Pesquisar por palavra-chave

segunda-feira, dezembro 06, 2010

I Encontro de Blogueiros - Paulo Henrique Amorim

Rêtro - Zé Dirceu: Não dá para aceitar calado


"A desfaçatez com que nossa imprensa abre espaços para funcionários do Departamento de Estado Americano criticar o Brasil e sua política externa e nuclear, não tem limites e beira o servilismo colonial. Como podem os Estados Unidos, que tem a pena de morte instituída, falar em direitos humanos? Um país que financia ditaduras e onde um ex-vice-presidente da República admite publicamente que autorizou a tortura como meio de se obter informações de supostos terroristas, que manteve as prisões de Guantánamo e de Abu Ghraib, verdadeiros campos de concentração e tortura, falar sobre nossa política nuclear e nossas relações com o Irã?"

Zé Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, perseguido pela acusação de chefiar o "Mensalão" batendo de frente com os E.U.A. Pela audácia já percebe-se porque de tanto ódio das elites brasileiras e multinacionais e a vontade de afastá-lo do epicentro do poder no governo Lula.

Leia mais aqui

Rêtro - Zé Geraldo chama PMDB à razão


“Falo sobre o delicado momento político e econômico que o Estado do Pará vive em função de decisões equivocadas por parte da presidência do PMDB. Lamentavelmente a Alepa já deveria ter aprovado o empréstimo em 2009 e até hoje não o fez devido ao fato de que o PMDB, que é um partido que tem o poder de decisão, uma vez que ocupa a Presidência da Assembléia Legislativa e a Presidência da Comissão de Finanças, além de possuir uma bancada significativa de deputados no parlamento estadual, está agindo com um tipo de visão mais de disputa eleitoral do que com o compromisso com o desenvolvimento social, econômico e cidadão no Estado do Pará”

Deputado Federal Zé Geraldo, chamando o PMDB à razão por conta do empréstimo solicitado pela governadora ao BNDES e empacado por longos meses, vindo à ser contraído já no 2º semestre de 2010, inviabilizando os planos de reeleição da governadora Ana Júlia.

Rêtro - Deputado do PT-MA se nega apoiar Roseana Sarney


"Sei que tens que engolir sapo para poder governar. Compreendo que V. Exª, por dever de oficio, tem de manter relações e até amizades com os inimigos de ontem, os aproveitadores de hoje e adversários de amanhã, em prejuízo de seus companheiros de ontem, de hoje e de sempre."

Luizinho, em carta à Lula, mantendo-se na resistência. 


Leia toda a carta aqui.

Retrô - Terena: A força que o homem Branco não conhece

 
"Por isso, guerreiros e guerreiras, se queremos ter no proximo governo, seja o Serra, a Dilma ou a Marina, temos que aprender a continuar lutando por nossos direitos e acreditando nos rastros dos nossos antepassados, como alias vão fazer os Xavantes amanhã ao cantar logo no nascer do sol, seu canto espiritual e de guerra. Uma força que o homem branco tem medo e que nao conhece pois não se aprende em igrejas, mas na forca da mae terra e da natureza."
Marcos Terena, chamando a organização e resistência indígena, independente do branco que assumiria a presidência.
Leia mais aqui.

Retrô - Puty mete ficha no Flexa


"O que acontece em Marabá, no sudeste do Estado, onde o Governo Popular constroi um distrito industrial que consolidará o município como polo de desenvolvimento regional, explica o "chiliquito" do futuro ex-senador do PSDB, Flexa Ribeiro...."
 
Do Secretário da Casa Civil, Claúdio Puty em seu blog, cutucando depois de ver cutucado o governo do qual faz parte. Tá certíssimo!

Retrô - Pai Fabinho: O Oráculo da DS




"A carta expõe e enfraquece a deputada. As desculpas de praxe serão apresentadas, as imagens públicas serão feitas e o Incra será da DS."



Pai "Fabinho Castro",  um dos oráculos pós-graduados em comunicação e ciência política, prevendo que seu grupo no PT - a DS - venceria a quebra de braço imposta por Cláudio Puty ao PT Pra Valer, grupo da deputada Bernadete Ten Caten, que escreveu uma carta à Ana Júlia, ameaçando chutar os paus da barraca, caso insistissem em tirar-lhe o comando do INCRA em Marabá. 




Adivinhe no que deu !?

Leia mais aqui.

BB restringe créditos a produtores de soja na Amazônia


O Banco do Brasil vai deixar de oferecer crédito a produtores de soja que plantem em áreas desmatadas ilegalmente na Amazônia. A decisão foi tomada nesta semana como resultado da adesão do banco à Moratória da Soja, lançada em 2006, com o objetivo de não comercializar soja produzida em áreas desmatadas. O Banco do Brasil é o maior financiador rural do país.
O compromisso assinado pelo BB inclui o veto ao financiamento da produção de soja em áreas desmatadas a partir de julho de 2006 no bioma Amazônia, a exigência de regularização ambiental das propriedades para a concessão de financiamento e abertura de linhas de crédito para recuperação de reserva legal e áreas de preservação permanente (APPs).

A adesão do Banco do Brasil foi assinada pelo vice-presidente de Agronegócios, Luis Carlos Guedes Pinto, em reunião a últia quarta-feira (1º) com os coordenadores do Grupo de Trabalho da Soja, Paulo Adario, do Greenpeace, e Carlos Lovatelli, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

Junto com a pecuária, a soja ainda é um dos principais resposáveis pelo desmatamento na Amazônia. Nos últimos anos, medidas de restrição de crédito a proprietários com irregularidades ambientais têm contribuído para a redução da derrubada no bioma. A nova taxa anual de desmatamento da Amazônia Legal - de 6.451 quilômetros quadrados -, divulgada também nesta semana, é a menor dos últimos 22 anos.

El imperador!

 
  Jatene e seu parceiro Wladimir Costa (PMDB-PA) - aquele que iria fazer maior onda em Brasília - nas eleições em que Almir Gabriel perdeu pra Ana Júlia e acusou seu ex-secretário de Produção pela derrota e má gestão.

Você ao certo, por estar aqui, não esqueceu o nome do deputado estadual que elegeu no último dia 03 de outubro passado, não é?

Pois é bom que procure monitorar pelos meios que dispõe para saber se ele irá sucumbir à proposta indecente que o governador eleito do Pará anuncia nos porões da ALEPA.

Sem Serra na presidência, o governador eleito não sabe se comemora ou chora por ter sido eleito e conta com o apoio dos deputados federais e estaduais eleitos do PSDB e parte do PMDB para iniciar uma coalisão que tentará calar de forma  opressora a oposição ao seu governo e para isso aproveita a recém-vitória sobre Ana Júlia para deferir-lhe acusações de orçar mal os investimentos e despesas públicas em sua previsão para 2011.
 
Como se o povo fosse besta, os arautos tucanos do Pará mantém a trincheira e a artilharia apontada para o governo petista que termina e já conta com uma ofensiva rasteira afim de tirar o foco de sua inegibilidade que tramita na morosidade judicial e critica sem saber o que fazer com o governo que receberá em Janeiro de 2011.  

Antenado nos movimentos astutos dos novos ocupantes do Palácio do Governo, o presidente do PV no Pará, Zé Carlos, seu ex-chefe da casa civil, afirma que Jatene não sabe se cortará serviços públicos ou buscará novos investimentos.


Como ele mesmo diz, é gravíssimo!