Pesquisar por palavra-chave

domingo, fevereiro 28, 2010

Zé chama PMDB à razão!

“Falo sobre o delicado momento político e econômico que o Estado do Pará vive em função de decisões equivocadas por parte da presidência do PMDB. Lamentavelmente a Alepa já deveria ter aprovado o empréstimo em 2009 e até hoje não o fez devido ao fato de que o PMDB, que é um partido que tem o poder de decisão, uma vez que ocupa a Presidência da Assembléia Legislativa e a Presidência da Comissão de Finanças, além de possuir uma bancada significativa de deputados no parlamento estadual, está agindo com um tipo de visão mais de disputa eleitoral do que com o compromisso com o desenvolvimento social, econômico e cidadão no Estado do Pará”
Deputado Zé Geraldo em seu site, dando conta dos motivos que o fizeram rasgar o verbo contra a postura "onipotente" de Jáder Barbalho e o seu PMDB no Pará. Em outra parte da matéria postada, Zé Geraldo afirma ainda que “o governo estadual e o povo paraense ficam reféns desta posição política liderada pelo presidente da legenda no Estado, deputado Jader Barbalho. Posição esta que não contribui para o momento brasileiro e paraense. Muito pelo contrário”. E é assim mesmo, na base da chantagem que segue o PMDB junto com o governo, mas como "base" tem agora o momento de "dar a fora" com a quebra dos acordos firmados lá atrás e viabilizar o máximo de exigências para seguir com o governo Ana Júlia. Zé, de alguma forma tentou iniciar uma nova fase neste processo eleitoral que começa de fato à esquentar deixando um recado: A de que o PT pode dar conta de seguir seu rumo com outros partidos, porque não? Acontece que ao descartar de vez a possibilidade de aliança com o PMDB restaria para o PT coligar com outra frente, tão representativa quando, encabeçada pelo PTB à quem inevitavelmente recorre-se ao nome do Prefeito Duciomar Costa à quem Jader, visionário cooptou num acordo onde a base do PMDB na camara municipal de Belém socorreu quando a prefeitura precisou. Os próximos passos dos partidos em órbita ao governo Ana Júlia parecem serem de cobrança de tudo que a DS e o tal "núcleo duro" fizeram e/ou deixaram de fazer. E dane-se o bem estar do povo!

sábado, fevereiro 27, 2010

Porque somos blogueiros!

Do Blog Cidadania.com

Vocês já pararam para pensar na razão pela qual nos dispomos a tudo o que fazemos na Blogosfera diariamente? E notem que, para alguns, é nos sete dias da semana. De dia, de noite, de madrugada. Aliás, pertenço ao último grupo. E não estou sozinho.

Mas o que é que tanto fazemos aqui? Enervamo-nos com o insubstituível contraditório, somos acusados e agredidos, acusamos e agredimos, somos alvos de ironias e as praticamos, sentimo-nos impotentes quando bloqueados em nossas opiniões ou bloqueamos as de outros, ainda que a contragosto.

Sendo franco, meus caros: às vezes tenho que dar razão à minha mulher quando ela diz que isto aqui (esta militância da Blogosfera) é “coisa de louco”. As horas que passamos diante do computador... Por que será que fazemos isso?

E não vá se animando, você que se opõe às minhas idéias políticas, porque os comportamentos que descrevi servem para nós dois, ou para o meu lado e para o seu, se preferir.

Estou tentando entender e dimensionar, também, a disposição das pessoas que aqui, na internet, tornam-se absolutamente verdadeiras, por mais que acreditem poder dissimular devido à sensação de anonimato que o “nickname” confere ao internauta.

Os estados de espírito, o nível baixo a que as pessoas podem chegar quando contrariadas, quão generosas podem ser, quão ardentes e quão indiferentes, como podem passar de um sentimento a outro num piscar de olhos...

É uma sensação estranha apurar, nos contadores de acesso dos blogs e sites, que tanta gente o está lendo e que a quase totalidade o faz em absoluto “silêncio”. Imaginar quem pensa o que é meio enlouquecedor.

Mas acho que descobri por que fazemos tudo isto. É que sentimos que estamos participando das grandes decisões do país. Está ao nosso alcance opinar e, assim, influir. Deixamos de ser o homem na multidão e nos tornamos singulares.

De uma coisa eu tenho certeza: sejamos concordantes ou discordantes, pensamos que estamos fazendo o que devemos em prol daquilo em que acreditamos. Vocês podem gostar do Serra ou da Dilma, da Veja ou da Carta Capital, do Lula ou de FHC, de George Bush, de Barack Obama ou de Hugo Chávez, mas vocês acreditam no que fazem.

Vou lhes contar um segredo: nunca acreditei mesmo nessa lenda de que os políticos pagam gente para comentar na Blogosfera ou para fazer blogs. Claro que não me refiro aos blogueiros pagos por empresas... Mas comentaristas e blogueiros independentes, não creio.

A Blogosfera não significa nada, em termos eleitorais. Claro que tem peso no debate político, mas não é arena de convencimento de eleitores em potencial.

E esse pessoal que posta comentários tentando induzir opiniões, está suando para nada. Todo mundo aqui tem opinião política consolidada. São raras as vezes em que se busca formá-la. Quando muito, as pessoas vêm buscar argumentos para melhor poderem debater política e para extravasarem.

Em resumo, sou sincero ao dizer que acho que estamos de parabéns por fazer a Blogosfera, tanto um lado quanto o outro – partindo da premissa amplamente discutível de que só há dois lados, pois não há, apesar de que são esses dois (petistas e antipetistas) que monopolizam tudo.

Este é um post no qual eu gostaria muito de ver os comentáristas dos dois lados se respeitarem. Ainda nutro a esperança de que os debates se tornem realmente produtivos. De minha parte, farei o possível para que dê certo. Afinal, rendi homenagens ao empenho de todos, não só ao dos meus.

Zé Dirceu: Não dá para aceitar calado

Do Blog do Zé Dirceu A desfaçatez com que nossa imprensa abre espaços para funcionários do Departamento de Estado Americano criticar o Brasil e sua política externa e nuclear, não tem limites e beira o servilismo colonial. Como podem os Estados Unidos, que tem a pena de morte instituída, falar em direitos humanos? Um país que financia ditaduras e onde um ex-vice-presidente da República admite publicamente que autorizou a tortura como meio de se obter informações de supostos terroristas, que manteve as prisões de Guantánamo e de Abu Ghraib, verdadeiros campos de concentração e tortura, falar sobre nossa política nuclear e nossas relações com o Irã? Que autoridade tem os Estados Unidos, que promove uma corrida armamentista e testa novas armas, violando o Tratado de Não Proliferação Nuclear, exigir do Brasil um protocolo adicional para fazer inspeções sem aviso prévio, quando nosso país tem na Constituição a proibição de uso da pesquisa nuclear para fins militares? Na verdade, o objetivo é impedir que nosso país e outros tenham acesso ao ciclo completo de enriquecimento de urânio -- e dependam de grandes potências nucleares -- e ao mesmo tempo, às grandes reservas de minério de urânio. Fora o fato de que os Estados Unidos permitiram que Israel, Paquistão e Índia, com este país firmou acordos de apoio para o desenvolvimento nuclear, tenham não só pesquisa, enriquecimento de urânio, mas bombas atômicas. Não dá para aceitar calado.

Sucessão e internet

Do Blog do Ancelmo - Colunista de O globo

Pesquisa do Posicione Brasil com 1.929 jovens de 21 estados mostra que 59% acham possível fazer no Brasil, em 2010, uma mobilização pela internet como a que elegeu Obama nos EUA. Mais: 84% topariam participar — 24% "de forma incondicional" e 54% "dependendo do candidato". Só 16% não aceitariam participar de forma alguma.

sexta-feira, fevereiro 26, 2010

A Festa e o Blog do Mário

Já está no ar, mas será lançado oficialmente hoje na Estação das Docas, em comemoração ao aniversário do Professor Mário Cardoso, o mais novo blog paraense. Trata-se do Amigos do Professor Mário.

A iniciativa partiu de amigos e colegas de trabalho do professor e também serve para que sua "base" se rearticule, inflando assim a candidatura do professor que esteve, meio que, fora de cena, desde a derrota sofrida na disputa com Duciomar Costa nas eleições municipais de 2008 pela prefeitura de Belém.

Mário, que é ligado à Unidade na Luta, tendência interna do PT/PA, passa por um inferno astral desde que foi aclamado pelo PT do Pará, para ser o candidato nas eleições majoritárias de 2006, mas acabou sendo preterido pela cúpula nacional do partido, em favor de Ana Júlia e tornou-se candidato ao Senador, vindo obter 250 mil votos só em Belém, como ele mesmo ressaltou em uma entrevista em 2008.

Desde então, ficou deveras chateado e recentemente a gota d'água teria sido a quebra de acordo no que seu nome deveria ser indicado pela governadora para o Tribunal de Contas do Estado, o que foi negado pelo tal Núcleo Duro do governo Ana Júlia para partidos da base aliada.

"Mas isso é coisa do passado", fala sorrindo, Mário Cardoso, ao ser indagado sobre o fato e em plena campanha eleitoral pelo Estado preparada sua metralhadora de proposta e de mágoas para acertar o alvo: O eleitor do PT e de fora deste.

Atualização do Blog

Informes da festa de ontem no espaço de eventos da Estação das Docas.

Não faltou nada, ou quase nada!

Vamos aos detalhes

Buffet: Excelente o bacalhau, hum...!

Decoração: Teve companheiro de tudo que foi tendência do PT e de outros partidos.

Presenças: Do governo, só os secretários do campo majoritário.

Faltas: Da DS ninguém, uma só alma pra contar as boas novas!

Black label: Ah, teve sim, o vereador Marquinho, mas ele é vereador e não do governo que pretende se reeleger com apoio dos candidatos parlamentares e depois dependerá dos mesmos para captar recursos, ou não?!

A cereja do bolo: Paulo Rocha articula bem e aproxima-se - devagar e sempre - do senado federal, quem foi viu a cara do deputado ao lado do presidente do PT, do chefe da casa civil - Everaldo Martins, que tomará posse segunda-feira) e diversas lideranças.

Os convidados especiais: Os vereadores Skaff (PMDB) e Cobrador Pregador (PPS), o prefeito de São Sebastião da Boa Vista, Laércio e o parceiro Alfredo Costa - vereador de Belém, ambos candidatíssimos à uma vaga na ALEPA.

Os músicos: A secretária de Educação, Socorro Coelho e seu Adjunto de Gestão, Albertinho Leão, afinadíssimos na SEDUC para resolver os problemas criados durante os últimos anos.

Os garçons: Servindo gentileza, ah eram muitos e agora não dá pra contar!

quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Indianos se preparam para embarcar em trem de uma estação de Mumbai, Índia. Um dos principais meios de transporte no país, os trens transportam cerca de 18 milhões de pessoas diariamente. A foto é de Pal Pilla/AFP

terça-feira, fevereiro 23, 2010

Exigências da Vida Moderna

Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro. E uma banana pelo potássio. E também uma laranja pela vitamina C. Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes. Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água. E uriná-los, o que consome o dobro do tempo. Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão). Cada dia uma Aspirina, previne infarto. Uma taça de vinho tinto também. Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso. Um copo de cerveja, para... não lembro bem para o que, mas faz bem. O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber. Todos os dias deve-se comer fibra. Muita, muitíssima fibra. Fibra suficiente para fazer um pulôver. Você deve fazer entre quatro e seis refeições leves diariamente. E nunca se esqueça de mastigar pelo menos cem vezes cada garfada. Só para comer, serão cerca de cinco horas do dia... E não esqueça de escovar os dentes depois de comer. Ou seja, você tem que escovar os dentes depois da maçã, da banana, da laranja, das seis refeições e enquanto tiver dentes, passar fio dental, massagear a gengiva, escovar a língua e bochechar com Plax. Melhor, inclusive, ampliar o banheiro e aproveitar para colocar um equipamento de som, porque entre a água, a fibra e os dentes, você vai passar ali várias horas por dia. Há que se dormir oito horas por noite e trabalhar outras oito por dia, mais as cinco comendo são vinte e uma. Sobram três, desde que você não pegue trânsito. As estatísticas comprovam que assistimos três horas de TV por dia. Menos você, porque todos os dias você vai caminhar ao menos meia hora (por experiência própria, após quinze minutos dê meia volta e comece a voltar, ou a meia hora vira uma). E você deve cuidar das amizades, porque são como uma planta: devem ser regadas diariamente, o que me faz pensar em quem vai cuidar delas quando eu estiver viajando. Deve-se estar bem informado também, lendo dois ou três jornais por dia para comparar as informações. Ah! E o sexo! Todos os dias, tomando o cuidado de não se cair na rotina. Há que ser criativo, inovador para renovar a sedução. Isso leva tempo - e nem estou falando de sexo tântrico. Também precisa sobrar tempo para varrer, passar, lavar roupa, pratos e espero que você não tenha um bichinho de estimação. Na minha conta são 29 horas por dia. A única solução que me ocorre é fazer várias dessas coisas ao mesmo tempo! Por exemplo, tomar banho frio com a boca aberta, assim você toma água e escova os dentes. Chame os amigos junto com os seus pais. Beba o vinho, coma a maçã e a banana junto com a sua mulher... na sua cama. Ainda bem que somos crescidinhos, senão ainda teria um Danoninho e se sobrarem 5 minutos, uma colherada de leite de magnésio. Agora tenho que ir. É o meio do dia, e depois da cerveja, do vinho e da maçã, tenho que ir ao banheiro. E já que vou, levo um jornal... Tchau! Viva a vida com bom humor!!!

Luiz Fernando Verríssimo.

Cristo, Cook e Lula

Crônica de Luiz Fernando Verríssimo à alguns anos atrás...

Uma vez, numa reunião de escritores em Sydney, ouvi um poeta aborígene começar a contar um evento ocorrido na sua tribo numa certa data "BC"... e interromper-se para explicar aos estrangeiros que para os aborígenes "BC" não queria dizer "Before Christ", antes de Cristo, mas "Before Cook", ou antes do capitão James Cook, que ao tomar posse da Austrália em nome do rei Jorge III da Inglaterra, em 1770, mudou a vida deles para sempre. Era uma brincadeira, mas com uma verdade embutida: a cronologia de povos nativos não coincide com a cronologia imposta pelos seus colonizadores. O Novo Mundo, por exemplo, só era novo para os europeus do século 61. Já havia gente e velhas civilizações por aqui "AC": não Antes de Cristo mas Antes de Colombo, Cabral ou Cortez.

Várias categorias humanas têm o equivalente à dicotomia Cristo e Cook do poeta, ou divisões diferentes da sua história de acordo com suas peculiaridades, tradições e pontos de vista. Sem falar, claro, nas religiões cujos mitos inaugurais têm outros nomes, como Maomé ou Abraão. Assim tanto a psicologia quanto o capitalismo têm suas eras AF e DF (Antes e Depois de Freud, Antes e Depois de Ford), no mundo da eletrônica AC e DC querem dizer Antes e Depois do Chip e todos os anos da nossa atualidade recente deveriam ser seguidos das letras AD, significando não "Anno Domini", mas "Ano Digital". Pois a chegada do código binário certamente modificou a vida de todo o mundo tanto quanto a chegada do Capitão Cook modificou a vida dos aborígenes da Austrália.

Outro exemplo: a história do cinema moderno, PS (Pós Som), se subdivide em AJLG e DJLG, ou Antes de Jean-Luc Godard e Depois de Jean-Luc Godard. Com um só filme, Acossado (À Bout de Souffle), de 1960, Godard acabou com todas as convenções da montagem cinematográfica e mudou a gramática do cinema para sempre. Tanto que, hoje, novidade é alguém usar os recursos que Godard desprezou. "Dissolves", "fade outs" e "fade ins" para sinalizar a passagem de tempo, aquelas coisas. (Porque, com o tempo, nada fica tão revolucionário quanto o acadêmico). Enquanto reinventava o cinema, Godard aproveitou e inaugurou os anos 60. De certa maneira, toda a história cultural do nosso tempo pode ser dividida em AJLG e DJLG.

Que outra figura foi o Cristo ou o Cook de qual forma de arte? Na música, Antes e Depois de Beethoven ou Antes e Depois de Stravinski? Na filosofia, Antes e Depois de Nietzsche? E na política brasileira, essa arte de tão poucos talentos? Antes e Depois de Getúlio Vargas, certo. Ninguém como ele mudou os rumos da República tão drasticamente. No futuro se falará num Brasil AL e DL? Difícil dizer. Por enquanto, Lula não parece disposto a ser o mito inaugural de nada muito diferente.

Cara, Coroa e a Mídia

Por: Celso Horta

O 4º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores, realizado este fim de semana em Brasília, formalizou a indicação da ministra Dilma Rousseff pré-candidata à sucessão de Luiz Inácio Lula da Silva.

A mídia conservadora tentou carimbar a decisão partidária como afirmação de um novo posicionamento político do PT.Dilma prega Estado forte”, destacou em manchete o Estado de S.Paulo; Dilma faz defesa de Estado Forte e Prega Estabilidade”, foi a variação da Folha de S.Paulo; “Dilma defende Estado forte”, diz O Globo.

A uniformidade das manchetes de três dos mais importantes veículos conservadores revela o tom da campanha da oposição contra a candidatura petista. De qualquer forma, o combustível para a polêmica proposta pela mídia conservadora é importante. Entre os feitos do governo Lula, um dos mais importantes foi interromper o processo de desmonte do Estado que vinha sendo perseguido com decisão pelo governo tucano.

Na sua fala durante o 4º Congresso, o presidente defendeu a continuidade e, se necessário, aprofundamento da política de fortalecer o Estado. Aliás, ao levantar a questão do fortalecimento do Estado, a mídia conservadora alimenta a proposta de estratégia da campanha petista que quer um plebiscito entre o governo Lula e o governo FHC. O ponto é um dos comparativos mais favoráveis ao governo petista. Foi graças a políticas públicas de fomento à atividade produtiva, políticas fiscais e investimentos diretos do Estado, que a economia brasileira conseguiu atravessar a crise mundial eclodida em 2008 sem maior abalo.

Mas, por que a mídia conservadora resolveu, em uníssono, atacar as políticas petistas de fortalecimento do Estado? Aí vale lembrar como funciona a comunicação. As notícias que, efetivamente, chegam até nós, leitores e eleitores, e buscam formar a opinião pública, são todas intermediadas pela mídia. Elas constituem cenários desenhados ponto a ponto, traço a traço, no dia a dia dos vários veículos de comunicação. Desde sempre, o cidadão acompanha na mídia o teatro da vida brasileira. No cenário, que passa despercebido, está a inoperância do Estado, o inchaço do serviço público, e da bem aventurança da iniciativa privada, capaz de garantir celulares para todo mundo. É em cima deste preconceito que a oposição está experimentando sua artilharia.

A arte da comunicação no mundo moderno é cada dia mais complexa e atuar sobre ela é cada vez mais difícil. Mas, felizmente, não são apenas os noticiários de TVs e jornais que constroem estes cenários e formam a opinião dos cidadãos. A internet, por exemplo, ocupa mais e mais espaço no tempo dedicado pelos leitores a obter informações. É o que explica o sucesso de blogs como os dos jornalistas Luiz Carlos Azenha, Luiz Nassif, Paulo Henrique Amorim bem como o do site do ABCD Maior (www.abcdmaior.com.br).

Desfazer preconceitos como este e mostrar que há eficiência e deficiência nos dois campos, seja o público ou o privado, exige muito trabalho. Um desafio que esteve à altura de Lula, que para Barak Obama, “é o cara”. E, como diz o slogan da pré-candidata Dilma, também estará à altura da “coroa”.

Fonte:ABCDMaior

Parada Gay 2009 - Palco Waldemar Henrique

Todas as fotos estão protegidas por copyright, permitidas para fins não comerciais e apenas se constarem com a citação do autor, neste caso, o Blog.

domingo, fevereiro 21, 2010

Participação

Com o mesmo título, do Quinta Emenda que tá linkado aí do lado desde os primórdios deste blog e lá ídem.
Todas às vezes que o PSOL vem à luz, com suas idéias e sua visão de mudança social, retorno aos federalistas americanos, e para um texto escrito por Bernard Manin chamado As Metamorfoses do Governo Representativo. Nesse texto o autor contrói uma imagem sobre a representação popular nas grandes democracias ocidentais: democracia da audiência; e faz uma pergunta fundamental: os governos representativos perderam na qualidade da participação popular ou a distância entre governantes e governados esteve sempre na "origem" do "surgimento" dos governos representativos?
A pergunta não está formulada dessa forma, mas é essa a reflexão que constrói o argumento do autor. As hipóteses da representação popular estão descritas em inúmeros 'campos' da política: a mais importante está no ato de participar das eleições: no voto. A 'representação popular' também está no 'orçamento participativo', no 'governo popular', no 'governo de todos', no 'governo do Pará'; e assim são centenas de variações sobre o mesmo tema: participação! Um observador mais atento ao PSOl vai perceber que este é um dos dilemas centrais de seu discurso partidário: participação popular. Foi justamente a 'participação popular' o maior problema da administração de Edmilson Rodrigues; tanto no primeiro, quanto no segundo mandato. O dilema entre governar ou ampliar a participação popular nos processos de decisão levou o governo de Edmilson Rodrigues ao colapso; e isto pode ser observado em coisas simples como as obras de "revitalização" do 'Belo Centro' de Belém. Quando nos dirigimos às urnas para eleger governantes estamos transferindo responsabilidades e direitos: essa é uma questão central em governos representativos. São frágeis as razões apresentadas por Edmilson Rodrigues para justificar a sua saída do PT, principalmente quando se refere à estrutura partidária: ele havia chegado a uma condição invejável na estrutura de organização do partido: era um 'elegível'. O PSOL tem um discurso anacrônico e frágil diante das transformações ocorridas nas estruturas partidárias: melhor ficar nos movimentos sociais: é mais adequado e mais coerente.

Duciomar, Ana e os Acordões

Do Blog da Edilza Fontes. Aconteceu ontem um almoço político entre o prefeito Duciomar Costa e a governadora Ana Julia Carepa. No almoço foi discutida a política de alianças entre o PTB e o PT. Para Duciomar existe dois impedimentos para que aliança continue (o que o prefeito chamou de passivo político). O primeiro dele refere-se à bancada do PT na Câmara Municipal de Belém, que tem feito oposição à gestão de Duciomar. Continua...
Na opinião deste blog, o que essa senhora diz sobre os bastidores da prefeitura e do governo do Estado são de fato, fatos e não boatos! E isso não se dá por outro motivo a não ser que além de boas fontes ela é pessoalmente ligadíssima à ambas as partes, ou gestões como queriam.

Falece Neuton Miranda

Do site do PC do B.

Foto: Ag. Pará.

O presidente do PCdoB do estado do Pará, camarada Neuton Miranda, faleceu neste sábado, 20 de fevereiro, vítima de um fulminante ataque cardíaco. O presidente nacional do partido, Renato Rabelo e o Comitê Estadual do PCdoB do Pará lançaram notas de pesar pela morte do militante comunista. O enterro será realizado na terça-feira (23/2).

Neuton Miranda estava em serviço, distribuindo títulos de propriedade de terras a populações ribeirinhas no município de Belterra, região de Santarém , no Pará. Neuton Miranda era membro do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil e presidente do Comitê Estadual do Pará. Já foi deputado estadual e candidato ao Senado. Estava exercendo também importante função no governo federal, como Diretor do Patrimônio da União no Pará. Neuton era militante do Partido Comunista do Brasil há 38 anos. Foi líder estudantil e diretor da União Nacional dos Estudantes em 1968. Era casado com a professora universitária Leila Mourão e tinha uma filha, Janaína. A camarada Socorro Gomes, que se encontra em missão do Conselho Mundial da Paz no Nepal e só retorna ao Brasil na noite da próxima terça feira, declarou, por telefone, estar "chocada e profunfamente consternada com a morte do camarada Neuton Miranda".

Socorro, foi deputada federal pelo Pará e integrante da direção daquele estado atuou com Neuton durante mais de um quarto de século, nos esforço de construir o partido no estado. Socorro disse que a morte de Neuton é uma "perda irreprarável". Ela expressou a certeza de que os comunistas paraenses irão transformar a dor em mais espírito de luta em nome dos interesses do povo paraense e dos comunistas do estado. O pesar de Renato Rabelo

Este é também o tom da nota publicada pelo presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, que traz o seguinte trecho: "Os novos e os veteranos militantes que com Neuton têm se empenhado nesta nova etapa partidária no Estado saberão seguir o seu exemplo e ocupar o seu lugar na nossa trincheira de luta".

A nota do Comitê Estadual do Pará inicia em tom de profundo respeito: "Estão a meio pau as bandeiras do Brasil, do Pará e do PCdoB". E ambas valorizam a trajetória militante e o exemplo revolucionário deixados por Neuton Miranda.

O corpo de Neuton será velado a partir da tarde deste domingo (21/2) no salão nobre da Assembleia Legislativa do estado do Pará e será sepultado em Belém, capital do estado, na manhã da próxima terça-feira (23/2).

Membros de todas as instâncias de direção do PCdoB comparecerão ao velório e ao sepultamento, e o partido deve divulgar nota de pesar pelo falecimento.

Assista aqui o vídeo do camarada Neuton Miranda no Youtube.

quinta-feira, fevereiro 18, 2010

'Meu tempo de clandestino já acabou', diz José Dirceu.

Ex-ministro da Casa Civil disse hoje que vai participar da campanha de Dilma

Clarissa Oliveira - Ag. Estado

Prestes a retornar ao diretório nacional do PT, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu avisou hoje que vai participar, sempre que lhe for demandado, da campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República. "Eu já fiquei na clandestinidade por 10 anos. Meu tempo de clandestino já acabou", disse Dirceu, ao chegar ao 4º Congresso do PT, em Brasília.

Questionado se não vê algum risco de tirar votos da petista, Dirceu afirmou: "Não tiro voto da Dilma e não acredito que ninguém da direção partidária lhe tire votos". Sobre as articulações que vem comandando em prol da campanha de Dilma, Dirceu disse que viajou 70 vezes, no ano passado, a vários Estados a fim de ajudar nas negociações de alianças.

Ele aproveitou também para falar sobre as expectativas em torno de uma possível candidatura do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) para a Presidência da República. Chamado por Ciro de "golpista", em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Dirceu manteve o tom diplomático em relação ao parlamentar. Disse que Ciro tem todas as condições de ser candidato e avaliou que o deputado não atrapalhará o crescimento da candidatura de Dilma. Questionado sobre o potencial eleitoral da ministra, o ex-chefe da Casa Civil arrematou: "Ela é do PT, é mulher, é socialista, é de esquerda. Tem todas as condições de ser candidata".

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

Dilma Dança com Gari no RJ: Em SP, Boris Casoy vai infartar!

Do blog Os amigos do presidente Lula.

Ao ver a ministra, o gari Gilson Lopes, de 47 anos, ofereceu sua vassoura como se fosse uma bandeira e a ministra não resistiu. Os dois dançaram por cerca de três minutos.

A ministra Dilma Rousseff sambou com um gari na pista do sambódromo do Rio no fim da noite deste domingo.

Dilma segurou a vassoura do gari Gilson Lopes, 47, sambou com ele e fez rodopios, como dançam mestre-sala e porta-bandeira.

Ao final, Lopes, que trabalha há 13 anos na Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), deu nota 9,5 para a ministra. "Foi bom. Foi gostoso sambar com ela; ela samba bem", disse.

Dilma, que estava no camarote do governo do Estado, desceu até a pista, ao lado do recuo da bateria, acompanhada pelo governador Sérgio Cabral (PMDB).

Relembre aqui o que Casoy falou sobre os garis

Matéria publicada por Leda Ribeiro - Colaboradora do Blog

domingo, fevereiro 14, 2010

Chico Buarque - Noite dos Mascarados

- Quem é você? - Adivinha se gosta de mim Hoje os dois mascarados procuram os seus namorados perguntando assim: - Quem é você, diga logo... - ...que eu quero saber o seu jogo - ...que eu quero morrer no seu bloco... - ...que eu quero me arder no seu fogo - Eu sou seresteiro, poeta e cantor - O meu tempo inteiro, só zombo do amor - Eu tenho um pandeiro - Só quero um violão - Eu nado em dinheiro - Não tenho um tostão...Fui porta-estandarte, não sei mais dançar - Eu, modéstia à parte, nasci prá sambar - Eu sou tão menina - Meu tempo passou - Eu sou colombina - Eu sou pierrô Mas é carnaval, não me diga mais quem é você Amanhã tudo volta ao normal Deixa a festa acabar, deixa o barco correr, deixa o dia raiar Que hoje eu sou da maneira que você me quer O que você pedir eu lhe dou Seja você quem for, seja o que Deus quiser Seja você quem for, seja o que Deus quiser

Prêvias no PT não estão descartadas

Do Blog Espaço Aberto O PT, que ganhou a parada, que ganhou a queda de braço com a governadora Ana Júlia nesse processo todo que vai desaguar nas mudanças na Casa Civil a partir de 1º de março, vai observar com muito cuidado, com muita atenção a postura de Sua Excelência a partir de agora. Ou melhor, a partir de março. Se houver qualquer, digamos, anormalidade política que volte a acirrar a disputa entre as tendências do PT, uma coisa é certa: haverá prévias. E não vai faltar candidato – ou candidata – para bater chapa com Ana Júlia, que assim passaria pelo constrangimento de passar previamente por uma disputa em seu próprio partido para conquistar o direito de disputar a reeleição. No momento, vale dizer, não tem a menor, a mais remota procedência a especulação – que não disto, de especulação – de que a prefeita de Santarém, Maria do Carmo Martins Lima, estaria propensa a disputa as prévias com Ana Júlia. Mas não há dúvida que as prévias, mesmo com outra disputante, serão sempre uma possibilidade a cogitar no PT. Tudo – mas tudinho – dependerá de Ana Júlia e seu grupo, a DS (Democracia Socialista), acachapantemente minoritária diante da Construindo um Novo Brasil, que reúne, aqui no Pará, as tendências Unidade na Luta (de Paulo Rocha e Maria do Carmo, entre outros), a PT Pra Valer (Bernadete ten Caten e outros) e Articulação Socialista (Beto Faro e companheiros).

Qual é a fantasia sexual número 1 deles?

Por Arlete Gavranic no portal Via Estelar

Muitas mulheres, inclusive as mais jovens e ‘modernas’, querem saber mais sobre os desejos masculinos para obter mais sintonia sexual.

A maioria concorda que ‘entre quatro paredes vale tudo’ mas no geral os casais acabam vivendo poucas variações e caem na temida rotina. Porque isso acontece?

Muitos, apesar de tantas informações, desconhecem seus desejos ou não acreditam que seu parceiro também tenha essas fantasias.

Por isso resolvi escrever sobre fetiches masculinos. Essas fantasias podem fazer parte de ‘brincadeiras’ e incrementar o erotismo na relação.

A fantasia número um dos homens é a de transar com duas mulheres. No final do texto estão as três preferidas entre os brasileiros segundo a SBRASH - Sociedade Brasileira de Estudos em Sexologia Humana.

O ménage traz à tona medo e insegurança na maioria das mulheres. Uma terceira pessoa poderá fragilizar a autoestima e autoconfiança em relação ao vínculo afetivo e à imagem corporal.

Tudo isso costuma deixar as mulheres resistentes a essa experiência. Mas existem aquelas que resistem por perceber uma excitabilidade excessiva nessa possibilidade de estar intimamente com outra mulher. A realização dessa fantasia implica numa relação de confiança pessoal e interpessoal, mas não deve ser tomada por pressão ou medo de que o outro busque sozinho esse prazer.

Fantasia na fantasia

Um dos caminhos que pode trazer excitação e envolvimento pode ser o de viver essa fantasia na fantasia, imaginado que a sua mulher é outra pessoa ou que há uma terceira pessoa na relação. Uma dica importante: procure não incluir nessas fantasias imaginárias a participação de pessoas conhecidas, pois isso costuma deixar as mulheres mais inseguras do que excitadas. Muitos homens desejariam ser surpreendidos por uma sessão de sexo com apetrechos. Pode ser um ‘vibrador’, uma lingerie ousada de couro, máscara, venda.

Alguns relatam que adorariam ficar de olhos vendados enquanto a mulher espalha mel, chantily, gelo, chocolate quente derretido, etc, em caminhos inusitados até chegar num sexo oral caprichado. Grande parcela dos homens reclama que suas parceiras têm receio ou nojo de sexo oral. No sexo oral pode-se contaminar com muitas doenças sexualmente transmissíveis, inclusive AIDS. Por isso, use camisinha – sempre!

Muitos desejam ver a sua parceira ‘fissurada’ pelo pênis, pois isso intensifica o tesão. Por que não brincar com vários tipos de preservativos, coloridos, fluorescentes e com sabor?

Muitos gostariam de sentir-se dominados na hora da transa, de ser algemados, amarrados... Mas até que ponto essa fantasia vale a pena? Pode ser uma brincadeira excitante, uma sacanagem estimulante, só não vale violência ou algo que desagrade o parceiro. Aliás, esse limite de dor e desagrado tem de ser respeitado em nome do vínculo de confiança na relação. Fetiches como o de ser seduzido por uma mulher nua, ou com uma lingerie sensual e de salto alto são muito frequentes. Há o desejo de muitos de que sua parceira sinta vontade de praticar sexo anal. Outros têm o desejo de pedir carícias na região anal, mas não pedem por medo de ter sua masculinidade questionada. Esses receios precisam ser desmistificados, a região perianal apresenta alta sensibilidade e grande eroticidade. Cabe ao casal começar a ousar e realizar com um pouco mais de envolvimento o prazer sexual. Ainda existem mulheres que deixam essa responsabilidade para os homens, elas também têm de participar. Boa sorte nas ousadias!

Fantasias masculinas

200 homens, entre 16 e 59 anos

47% transar com duas mulheres ao mesmo tempo 21% fazer sexo com mulheres famosas 12% fazer sexo grupal.

Fonte: SBRASH - Sociedade Brasileira de Estudos em Sexologia Humana

sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Poema - Vou Bem Ali

Por Alcyr Guimarães
Preciso, algumas vezes de ter momentos mesquinhos. Quando uma pitada de vingança no pensamento me fizer bem. Imagino que uma coisa perversa leve a tantas outras, Quando invejo o que me falta ,e um outro humano, de sobra tem. Imaginariamente me convido ! Vamos bem ali tentar ser infeliz, quando num momento pensarei na desgraça de ser eterno, Na intensa irresponsabilidade de algo, que muitas vezes fiz, Tentando chegar por meios malinos, na porta do que chamamos inferno. Sei erradamente, que preciso de vez em quando ser mau, até me contemplar com demência,rancor e desmazelo. Como se carregasse o ranço de pagar um aluguel para a vida que tenho. E somente errando sem aprender, diria ao mundo que tentei entende-lo.
Alcyr Guimarães é músico e poeta paraense.

quinta-feira, fevereiro 11, 2010

By Twitter: Arruda está preso na PF-DF

Tudo lá é fresquinho, fresquinho ! O governador José Roberto Arruda acaba de se entregar na Superintendência da Polícia Federal em Brasília. O Procurador Geral da República, Roberto Gurgel acaba de anunciar que pedirá daqui a pouco ao STF intervenção federal no Distrito Federal. Teori Albino Zavascki e Nilson Naves são os dois ministros do STJ que se posicionaram contra a prisão do governador Arruda. A Corte Especial do STJ decidiu pela prisão e afastamento do cargo de Arruda. Se ele for solto pelo STF, não voltará ao cargo.

Mário Quintana

        Não te irrites, por mais que te fizerem...
        Estuda, a frio, o coração alheio.
        Farás, assim, do mal que eles te querem,
        Teu mais amável e subtil recreio...
        Mário Quintana

Nelson Mandela - O Filme

Faz hoje, dia 11 de Fevereiro, 20 anos que Nelson Mandela foi libertado. Se todos fossem como ele, o mundo seria bem melhor. Agora, é esperar o filme que Clint Eastwood acabou de estrear - “Invictus” - e que conta um episódio pouco conhecido de Nelson Mandela que ao recrutar o capitão da equipe nacional de rugby para o ajudar a unificar o país. Morgan Freeman, que interpreta Mandela no filme, está nomeado para os Oscar 2010, na categoria de melhor ator principal. A África do Sul comemorou nesta quinta-feira o 20º aniversário da libertação de Nelson Mandela, herói da luta contra o Apartheid, depois de passar 27 anos de reclusão, naquele que foi o primeiro sinal tangível do fim de um agonizante regime de segregação racial.

"Quando cruzou as portas da prisão, Mandela já sabia que sua própria liberdade anunciava que havia chegado o momento da liberdade para todos", declarou Cyril Ramaphosa, um ex-rebelde que se tornou empresário, em uma cerimônia en Paarl (sudoeste), último local onde o herói sul-africano foi mantido encarcerado.

Mandela, libertado em 11 de fevereiro de 1990, foi eleito em 1994 o primeiro presidente negro da África do Sul, cargo em que permaneceria até o final de seu mandato em 1999.

Dezoito meses antes de sua libertação, quando já haviam sido estabelecido contatos secretos entre o prisioneiro político mais famoso do mundo e um governo que perdia o controle da situação, Mandela havia sido transferido para o centro correcional Victor Verster, onde foi garantida a ele uma cela mais confortável.

Diante da entrada do centro Victor Verster, que nesta quinta-feira se transformou em um monumento histórico, políticos e veteranos da luta contra o apartheid se reuniram próximo a uma estátua que representa Mandela dando seus primeiros passos de homem livre, com o punho erguido em sinal de vitória.

"Muitas pessoas, em sua situação, teriam buscado a vingança e (isso se tornaria) um racismo às avessas", comentou nesta quinta-feira em Genebra a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay. "Em troca, optou pela via do perdão e da democracia", acrescentou.

Apesar de sua luta, 16 anos depois das primeiras eleições multirraciais que levaram Mandela ao poder, 43% dos 48 milhões de sul-africanos ainda vivem com menos de dois dólares por dia.

Mas a mudança política foi radical. As leis segregacionistas foram abolidas, a democracia se consolidou e o país adotou uma das constituções mais liberais do mundo.

O partido de Mandela, o Congresso Nacional Africano (ANC), ganhou facilmente todas as eleições desde 1994. O antigo movimento rebelde defende agora a reconciliação.

A estabilidade política garantiu até o ano passado um forte crescimento que transformou a África do Sul no gigante econômico do continente e permitiu financiar ajudas sociais para mais de 13 milhões de pessoas.

Embora o governo tenha melhorado o acesso à água e à eletricidade, ainda resta muito a ser feito nos enormes bairros da periferia, onde 1,1 milhão de famílias continuam vivendo em habitações precárias.

Os ganhos ainda não são bem distribuídos: a renda mensal média dos negros cresceu 37,3% desde 1994, enquanto a dos brancos disparou 83,5%.

Mas, se as condições de vida de grande parte da população ainda não podem ser consideradas ideais, os progressos da África do Sul em diversos âmbitos nas últimas décadas se devem à luta de Nelson Mandela. Ele irá ao Parlamento, em sua única aparição pública do dia. A delicada saúde do herói de 91 anos, o obriga a limitar seus deslocamentos.

O presidente sul-africano Jacob Zuma aposta na presença de seu ilustre antecessor dar maior impacto ao seu discurso desta noite. Mas o atual chefe de Estado, um polígamo de 67 anos, está mergulhado em um escândalo suscitado pelo nascimento de seu vigésimo filho, concebido fora do casamento.

Fonte: AFP.

quarta-feira, fevereiro 10, 2010

FHC defende FHC: é tudo o que o PT queria

Do blog Balaio do Kotscho:

Deu uma quizumba danada o artigo publicado domingo pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em que ele faz a defesa do seu governo, com críticas duras ao presidente Lula e à sua candidata à sucessão, Dilma Roussef.

Era tudo o que o PT queria na campanha eleitoral para fazer uma eleição plebiscitária baseada na comparação entre os governos FHC e Lula. Além disso, serve para vincular ainda mais o nome de Dilma ao de Lula, um presidente com 80% de aprovação popular.

E era tudo o que não queria José Serra, o provável candidato de FHC nas eleições de outubro, que pretendia centrar a disputa nas biografias políticas e administrativas dos candidatos, se e quando lançar sua campanha presidencial.

Serra recusou-se a comentar o artigo do principal líder do PSDB, depois de chegar com duas horas de atraso a um evento nesta segunda-feira para a inauguração da Biblioteca de São Paulo, em que os dois se desencontraram. Ali o ex-presidente voltou a disparar suas baterias contra Lula e a sua candidata, subindo o tom de um embate que o governador paulista procura adiar o máximo possível.

Esquecido nos palanques e nos discursos pelos candidatos tucanos em 2002 e 2006 (Serra e Alckmin), e já que ninguém defendia seu governo na campanha deste ano, FHC decidiu sair dos seus cuidados e foi à luta ele mesmo, desafiando o “lulismo” a fazer comparações “sem mentir” e “sem descontextualizar”.

No artigo, o ex-presidente citou conquistas e números do seu governo, dizendo que não teme comparações. O governo comemorou: “Enquanto a oposição não falar o que quer fazer daqui para a frente, nós temos que comparar com o que eles fizeram”, reagiu o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

Do outro lado do ringue, FHC disse que, ao contrário de Serra, Dilma não inspira confiança: “Ela pode até vir a ser, mas por enquanto não é líder. Por enquanto, é reflexo de um líder. Serra já tem liderança e mostrou que faz”.

Pelo que conheço dos dois, Lula deve estar achando ótima a entrada de FHC na linha de frente da campanha tucana, posto que até agora ele estava nos palanques brigando sozinho, já quem nem Serra nem Aécio mostravam disposição para bater de frente com ele e o seu governo.

Desde os tempos de sindicato, o atual presidente sempre precisou de um antagonista para contrapor suas idéias, adora uma boa briga na base do “nós contra eles”. Cresce quando é contestado ou desafiado, ainda mais por um ex-presidente que deixou o governo em baixa, sem deixar saudades na maioria da população, como demonstram todas as pesquisas.

De outro lado, FHC não tem o que perder. Exilado em seu próprio partido, que recebeu com muxoxos suas últimas manifestações públicas, a esta altura do campeonato só lhe interessa mesmo defender a sua biografia e seus oito anos de governo. Se isso vai ajudar ou atrapalhar o candidato tucano, é outro problema.

BASTA DE TRAGÉDIAS ANUNCIADAS NA AMAZÔNIA.

1. Neste último dia 1° de fevereiro a sociedade amazônida mais uma vez é ameaçada para que seja dada passagem a mais um “grande” projeto, que faz parte de um desenvolvimento onde não se enxerga a continuidade da espécie humana ao lado da necessidade do meio-ambiente.

2. Há mais de 20 anos persiste um projeto de construção de uma Usina Hidrelétrica (UHE) no Rio Xingu, na Amazônia. Neste período, um conjunto de ações judiciais aponta diversas irregularidades sobre a concessão da licença ambiental dessa UHE, que é o primeiro passo para a construção do projeto.

3. Desta vez, sequer as condições exigidas pelos próprios analistas do IBAMA foram respeitados (Parecer técnico 114/2009 do IBAMA de 23 de novembro de 2009). Dentre as conclusões do parecer foi exposto que “não puderam ser analisadas na profundidade apropriada, dentre elas as questões indígenas e as contribuições das audiências públicas”.

4. Historicamente este projeto ignora as vozes das populações tradicionais da região. A população a ser atingida nunca foi ouvida, o que em si já contraria normas internacionais (Convenção 169 da OIT) e nacionais. Nas recentes audiências públicas, condição para a concessão da licença ambiental, os principais interessados (indígenas e demais populações tradicionais da região) foram violentamente impedidos de participar ativamente dos debates.

5. A licença ambiental ora concedida levanta 40 condicionantes para implementação do projeto, alguns já levantados nas exigências do parecer técnico citado. Isso nos permite questionar a viabilidade ambiental do procedimento, o que contraria inclusive a Resolução 237/97 do CONAMA, art. 8º, inciso I: “concedida na fase preliminar do planejamento do empreendimento ou atividade aprovando sua localização e concepção, atestando a viabilidade ambiental e estabelecendo os requisitos básicos e condicionantes a serem atendidos nas próximas fases de sua implementação”. Aliás, um painel dos especialistas mais respeitados da Amazônia e do Brasil já haviam indicado a inviabilidade técnica, ambiental e econômica do projeto, uma vez que o RIMA (Relatório de Impacto sobre o Meio Ambiente) não dá respostas para as graves e prováveis violações de direitos humanos, situações estas já verificadas em projetos semelhantes como a construção da UHE de Tucuruí e UHE de Balbina, onde se sabe que até hoje existem comunidades atingidas que jamais receberam qualquer indenização ou mesmo tiveram o benefício da energia elétrica.

6. É bom lembrar que Altamira e região do Xingu, são palcos de terríveis crimes como assassinatos de lideranças, criminalização de movimentos sociais, devastação ambiental, retirada ilegal de madeira, exploração sexual de crianças e adolescentes, violações estas que só tendem a aumentar diante do descompromisso dos segmentos somente interessados em obter vantagens econômicas de tal empreendimento.

7. Antes de nos perguntarmos qual a forma mais benéfica de projeto energético para o País, a sociedade deve se perguntar primeiramente para quem é essa energia? Sabe-se que o consumidor comum não é a prioridade. Como exemplo, 75% da energia produzida pela UHE de Tucuruí é destinado para empresas de extração de minério da região Norte a preços subsidiados.[1]

8. Felizmente, existe ainda coerência de alguns órgãos que saem em defesa dos princípios da prevenção e precaução ambiental. Mas estes não são imunes à perseguição dos que querem a qualquer custo construir “Belo Monstro”. Por isso, nos solidarizamos com os membros do Ministério Público Federal, que vem cumprindo seu papel de defensor dos interesses coletivos, e com todas as pessoas criminalizadas e difamadas por sua posição contra tal projeto.

9. Em razão dos argumentos expostos, em defesa da continuidade de um projeto de vida e pela garantia dos princípios democráticos, REPUDIAMOS O ATO DE LICENCIAMENTO PRÉVIO E A CONSTRUÇÃO DE BELO MONTE! EM DEFESA DOS POVOS DA AMAZÔNIA!

BELÉM-PARÁ,5 de Fevereiro de 2010.

Sociedade Paraense em Defesa dos Direitos Humanos - SDDH.

Convidados Especiais

Parabéns, companheira Edilza !

É uma pena que não estou em Belém.

Hoje é quarta !

Dia de trabalho aqui em Brasília.

Na próxima, vamos fazer juntos essa confraternização.

Numa sexta feira !

Que tal ?

Um abraço carinhoso pra você e sucesso com o nosso blog, que está cada dia melhor.

Um abraço para os companheiros.

Curtam por mim !

Lamento informar, mas a postagem acima foi tirada de outro lugar, não foi de nenhum blog petista, foi sim do blog do Vic.

Aquele mesmo que você pensou, o Vic Pires Franco que é sabido que Seu uso é contra-indicado para eleitores desatentos.

Fui igualmente convidado via um elegante e-mail com o convite em anexo. Se vou? Não, já tenho outro compromisso profissional, mas desejo que a conversa flua e a política paraense, assim como outras áreas, amadureçam a democracia e o respeito entre e para com as diferenças.

A nova classe C

Do blog Hupomnemata.
Em O Globo, de hoje, uma matéria mostrando que a chamada “classe C” – as famílias com rendimento entre R$ 1.115 e R$ 4.807 por mês – já são a maior fatia da renda nacional. Os dados são da Fundação Getulio Vargas (FGV). A classe C já representa 46% do total de rendimentos das pessoas físicas, contra 44% das classes A e B juntas. São 91 milhões de pessoas. Entre 2003 a classe C respondia por 37% da renda nacional (salários, benefícios sociais e previdenciários, juros e aluguel). De lá para cá ela aumentou em 26,9 milhões de pessoas. O mercado mudou, o comportamento de compra mudou e o comportamento de voto mudou. A própria noção de classe média, como designativo de um perfil sócio-cultural, já não serve mais. Já não adianta anunciar para as classes A e B achando que a tal classe C vai, simplesmente, seguir um comportamento de compra. A classe C não apenas aumentou, mas, percebendo-se outra, maior e mais potente, está mais “afirmada” e passa a demandar um tratamento específico. A pesquisa da FGV, aliás, mostra essa mudança no próprio perfil da classe C, quando revela que o índice do consumidor aumentou 14,98% entre 2003 e 2008, contra 28,62% de aumento do índice do produtor. Ou seja, que o potencial de geração de renda do brasileiro aumentou mais que a sua capacidade de consumo. Ou seja, que ascensão de pessoas das classes D e E à C se deu não apenas pelos programas de ajuda social do governo, mas porque o brasileiro trabalhou mais, ganhou melhor, se educou, comprou computadores e celulares e poupou mais. O índice do consumidor mede o acesso das famílias a bens de consumo (TV, geladeira, DVD), serviços públicos (lixo, esgoto), condições de moradia (financiamento, número de cômodos e banheiros) e tipo de família. Por sua vez, o índice do produtor estima o potencial de geração de renda pela sua inserção produtiva e nível educacional, bem como investimentos em capital físico (previdência pública e privada, uso de tecnologia de informação e comunicação), capital social (sindicatos, estrutura familiar) e capital humano (frequência escolar dos filhos).