do PTP-Belém.

sexta-feira, agosto 24, 2007

Rangar no Hangar IV



No último sábado foi realizado no Hangar a 3ª etapa do PTP e novamente concluo que os interesses dos gestores municipais estão em 1º plano quando se trata de PTP, em detrimento da verdadeira participação popular.

Mas definitivamente me convenci de que a metodologia aplicada no PTP para escuta do interesse público, inaugura um novo modelo de gestão pública no Pará, mas merecemos aperfeiçoar e chegarmos ao ideal, já que o possível até então foi eleger prioridades nas 12 meso-regiões com a forte indução dos prefeitos, junto com cerca de 30 mil pessoas envolvidas no processo decisório.

Durante uma dessa escolhas, o prefeito de Ananindeua, cobrou a obra pautada pela plenária metropolitana e depois de quase uma hora de debate com o secretário de planejamento, venceu o imbróglio criado pela inclusão ou não da Av. Independência na agenda de execução da obra com o início em Ananindeua e não em Belém, já que o gestor municipal de Belém abriu mão desta.


Mas há quem diga que o processo é interessante e que estamos em uma fase embrionária e que isso faz parte do bojo experimental e coisa e tal...

Quero lembrar que em Belém a experiência na gestão de 08 anos de Edmilson Rodrigues, teve como um dos resultados negativos a extinção de duas entidades fundamentais na luta do movimento popular: CBB e FEMECAM, ambas envolvidas no aparelhamento irresponsável da gestão de Ed, como era carinhosamente chamado por alguns.

E o OP que depois virou Congresso da Cidade e acabou com uma simples canetada de Duciomar “deu as” Costa(s), não é uma experiência que nos mostra o equívoco de não institucionalizar políticas de governo que tragam à mesa do Estado, a participação popular efetiva?

Com a leitura da “Carta dos Movimentos Sociais ao PTP” lida pela Professora Zélia Amador durante a plenária metropolitana do PTP, o governo acena para a inclusão de algumas entidades representativas da sociedade civil organizada no conselho estadual do PTP, junto com os demais conselheiros já definidos, mas até agora não indicou como será feita esta escolha.

Oxalá que o bom-senso vença e a coordenação do PTP faça uma plenária específica para deliberar sobre a decisão mas acertada para escolha democrática das entidades, mas se manterem a incoerência de fazer com que a própria governadora faça a escolha à dedo destas, aí é esperar pra ver o resultado deste investimento perigoso e infinitivamente incompatível com o espírito democrático, pois isso colocaria em xeque o controle social em nosso Estado, tal como foi propagado durante todos os 27 anos de vida do PT.

O Dito e Feito do Dudu

O Advogado de Duciomar Costa, Mailton Ferreira, entrará com a defesa do prefeito de Belém e a anaulação do processo iniciado pelo ministério público pelo desvio das carros-viaturas que deveríamservir à saúde do município e foram parar na guarda municipal, entre elas, favorecendo a segurança pessoal de alguns secretários municipais e até servindo para uso de familiares do prefeito. Se condenado, Dudu pode perder o cargo e pegar 3 anos de prisão semi-aberto. Dito e Feito.

quarta-feira, agosto 22, 2007

Irrepararável

Eu me lembro bem: ele entrou na sala com aquele olhar maroto, quase um riso, e ficou ali segurando a língua dentro da boca por alguns instantes. Foi o Marquinhos do PT estadual quem me apresentou. Era um sábado à noite, final de agosto, início de setembro de 2006. Naquela hora da noite só estávamos nós na produtora. Naquela salinha bem ao lado do banheiro onde mal cabíamos eu, o Giorlando e o Davi Pires – ou, se quiserem, toda a criação da campanha da Ana.Lauande tinha em mãos uma pesquisa que ele e seus pupilos acabavam de fechar. Só que ele precisava de dinheiro para pagar os custos. E, é claro, em 30 minutos ele já estava discutindo política, dando seus palpites e sugestões sobre como conduzir a campanha, a televisão... Ao final daquela noite de sábado ele já havia desfiado seu rosário infindável de críticas ao PT e eu tinha uma certeza: havia ganho um grande amigo.A partir dali se intensificaram os contatos, os mails e as visitas bem humoradas e barulhentas do Lauande ao QG da comunicação de campanha. Ao mesmo tempo fui conhecendo os pupilos ao vivo ou por correio eletrônico. Todos tinham por ele um profundo respeito. Assim convivi ou recebi informações de campanha do Júnior, do Jimmy, da Berenice, da Beatriz -, sei lá, devo estar esquecendo muita gente. Sem nenhum exagero: as informações e as análises de dados de pesquisas eleitorais que ele trouxe foram decisivas para orientar a campanha no final do primeiro e durante todo o segundo turno. Sempre havia uma informação secreta que era obtida por amigos postados na campanha adversária. Ou um novo trabalho que viabilizávamos em conjunto. Conversávamos muito e assim – quase de graça – ao final de pouco mais de dois meses eu estava vivendo um dos momentos mais belos da minha vida. Passamos horas ouvindo “vermelho” na festa da vitória. Festejando, bebendo, conversando, planejando o futuro governo.O que mais me chamava atenção no curto tempo de convívio que tive com ele era a capacidade de sentir prazer em conversar, em discutir, em debater, argumentar. Era feliz de um jeito que eu admirava. Um boteco qualquer, o Copa nas sextas-feiras, e estava armado o cenário para muita diversão e gargalhadas.O governo? Cheio de problemas, é claro. Mas ele não tinha a menor dúvida: ruim ou bom era o nosso governo e a gente tinha que dar um jeito de fazê-lo funcionar. Na última conversa mais longa uma grande ironia: ele tomando soda limonada. Alguns quilos mais magro, já fora da SEPOF, mas, como sempre, muito feliz. “Vou voltar a escrever no Blog, Paulo. Alguém tem que combater estes caras”. E lá nos fomos até a uma da manhã atualizando a conversa e planejando o futuro.Na quinta-feira, dia 26 de julho, mandei uma mensagem que deve estar no celular dele até agora. “Preciso falar contigo”, escrevi. E fiquei esperando retorno. Mas quem me ligou não foi ele, foi o Guedes, depois a Socorro Brasil.Fazia muito tempo que uma tristeza tão profunda não se abatia sobre mim. Já me peguei várias vezes chorando, pensando nele. Na estupidez da morte. No vazio que fica. Na dor dos parentes e amigos mais próximos. Afinal é impossível substituir tanta luz pelo nada.Me doeu mais ainda não poder estar em Belém para me despedir dele. Dar um abraço na família. Por isto esta tentativa meio desencontrada de dar um beijo no coração dos tantos que sentem fundo sua ausência.
Paulo Heineck.

terça-feira, julho 31, 2007

A Saga pela memória de Eduardo Lauande


Comunista convicto, Eduardo Lauande foi acolhido no mundo espiritual com grande alegria

Semeou a busca pelo saber e dedicou sua vida no vislumbramento do belo, do justo e do bom.


Não esqueceremos a constribuição deste grande intelecutal, militante e amigo que fostes.

Que Deus te receba e faça com que tenhamos dias melhores, mesmo com tua ausência.

Forte Abraço e receba minhas orações,


ah, tem uma coisa que quero que saibas: Eu sei que você está bem!

quinta-feira, julho 26, 2007

A luta pela "Formação de Opinião" no Pará




Agora para entendermos melhor o que se passa nesse ninho de cobras prá lá de criadas, vamos dar uma olhada no blog antenado do 5ª emenda e logo em seguida no atento Lúcio Flávio Pinto em um artigo revelador sobre o status quo da briga pela formação da DITA opinião pública no Pará.