Pesquisar por palavra-chave

sexta-feira, fevereiro 28, 2020

O carnaval de Helder em ASPEN, EUA

A luxuosa cidade americana escolhida como local onde o governador do estado do Pará, Helder Barbalho passou o carnaval.

Por Ronaldo Brasiliense

Fico imaginando o tratamento editorial que o jornal Diário do Pará, da família Barbalho, daria se descobrisse que Simão Jatene, como governador do Pará, tivesse curtido o feriadão de carnaval em Aspen, a luxuosa estação de ski no Colorado, nos Estados Unidos.

Helder Barbalho assumiu o governo denunciando um fictício rombo fiscal de R$ 1,5 bilhão, mas somente este ano foi passar fim de semana com a família em Brasília para assistir jogo do Flamengo, e agora viajou aos Estados Unidos, com o dólar a R$ 4,45, enquanto os professores públicos do Pará continuam sem receber o piso nacional que Helder prometeu na campanha e as polícias civil e militar protestam contra os baixos salários.

Helder Barbalho segue a máxima do estadista britânico Winston Churchill, que dizia: "Não existe opinião pública. O que existe é opinião publicada."

Clique aqui e leia mais sobre o assunto.

sábado, fevereiro 22, 2020

Ex-vereador do PT é assassinado


Por Diógenes Brandão

Paulo Silva Filho, mais conhecido como Paulinho do PT foi assassinado na manhã deste sábado, 22, no município de Ourilândia do Norte, localizado no sudeste do Pará. 

As circunstâncias ainda não foram apuradas, mas há fortes indícios de retaliação de grileiros e fazendeiros que estavam incomodados com a atuação da vítima em conflitos agrários. 

Paulinho era ligado à Fetagri e atualmente estava filiado ao PCdoB, partido que assim como o PT, compõe o governo de Helder Barbalho, e que cessou as críticas pela falta de segurança e a matança de lideranças dos movimentos sociais do campo, depois que este foi eleito.

Segundo Informações coletadas pelo blog, esse teria sido o sexto assassinato no município, só esta semana. Há ainda Informações de que um grupo de pequenos agricultores teria encontrado ouro dentro de uma propriedade de terra e a cobiça pela posse da área esteja por de trás de alguns atentados.

O aparato policial do estado é incapaz de dar segurança a quem quer que seja e os crimes agrários ocorrem impunemente.

O blog apura mais informações e retorna logo mais.

sexta-feira, fevereiro 14, 2020

A nota da OAB sobre o ataque de Helder Barbalho contra os Direitos Humanos

Helder Barbalho atacou os Direitos Humanos e não teve nenhuma nota de repúdio por parte das instituições que deveriam defender as leis e os direitos de todos os cidadãos.

Por Diógenes Brandão

Advogados ligados à OAB-PA estranharam a Nota de Solidariedade que a entidade emitiu em favor da Comissão de Direitos Humanos, citada de forma pejorativa em um discurso do governador Helder Barbalho, onde perante centenas de novos agentes prisionais que tomaram posse essa semana, incitou a platéia contra os operadores dos Direitos Humanos, perguntando onde eles estavam quando um agente foi morto pela falta de segurança no estado que ele governa.

Em tempos de truculência e discursos de ódio, o governador Helder Barbalho contribuí para a deformação da opinião pública, sobretudo em relação ao papel da advocacia e das instituições que defendem o cumprimento das leis e do rito processual, onde as prerrogativas dos advogados não podem ser arbitrariamente negadas ou suprimidas por nenhum gestor ou autoridade pública.

Diferente do que aconteceu com o secretário do sistema penitenciário, o ex-presidente da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos, citado nominalmente em notas da Ordem, pela forma com que trata os advogados e seus clientes no sistema penal, o governador não teve seu nome citado na nota de solidariedade da entidade, que deveria ser de repúdio, devido a grave e ameaçadora forma de se referir aos que defendem os Direitos Humanos em um estado violento e inseguro, como o Pará.

Leia a nota da OAB-PA:



A Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Pará, vem a público expressar total solidariedade à sua Comissão de Direitos Humanos em relação ao papel institucional dos advogados e advogadas que vem sendo desenvolvido de forma cidadã, eficiente e constitucional frente às várias denúncias de violência dentro dos presídios e violações de prerrogativas dos advogados que têm aprofundado a crise do Sistema Carcerário do Pará.

A manifestação do Governo do Estado na posse dos agentes penitenciários, ocorrida no dia 12.02.2020, no Hangar, não condiz com o que se espera da boa convivência entre as instituições, sendo a OAB um órgão secular no combate à violência, seja ela decorrente da criminalidade, seja ela perpetrada pelo Estado de forma ilegal.

O tom usado na referida manifestação avança em uma direção perigosa da criminalização de uma atividade importantíssima para o funcionamento da democracia, qual seja, a advocacia. E isso em um momento no qual nacionalmente, cada vez mais, o governo federal incentiva o discurso do desprezo aos direitos humanos e potencializa o risco de conduzir a sociedade a um caminho desnecessário e improdutivo, colocando o Estado do Pará no mesmo patamar da política federal contra os direitos humanos e normalizando o ódio contra a advocacia que atua na área.

A OAB-PA é uma entidade independente que tem como missão a defesa da Constituição e carrega no juramento de cada integrante a defesa obrigatória dos direitos humanos, e essa nossa independência nos obriga a apontar fatos por vezes desagradáveis sem temer incorrer em impopularidade. Já a democracia, por sua vez, obriga todos os agentes públicos ao diálogo institucional e a ouvir não apenas elogios aos acertos, mas também críticas aos seus eventuais erros.

A conduta da Comissão de Direitos Humanos no acompanhamento da crise carcerária do Pará tem sido transparente, propositiva e, principalmente, tem buscado o diálogo a todo instante.

Nunca convém menosprezar o papel da advocacia, assim como deixar-se levar erroneamente por esse discurso fácil em um momento histórico no qual precisamos justamente contrapor a qualquer política de violação de direitos humanos.

Por estes motivos, a OAB-PA reforça o apoio ao trabalho da sua comissão e reafirma de forma contundente que não cabe a ninguém, muito menos ao Estado, incentivar a criminalização da advocacia e dos direitos humanos, situação esta que só convém aos que temem a democracia.

Alberto Campos
Presidente da OAB-PA

segunda-feira, fevereiro 10, 2020

Helder ou Bolsonaro: Quem tem razão?



Por Diógenes Brandão

A semana passada começou e terminou com um debate estéril e enviesado de mentiras e propaganda enganosa, daquelas que só os mais tolos acreditam. E olha que o que não falta é gente desinformada, apta a compartilhar desinformação, Fake News, ou simplesmente, potoca, como o 'paraensismo' nos ensina. 


Por Jonilson Souza.

Tudo começou com uma declaração do presidente Jair Bolsonaro, que criticou os estados pelo preço da gasolina, em sua conta no Twitter, no domingo (2). Segundo ele, a queda do preço do combustível nas refinarias não chega ao consumidor porque é compensada pelo valor do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços), cobrado nos estados.

Ao ser indagado por jornalistas, na última quarta-feira, 5, em frente ao Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que aceitaria retirar os impostos federais que incidem no preço da gasolina, se os governadores fizessem o mesmo com os impostos estaduais.

Assista o vídeo com a declaração de Bolsonaro:


Depois disso, a treta veio parar na internet. Claro, nada mais escapa dos comentários nas redes sociais.

Junto deles, peças de marketing digital inundaram grupos de Whatsapp e as demais mídias sociais.

Nelas, as mensagens de apoio a Bolsonaro e de cobrança aos governadores, com chamadas para um desafio.

Veja algumas dessas peças publicitárias lançadas e compartilhadas em massa nas mídias sociais:





Depois foi a vez de 14 os governadores responderem em forma de carta e assim fizeram:

O Posicionamento teve carta assinada por vinte e três governadores em relação ao ICMS sobre combustíveis. Leia a matéria no jornal Folha de São Paulo e no portal Poder 360.

Aí foram ativadas as equipes de marketing digital que dão suporte ao governo do Estado e a Helder Barbalho, que entraram em campo com suas peças publicitárias para tentar devolver o "desafio" a Jair Bolsonaro.

Veja algumas delas:





Como se pôde ver, a guerra travada entre o que podemos chamar de milícias digitais é o que dá o tom do debate político no Brasil de hoje. 

Memes "explicam" as narrativas mais estúpidas para um exército de ignorantes, alguns analfabetos funcionais, outros que mesmo sabendo que alguém produziu aquilo de forma jocosa e maliciosa, compartilha só pelo prazer de atacar o lado oposto ao que acredita ser mais certo, justo ou politicamente identificado com sua opinião ou ideologia. 

No meio desse debate insano, temas como a famigerada Lei Kandir, a Reforma Tributária, o Pacto Federativo e a tentativa de achar um culpado para a alta do custo de vida no país, sobretudo os bens de consumo e produtos que refletem diretamente na vida de centenas de milhões de brasileiros, como o valor dos combustíveis.

Voltando ao debate que ocorre nas redes sociais, protagonizado por manifestações no Pará, trazemos as que se destacaram pelo alcance e viralização.

O primeiro é de Igor Israel, publicado em seu perfil no Facebook e que já recebeu  520 reações (curtidas), 406 comentários e 1202 compartilhamentos. Números que pelos cálculos do meu chutômetro, já deve ter alcançado mais de um milhão de visualizações.

Leia abaixo:



Outro comentário que também se destacou foi do deputado federal Joaquim Passarinho (PSD-PA), que trouxe mais racionalidade ao tema que traz a queda da Lei Kandir.

Leia:






Perdão, mas essa é uma briga estúpida!! Ninguém ganha nada com isso!! Só vamos perder esticando a corda! A Lei Kandir não fala apenas de Minério. A sua exclusão afetaria em muito o Agronegócio, uma de nossas principais riquezas e quem mantém este país andando! Não está na mão do Presidente, nem do Governador a solução, mas no Legislativo! São Leis que devem ser atualizadas, modernizadas, melhoradas, olhando sempre o todo, o macro e não de forma "simplista" e imediata como nessa discussão quem em minha opinião é totalmente fora de foco e propósito!! Vamos nos preocupar em reduzir taxas, trazer qualidade de vida para a população e valorizar medidas que sejam de fato eficazes para alavancar o Brasil e o Pará. Temos sim como diminuir os impostos, reduzir o preço dos combustíveis, aumentando o consumo e equilibrando a arrecadação, mas de maneira lógica, racional e responsável. Precisamos unir forças para fazer nosso Estado crescer ainda mais.
Uma publicação compartilhada por Joaquim Passarinho (@joaquim_passarinho) em

Jatene e Zenaldo contra a hegemonia Barbalhista

Simão Jatene e Zenaldo Coutinho devem protagonizar o comando da resistência à hegemonia da família Barbalho nas eleições de 2020.


Por Diógenes Brandão

Enquanto a base do governador Helder Barbalho não encontra o rumo da unidade para lançar um nome que agregue gregos e troianos, a oposição já tem traçada a estratégia para as eleições municipais de 2020 na capital.

Movidos por um interesse em comum: Frear a hegemonia política da família Barbalho, lideranças da oposição e de partidos que não compõem o governo Helder Barbalho, reuniram-se no fim do mês de Janeiro e bateram martelo sobre a pré-candidatura do ex-governador Simão Jatene a prefeito de Belém.

A próxima etapa é reunir com o atual prefeito Zenaldo Coutinho, que não abre mão do protagonismo que a caneta lhe confere. 

O nome do vice na chapa de Jatene deve ser a próxima pauta no ninho tucano. 

Bolsonaro vem ao Pará entregar BR 163 totalmente asfaltada

A rodovia, iniciada na década de 1970, está completamente asfaltada.


Por Zé Dudu

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deverá comparecer à divisa de Mato Grosso com o Pará no próximo dia 14 de fevereiro, data em que será entregue o último trecho que faltava ser asfaltado da BR-163.

O ato de inauguração será realizado na Serra do Cachimbo, base área localizada no sul do Estado do Norte.

A rodovia, iniciada na década de 1970, está completamente asfaltada entre Sinop (478 km de Cuiabá) e Miritituba (PA).

A obra foi concluída pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e o Exército Brasileiro.

A BR-163 nasce no Rio Grande do Sul, atravessa todo o Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, indo até Santarém, no Pará.

sábado, fevereiro 08, 2020

O jornalismo da família Barbalho no leito de morte


Por Diógenes Brandão

Matérias jornalísticas que vieram à tona pelos veículos de comunicação da família Barbalho (TV RBA, jornal Diário do Pará, entre outros), revelaram apenas um lado de um processo que corre na justiça e na polícia, envolvendo o médico, professor e músico Alcyr Guimarães, que se encontra em estado terminal na UTI de um hospital de Belém.

A reação nas redes sociais foi imediata e desde ontem gera opiniões distintas sobre o caso.

Muita gente ficou estarrecida com o perfil traçado pelas palavras proferidas por apresentadores dos programas da RBA e pelas linhas escritas no Diário do Pará, que satanizaram a figura de Alcyr Guimarães, um dos artistas mais renomados da cultura popular paraense. 

De outro lado, outras pessoas alegam que já tinham conhecimento do assunto, mas não tinham tido a coragem de comentar, dando a entender que as investigações sobre o caso, por si só já comprovariam a culpa do acusado. 

Quantas pessoas já não foram condenadas, presas e até mortas por enganos e falsas acusações? 

É preciso que a imprensa tenha o cuidado, a responsabilidade e garanta o direito ao contraditório, toda vez que noticiar um fato, garantindo a versão de quem está sendo acusado de algo, sobretudo de crimes graves e de apelo popular, como o de assassinato por envenenamento, furto e apropriação indébita, como as acusações feitas ao músico Alcyr Guimarães.

Comentários como do professor Carlito Aragão, trazem a necessária crítica pela falta da consulta à família e advogados do acusado, já que ele próprio não pode se defender, mas que o bom jornalismo buscaria, se fosse praticado com isenção e responsabilidade.

Só depois de uma grande repercussão do caso - com o julgamento prévio e a deformação da opinião pública contra o músico e da reação dos advogados de Alcyr - a mídia da família Barbalho publicou o outro lado dos fatos.

Leia o que diz o historiador Carlito Aragão:

Quando li essa matéria sobre os motivos da morte da ex-esposa do cantor e compositor Alcyr Guimarães achei demais estranho porque o conheço há muitos anos e é um ser humano extraordinário.

Mais estranho ainda quando acusam o Alcyr de furto.

Além do mais, essa matéria foi escrita de forma parcial, sem que houvesse o contraditório na informação.

Outra estranheza é essa denúncia ser feita justamente agora que ele se encontra enfermo.

Ou seja, não foi uma matéria verdadeiramente de cunho jornalístico.

Mas, finalmente a família resolveu agir em defesa do cantor.

sexta-feira, fevereiro 07, 2020

Cooptado por Helder, Sidney Rosa despede-se do PSB

Saindo do PSB rumo ao MDB, o ex-deputado e ex-prefeito de Paragominas, hoje sem mandato, explica o motivo de abandonar o partido e aceitar a cooptação de Helder Barbalho. 

Boa noite amigos, venho por respeito e consideração levar essa mensagem a todos os companheiros e quem nos apoiou e convivemos juntos no PSB nos últimos 6 anos no PSB.

Estou em vias de ser candidato a prefeito de Paragominas, como sempre fiz política em grupo, depois de refletirmos muito com os companheiros de Paragominas, decidimos aceitar o convite do governador Hélder sob a visão de juntos implementarmos uma Agenda Estratégica em favor de Paragominas e região, assim quero agradecer a todos do PSB desde o amigo Cássio e a cada um pelo tempo que convivemos juntos, vou me filiar ao MDB, não poderia deixar de os comunicar hoje quando assim decidimos.

Que abençoe cada um de nós em missões que são muito semelhantes em nossos municípios, abraço a todos do Sidney Rosa.

quinta-feira, fevereiro 06, 2020

O estranho silêncio de Helder Barbalho e a insinuação de latrocínio

Aliados de Helder Barbalho, Nilse e Amintas não tiveram nenhuma mensagem do governador.

Por Diógenes Brandão

O blog recebeu mensagens de leitores que perguntam o motivo do silêncio do governador Helder Barbalho sobre o assassinato do empresário Amintas José Pinheiro, marido da deputada estadual Nilse Pinheiro, sua amiga e aliada política. 

Sempre presente nas redes sociais, Helder não emitiu nenhuma nota de pesar pelo ocorrido, muito menos de solidariedade à família e amigos do educador que fundou a primeira universidade de Ananindeua e sempre o ajudou em suas campanhas eleitorais.

Mais estranho ainda são os veículos de comunicação da família do governador terem dito pela manhã que o empresário tinha R$ 15 mil reais em seu poder. Agora a tarde o valor pulou para R$ 80 mil reais, sugerindo que o crime poderia ter sido movido por uma tentativa de assalto, seguido do assassinato.

Uma clara insinuação de que a motivação do crime teria sido um latrocínio. Tese que diverge dos fatos que se revelam mais voltados a uma execução, pois nada foi levado da vítima.




Para sustentar essa narrativa, o jornal do governador diz que a informação foi obtida por uma fonte da polícia civil, mas não há nenhuma informação oficial que comprove o fato narrado pela matéria.

quarta-feira, fevereiro 05, 2020

Outro mundo




Por Edyr Augusto Proença

Não a conheço. A moça. Talvez 25, 30 anos, classe média, certamente com Ensino Superior. Bonita. 

Passa ao lado um rapaz também bonito, músculos trabalhados. Ela pergunta animada se ele já comprou ingresso para assistir Wesley Safadão, ao que ele responde que sim, claro que sim. 

Me deixaram pensativo sobre um país que provavelmente acabou, apesar de tanto otimismo.

Afundamos.

Se o Brasil der certo economicamente, voltarem as indústrias a receber encomendas, não haverá mão de obra qualificada para trabalhar.

A crise da Educação e Cultura explodiu de vez. Muitos analfabetos funcionais.

Não há compreensão daquilo que é escrito, e talvez, apenas, do que é ouvido, nesse dialeto que as pessoas passaram a usar.

Não se trata do desenvolvimento da Língua, que é algo dinâmico e sim a inversão das regras, invenção de palavras, ignorando tudo.

Meu amiguinho, chegando à quarta ou quinta série, não sabe nada de nenhuma matéria. Vai passando. A professora me perguntou se era melhor reprová-lo e com isso, fazer com que ele nunca mais frequentasse escola.

Os do Ensino Médio estudam para passar. Há trabalhos, uma série de pacotes que visam melhorar a nota. E vão passando.

Ando pelas ruas. Me relaciono com pessoas. Ouço o que dizem. Às vezes pergunto sabendo a resposta. Estou vivendo em uma dimensão paralela.

Essas pessoas felizes, não gostam de ler, ouvem músicas tipo “atirei o pau no gato”, lotam cinemas para assistir filmes de super heróis que a minha geração assistia aos doze anos de idade. Nada para pensar, nada para analisar, nada para responder, nenhuma opinião. E estão felizes.

Envelheci. Trabalhei com música pop a vida inteira e agora não consigo ouvir nada. Ouço no carro o cd de Oleg Tumanov, com músicas cantadas por Joyce, Jane Duboc, Paulinho Moska e outros, arranjos e instrumental de primeira qualidade e concordo que é música do passado. Não se faz mais música assim. Procuro quem possa debater comigo o último livro de Leonardo Padura e só encontro meus amigos de sempre.

Ao Teatro comparecem as mesmas pessoas de sempre. Na Casa Cuíra, muitas vezes, dizem, encantados, que nunca haviam assistido a uma peça de teatro.

Assisti a um programa da Globo, de humor, satirizando os telejornais. Duvido que o grande público entenda 10% das ironias contidas no texto.

Entre em qualquer casa de Belém de menor poder aquisitivo e na televisão permanentemente ligada estará SBT ou Record. Uma questão de estética.

Concordo com o arquiteto Flávio Nassar, na entrevista a Tito Barata em “Papo no Tucupi”. “Belém não tem jeito”. Pensem bem. Não tem.

Nossa culpa. Nós, que apesar de gostar de ouvir boa música, assistir bons filmes, boas peças de teatro, não saímos de casa por pura preguiça.

Não vamos. Não enchemos as cadeiras. Eu gosto, mas dá uma preguiça...

As raras atrações de qualidade agora passam longe da cidade. E somos todos nós que votamos em políticos que até hoje provaram nosso grande poder de auto destruição.

Como é possível um Estado do tamanho do Pará, potencialmente o mais rico do Brasil, continuar pobre, tendo suas riquezas extraídas em grande velocidade, deixando para nós, que aqui moramos, nada. Nada, comparado ao que devíamos receber.

Passo ao largo de casas de shows para jovens e vejo carros importados, lindos, estacionados. Lá dentro, show de sertanejos.

Ligo no Serginho Groissman e lá está uma dupla de homens feios, barrigudos, com chapéus e botas ridículas, entoando uma choradeira devastadora, acompanhados pela plateia de jovens!

Onde está a estética dessas gerações?

Não, as letras bonitas não são essas. 

As melodias bonitas não são essas. 

Os filmes bons não são esses. 

De livros nem falo.

Perdemos umas três gerações que agora assumem postos de comando no país, carregando dentro de si a ignorância e a cretinice.

Onde foi parar o bom gosto?

O equilíbrio?

 O desafio, na direção do novo?

Você já parou para pensar em quem você é?

No que acredita?

Quais suas opiniões?

Tem algum pensamento na direção do coletivo da cidade?

Pretende contribuir com alguma coisa?

E pior do que tudo, há algum porvir para os jovens nesta cidade em escombros?

terça-feira, fevereiro 04, 2020

Prefeito tem mandato cassado por chamar vereadores de babacas

Filho Barreto foi cassado por ter chamado vereadores de babacas e seus secretários não responderem a ofícios de convocação da Câmara Municipal de Augusto Corrêa, no nordeste paraense.

Por Diógenes Brandão

Com 2/3 dos votos, a Câmara Municipal de Augusto Corrêa, cassou o Prefeito Filho Barreto (DEM), sob a alegação de que o mesmo teria, em programa de rádio, afirmado que estaria sendo perseguido por "meia dúzia de babacas" e não responder os ofícios que a Câmara encaminhou aos secretários, questionando assuntos da gestão municipal.

A decisão por esse motivo é inédita, por isso recheada de interferência das eleições 2020.

Com a cassação a vice-prefeita Suzana Lobão (PR), deve assumir o cargo e promete devassa na Prefeitura. 

A redação do blog apura a interferência externa, por conta da presença na vizinhança do grupo ligado ao vice-governador Lúcio Vale (PR).





Dr. Daniel dispara na corrida eleitoral em Ananindeua



Por Diógenes Brandão


O assunto mais comentado desde ontem na capital e demais municípios paraenses, sobretudo em Ananindeua foi o resultado da primeira pesquisa eleitoral registrada pelo instituto DOXA no TRE-PA, sobre a preferência do eleitor neste momento em que faltam apenas 05 meses para o início da campanha eleitoral.


Com 57% das intenções de voto, se as eleições fossem hoje, Dr. Daniel Santos venceria o pleito já no 1º turno. Isso na pesquisa estimulada. Quando se retira os votos flutuantes, os números  lhe favorecem ainda mais. 


Portanto, se desconsiderarmos os votos nulos, brancos e indecisos, considerando apenas os votos válidos, como a justiça eleitoral faz para anunciar o vencedor em todas as eleições, Dr. Daniel Santos vai para 74,3% e Miro Sanova (PDT) fica com 10,6%. 

Carlito Begot (PSD) e Newton Pereira (PT), ambos ficam com 4,3%. Capitão Marcony (PRTB) aparece com 3,6%. Beto Andrade (PSOL) fica com 2,1% e Allan Bitar (Cidadania), 0,9%.

Veja o gráfico dos votos válidos:




Os demais dados da primeira pesquisa eleitoral registrada pelo instituto DOXA no TRE-PA, sobre a preferência eleitoral em Ananindeua, você confere no portal Amazon Live

Clique aqui e leia. 

O JOGO SUJO DAS FAKE NEWS E AS MILÍCIAS DIGITAIS


Por Diógenes Brandão

Imagens como essa acima estão sendo distribuídas em grupos do Whatsapp. A ação tem características de serem produzidas por milícias digitais, que agem com assassinato de reputações. 

A legislação brasileira é clara em relação à criação e compartilhamento deste tipo de conteúdo que fere a honra dos cidadãos e gera danos à imagem e reputação das vítimas. 

Eduardo Cunha, citado como sendo procurado pela polícia por estupro de vulnerável, na verdade não tem ficha policial e nunca foi acusado de cometer nenhum crime. Além de advogado, edita o site Pará Web News, onde noticia assuntos sobre a política local e nacional, com fortes críticas ao governo e aliados de Helder Barbalho (MDB) e a parlamentares de esquerda, sobretudo contra o deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL).

Nada, absolutamente nada justifica esse jogo sujo que todo ano eleitoral surge com o financiamento de marginais que agem no mundo das mídias digitais, achando que podem se esconder nas sombras do anonimato virtual, mas estão enganados e podem acabar na prisão ou indenizando suas vítimas.

O Marco Civil da Internet, uma das leis brasileiras mais modernas do mundo, não deixa dúvidas sobre a punição dos responsáveis por esse crime. 

O blog AS FALAS DA PÓLIS se solidariza com o advogado, músico e ativista digital Eduardo Cunha e repudia a ação criminosa de quem o acusou levianamente de ser um estuprador.

Mensagem do governador Helder Barbalho à ALEPA: Bora trabalhar!



O governador Helder Barbalho faz seu primeiro discurso na Mensagem à ALEPA e recebeu elogios e críticas de deputados, como Marinor Brito (PSOL), que entre outras coisas, reclamou do "Pacote de Maldades" contra os servidores públicos e disse que o ex-governador Simão Jatene deveria estar preso.

Assista!


Reconstruída há um mês, imagem de São Benedito começa a desabar

Obra realizada pela SECULT começa a desabar depois de um mês da sua entrega. Parte dela aparenta ser feita de papelão.

Por Ronny Madison

Pouco mais de um mês após sua reinauguração, a imagem de São Benedito, do mirante na vila de Camutá, não resistiu ao tempo e já apresenta problemas. 

Há anos que o local foi abandonado pelo poder público municipal até que a imagem veio a desabar. O governo do Estado do Pará comprou a briga e construiu uma nova imagem, além de revitalizar o local.

Foram quase UM MILHÃO DE REAIS gastos, para deixar o local em boas condições de visitação, porém, nos últimos dias o que se vê é o dinheiro público indo novamente por água a baixo.

Pelas imagens parece até que foi usado papelão em uma parte da imagem.  Especulou-se até em uma possível nova inauguração por parte do prefeito de Bragança que não esteve presente quando o governador inaugurou a obra.  Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos dessa novela.