Pesquisar por palavra-chave

domingo, janeiro 29, 2012

Senador tucano é denunciado por suposto desvio de verbas no PA



O senador Mário Couto (PSDB-PA) foi denunciado, em ação civil pública, sob acusação de envolvimento em um suposto esquema de desvio de recursos da Assembleia Legislativa do Pará entre 2003 e 2007, período em que foi presidente da Casa.

O Ministério Público do Pará, que ajuizou a ação nesta quinta-feira (26), pede o bloqueio dos bens do senador e que ele e outros 15 acusados devolvam R$ 2,3 milhões aos cofres públicos.

O suposto esquema consistia em fraude na folha de pagamento do Legislativo, com a contratação de servidores-fantasmas.

Além de Mário Couto, sua filha Cilene Couto também é denunciada na ação. Ela fazia parte do setor de controle interno da Assembleia durante a gestão do pai.

Como presidente da Casa, cabia a Couto nomear, contratar e demitir servidores, além de
fiscalizar a folha de pagamento.




Senador Mário Couto no plenário do Senado   

A ação cita o exemplo de onze funcionários-fantasmas que, em depoimentos, negaram que trabalhassem no órgão. O salário da maioria deles era superior a R$ 10 mil mensais. Os valores eram desviados.

A ação civil pública também acusa outros integrantes do setor de controle interno e servidores que, segundo a Promotoria, receberam os recursos desviados.

A Justiça do Pará ainda não decidiu se acolhe a ação.

O Ministério Público também investiga supostas fraudes em licitações de obras da Assembleia Legislativa, que envolve uso de empresas-fantasmas e até a contratação de uma fábrica de tapioca.

A assessoria do senador Mário Couto afirmou que ele ainda não tomou conhecimento do teor da ação.

De acordo com sua assessoria, Mário Couto diz que a ação é movida por uma desavença pessoal de um dos promotores contra ele.

Cilene Couto, que atualmente é deputada estadual pelo PSDB, não foi localizada para comentar o caso.

sábado, janeiro 21, 2012

Doe vida à Mestre Bento

 

O mestre foi internado hoje em Belém, no Hospital Barros Barreto, e precisa urgentemente de doadores de sangue, de qualquer tipo. Os doadores podem procurar qualquer unidade do HEMOPA e fazer sua doação em nome de BENTO DA TRINDADE ALVES.

Mestre Bento luta contra um câncer pulmonar que o impossibilita de fazer o que mais ama em sua vida: compor, cantar e tocar carimbó, essa música e dança que é patrimônio do povo paraense há dois séculos e se encontra em vias de ser reconhecida, finalmente, como parte fundamental do patrimônio imaterial do Brasil.

Esse processo de reconhecimento e valorização efetiva do carimbó e seus verdadeiros protagonistas, iniciado no Festival de Carimbó de Santarém Novo em 2005, deve muito ao trabalho silencioso e dedicado de Mestre Bento e outros mestres e mestras do carimbó de dezenas de comunidades carimbozeiras espalhadas ao longo de nosso litoral, entre elas a lendária Marapanim. Mestre Bento é entusiasta e grande animador da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro e sempre esteve à frente de seu grupo Raízes da Terra defendendo essa causa. 
 

Agradecemos a solidariedade de tod@s que puderem ajudar nosso querido Mestre Bento.

Contatos e informações sobre o estado de saúde do mestre podem ser disponibilizados através do telefone (91) 9918-9368 (Zuleide Alves)



http://campanhacarimbo.blogspot.com/2011/10/artistas-cantam-para-ajudar-mestre.html

quinta-feira, janeiro 19, 2012

Jatene nega, mas PM e Bombeiros estão em greve. E agora, quem irá nos proteger?

Já passava da meia-noite, quando o governo do Pará emitiu uma nota à imprensa dizendo que a greve da Polícia estava suspensa. 

Era mentira! 

A greve da PM, ao contrário do que foi dito oficialmente pelo governo Simão Jatene, através da Secretaria de inSegurança Pública, se estendeu aos Bombeiros e as fotos de Wagner Almeida, enviado do DOL (Diário On Line), nesta madrugada, para registrar os políciais grevistas, em diversos pontos de Belém. 

Conhecedores do desejo de manterem-se de braços cruzados até uma oferta condizente com a prestação dos servidores públicos, o governo estadual pediu ajuda da Força Nacional para patrulhamento da RMB e escondeu a informação até agora, com o claro intuito de manter a população e os néscios apenas com a sensação de insegurança que há muito tempo ronda os governos do PSDB no Pará.

A categoria quer 100% de reajuste no soldo para repor perdas de 65%, desde 1995 e Jatene só oferece 14,13% e olhe lá, apenas para os praças, sem incluir as demais patentes, o que para a categoria é um absurdo intolerável pois alegam que “a proposta tem que ser unificada de soldado a coronel" e por isso, a greve continua.

Leia a matéria e entenda a dinâmica do caos, instalado no Estado do Pará.


Mesmo com a decisão tomada em assembleia geral, realizada ontem à noite, de transferir para a manhã de hoje a deliberação sobre uma possível greve da categoria, policiais militares e bombeiros iniciaram por conta própria uma paralisação em diversos pontos da cidade.

O movimento começou logo depois da assembleia, realizada em frente à Associação dos Policiais Militares da Reserva (Aspomire), na avenida Pedro Miranda, na Pedreira, que reuniu centenas de policiais e bombeiros.


Na Base da Polícia Militar do Tucunduba, onde ficam localizadas os comandos da 24ª, 11ª e 4ª ZPols, pelo menos seis veículos de ronda interativa estavam parados. Segundo os policiais, só seriam atendidos os casos de extrema gravidade.



No Quartel do Comando de Operações Especiais, de onde saem os homens e veículos da tropa de choque, canil e cavalaria, na avenida Alcindo Cacela, na Cremação, nenhum veículo estava sendo liberado. Os policiais colocaram cavaletes fechando a entrada do quartel e cruzaram os braços. Segundo os policiais, equipes da Força Nacional de Segurança já estavam sendo acionadas, ontem à noite.



Na frente da Seccional de São Brás pelo menos oito viaturas da ronda interativa estavam paradas, mas os policiais se dispersaram rapidamente com a chegada da equipe do DIÁRIO.
Segundo informações dos policiais, também já estavam parados o 6º Batalhão de Ananindeua, a 25ª ZPol de Benevides e o 21º Batalhão de Marituba. A decisão sobre a greve só deveria ser tomada no final de uma nova rodada de negociações marcada pelo governo para as 9h de hoje, no Centro Integrado do Governo (CIG), na avenida Nazaré.
  

Em princípio, a categoria não aprova a proposta que o governo apresentou em reunião realizada, anteontem, de um aumento de 14,13% somente para os praças, deixando de fora os oficiais. Eles querem uma proposta só para todos. Segundo o supervisor técnico do Dieese-PA, Roberto Sena, que assessora a categoria, a proposta “tem que ser unificada de soldado a coronel. Politicamente não dá para pensar numa proposta que não abranja a todos”.

A categoria quer 100% de reajuste no soldo para repor perdas de 65%, desde 1995, segundo o Dieese. Outras reivindicações como o pagamento do adicional de interiorização, o aumento da gratificação de risco de vida de 50% para 100%, o aumento de 100% do auxílio moradia e creche e o fardamento no contracheque foram reivindicações que ficaram de ser analisadas depois de março. Os policiais também exigem coletes à prova de bala e melhorias nos alojamentos.

Campanha eleitoral extemporânea?


Ao chegar na tarde desta quarta-feira chuvosa, ao escritório de um amigo, para ajudar-lhe com dicas para melhor usar seu Facebook, eis que me deparo com o banner acima (clique para ampliar). 

De cara, o indaguei: Isso não é campanha eleitoral extemporânea?


Pedi então que meu amigo clicasse no perfil da pessoa que havia feito a postagem da foto e encontrei o nome do jovem aloprado: Pedro Ivo Castro, que segundo seu perfil no Facebook é professor do Grupo Educacional Ideal e lá mesmo se define: "Sou um estudante brasileiro, acredito no futuro da educação - historiador, militante socialista de 21 anos... Professor.”.

Como não estava ali para este propósito, fotografei a tela do computador do amigo, postei no meu twitter e continuei a ajuda em suas redes sociais. Já que meu twitter está integrado ao Facebook, tudo que posto no primeiro, vai direto pro segundo e alguns minutos depois, recebi uma mensagem da colega Enize Vidigal, que hoje responde pela Assessoria de Comunicação do Deputado Estadual Edmilson Rodrigues (PSOL-PA), quem o banner publicitário projeta como Perfeito de Belém, com o seguinte conteúdo:

"Diógenes Brandão, esse material não procede. não foi elaborado pela equipe do deputado Edmilson Rodrigues. Certamente, ele não tem conhecimento disso. Percebo que foi usada uma foto muito antiga, facilmente conseguida numa busca em site de pesquisa. Por favor, informe em qual link vc conseguiu essa imagem ou quem postou para que possamos apurar a origem disto e solicitar a retirada. Contamos com a sua contribuição. Atenciosamente, assessoria de imprensa do Dep. Edmilson Rodrigues.

Já em casa, fui responder a mensagem da Assessoria e buscar o que me foi pedido: o autor da postagem daquela propaganda, e percebi que a colega jornalista podia estar certa ao dizer que o jovem Pedro Ivo Castro não seja da equipe do deputado, mas seu perfil no twitter revela que é filiado ao PSOL e seus comentários postados logo em seguida, nos dão conta de que além de militante e pessoa instruida, sabia muito bem o que estava fazendo, já que encontrei em seu Facebook, outros indícios que o ligam muito ao perfil político-ideológico do deputado Edmilson Rodrigues, além do fato de que vários de seus amigos são dirigentes do PSOL, como por exemplo, o ex-deputado Babá (Hoje liderança do PSOL-RJ), Luiz Araújo (ex-secretário de Educação de Edmilson Rodrigues e que até outro dia, assessorava a ex-senadora Marinor Brito, em Brasília) e do próprio Edmilson Rodrigues.




Como justificativa do banner publicado em seu mural, Pedro Ivo Castro, declara:


Essa Imagem foi feita pelo povo!

E logo em seguida, marca vários amigo e sugere: Compartilhem a foto!!! vamos começar a campanha popular já!

Ao ver, um de seus amigos diz: Propaganda eleitoral antecipada é crime, parceiro.

E ele responde: Quem disse que é propaganda eleitoral??? ta vendo nome de partido ou número? é manifestação popular na rede, isso pode! kkkkkkk

Como provavelmente deve ter sido avisado, por volta da meia-noite, recebi duas mensagens pelo twitter do próprio Pedro Ivo Castro, onde novamente volta a justificar seu ato, dizendo:

Hoje pela tarde perguntou se uma foto que ele tirou de uma postagem da rede não era campanha de um candidato...


, acho que campanha exteporânea foi o que LULA fez pra Dilma, ou que Ana Júlia fez no Pará, isso é o que o PT ta fazendo agora.

Como não sou jurista e nem entendo patavinas de direito eleitoral, trago à ribalta da blogosfera e das redes sociais, a seguinte indagação: Isso não é ou não é crime eleitoral, enquadrado como campanha eleitoral extemporânea?

Siga-me no twitter e saiba tudo e mais um pouco, do que acontece na internet e na Pólis. >> @JimmyNight.

terça-feira, janeiro 17, 2012

A mídia que estupra




Quem não se lembra do filme The Accused (1988 – Jonathan Kaplan), protagonizado por Jodie Foster, que consagrou a atriz por uma interpretação notável? Filme aclamado pela crítica, impactante e polêmico em sua essência, narra a história de uma jovem, Sarah Tobias, que, após uma noite de diversão com as amigas, é estuprada por vários homens nos fundos de um bar. No desenrolar da trama, com o auxílio de uma advogada, Sarah, que no início é vista como “responsável” pela violência, consegue a condenação de seus agressores, reafirmando a tese de que, independente do flerte, da bebida, das roupas ou de qualquer outra coisa, estupro é sempre estupro. No enredo, vitoriosamente prevalece a máxima: sim significa sim e não significa não! Durante o julgamento, entretanto, outros agravantes foram mobilizados pela advogada para condenar também os cúmplices daquele terrível caso: o estupro de Sarah morbidamente contou com uma platéia entusiasmada que, aos gritos, incitava o ato de violência. A cada novo agressor, a platéia pedia “bis”.

Para quem esteve ligado nas redes sociais no último domingo (15/01/12), sabe que a lembrança do filme não é fortuita. Desde ontem, o assunto do suposto estupro sofrido por Monique em rede nacional no Big Brother Brasil não sai de nossas cabeças e nem de nossas timelines. A cena, para quem viu no pay-per-view, enoja, deprime e indigna. Uma mulher, desacordada e vulnerável, tem o seu corpo violado e invadido por alguém que, ao que tudo indica, não foi convidado. Aparentemente sem consciência e sem meios de reagir, a vítima estava entregue ao seu agressor, Daniel, em frente às câmeras, à equipe técnica e à enorme platéia do outro lado da televisão e do computador.  Aquilo que era feito nos fundos de um bar perde os seus “pudores” e se torna diversão pública e explícita na TV.

Muitas questões têm surgido desde que a cena virou polêmica nacional: Monique sabia o que estava acontecendo? Ela compartilhou as carícias de Daniel? Houve sexo? Ela se lembra do que ocorreu? A despeito dos comentários moralistas, machistas e misóginos – que me recuso a discutir, pois já estou farta de tentar argumentar com quem insiste na imbecilidade – outro fato me chamou a atenção: o papel da platéia nesse “show de horrores”. Quem estava presenciando a tudo e nada fez? A responsabilidade do ato, além de Daniel, se ficar comprovado o estupro, deve ser estendida a quem mais? Assim como os espectadores do estupro no filme The accused, qual o papel da maior emissora de TV do país no caso?

domingo, janeiro 08, 2012

Ana Júlia desafia Jatene à provar irregularidades


A saúde, Educação e Segurança Pública são alguns dos serviços públicos do Pará que estão ameaçados de serem privatizados pelo governador Simão Jatene, que à peso de ouro, investe na insistência de uma mentira, com o claro interesse de manipular a opinião pública como faz com sua trupe, encabeçada pela dupla de senadores Mário Couto e Flexa Ribeiro, ambos do PSDB e juntos tentam desviar a atenção da sociedade, sobre os pífios resultados do 13º ano de governo tucano no Pará.

Um dos mais emblemáticos foi o factóide do empréstimo 366 que foi hiper-valorizado pela imprensa local e nacional e agora retorna com uma matéria de um jornalismo imoral,  que quer passar-se com um "novo escândalo".


Na época, o Deputado Carlos Bordalo (PT-PA) chegou à desafiar o governador Simão Jatene (PSDB) à provar que houve pagamento duplicado de obras e serviços, oriundos do empréstimo contraído junto ao BNDES e do Banco do Brasil e até hoje, passados 06 meses, nada consta de oficial, que prove as acusações plantadas de forma rasteira e irresponsável nos veículos de comunicação, que por esse tipo de prática, ganharam o nome de PIG (Partido da Imprensa Golpista).

A marmota novamente divulgada, agora pela  revista Época, dispara o gatilho de um plano nefasto que visa forçar queimar a figura da ex-governadora Ana Júlia e o PT por tabela , além de sinalizar que as pesquisas encomendadas pelo tucanato paraense dão conta de que a estrela petista está viva e incomoandando demais.


Com o lançamento de uma continuação do Livro "Privataria Tucana", não se sabe se Jatene escapará da onda de revelações, de como o PSDB consegue recursos para suas campanhas nacionais, desde a época de FHC, quando Almir era governador e Jatene era um dos principais secretários de Estado. A impressão que fica é que manter o nome de Ana Júlia sob forte ataque, visa entre outras coisas, inviabilizá-la eleitoralmente, coisa que lembra o dito popular que diz que "não se bate em cachorro morto".

Na caixinha de comentários do blog da ex-governadora, ela dispara contra uma insinuação sobre a repercursão da "denúncia": Caro Anônimo do dia 08.01.2012 às 21:21h. Sempre os anônimos... Percebe-se que o ou a Sr(a) não conhece como se faz pagamento em administração pública! Cada pagamento gera uma Ordem bancária Numerada. E vinculada a ! Nota Fiscal Numerada. Estamos há 6 meses aguardando a AGE comprovar e mostrar a Ordem Bancária que demonstra o pagamento em duplicidade! E ficaremos aguardando 6 séculos. E não virá por que não existe! A página do Relatório da AGE do Gov. Estadual, mostra os valores que foram pagos com o financiamento BNDES. Mais até do que os 275 milhões do BNDES. Essa diferença é a maior!!! e não recurso faltando!! E em nenhum momento o relatório diz que ali teve pagamento em duplicidade.

As Notas foram anexadas a uma Prestação de Contas PARCIAL, enviada ao BNDES, e foi uma falha. reconhecida, mas que não significa pagamento. Como é prestação de contas parcial, até porque o governo ainda tem 91 milhões para usar no BNDES, é só enviar as Notas corretas. SIMPLES ASSIM!!! 


O que comprova pagamento no poder público é Ordem Bancária!


Aprende tá anônimo das 21:21h !!


Leia o direito de resposta que foi negado pela revista Época mas foi publicado no blog da Ana Júlia e tire suas conclusões.

segunda-feira, janeiro 02, 2012

Puro terror [Notícia comentada]

No Arbítrio do Yúdice
 
Do Diário do Pará (hoje), que anda superchameguento com o governo do Estado:

Sabe-se agora que a reação furiosa do Pará (ai, que meda!) à compra de caminhões em São Paulo, pelo Consórcio Belo Monte, causou em Brasília um enorme rebuliço (houve pânico, pranto e ranger de dentes, decretação de estado de emergência e as Forças Armadas foram chamadas para conter a população). Isso foi na quinta-feira, quando começaram a chegar lá os primeiros rumores da contra-ofensiva paraense (as águas do mar recuaram drástica e subitamente). Diz-se (em paraensês, "diz que", indicativo de potoca) até que dirigentes da Mercedes Benz no Brasil e executivos da empresa Norte Energia buscaram (em confortáveis restaurantes) interlocutores (gente que recebe afagos para convencer outros a serem afagados também; é o que mais tem em Brasília) para tentar apagar o incêndio (o horror! o horror!) e acenaram com mecanismos de compensação financeira ao Estado (acenaram, ou seja, falaram nisso, mas não há nenhuma intenção de concretizar). A tentativa fracassou (como se alguém estivesse mesmo empenhado) e o fato é que o Consórcio terminou a semana ainda mais isolado e mal visto no Pará (ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah!!!!!!!!!!!!!! Os executivos estão apavorados com isso! Aterrorizados! Deve ser por isso que não param de beber uísque!)

Mas o fato, mesmo, é que a semana terminou e não há o menor indicativo de que o Pará receberá algum centavo em relação a esta compra ou a qualquer outra que ainda venha a ser feita. Governo e grande imprensa: sempre unidos na arte da enganação.

Antecedente: postagem "Macho"
 

domingo, janeiro 01, 2012

Balanços que não explicam nada

Por Emir Sader na Carta Capital

 

Os balanços de 2011 da velha mídia retratam fielmente sua incapacidade para dar conta dos fenômenos fundamentais do mundo contemporâneo – incluindo o Brasil e a América Latina.

Senão, vejamos:

O fenômeno mais importante e abrangente de 2011: o novo ciclo da crise capitalista, agora afetando diretamente a governos, que não poupa a nenhum governo do centro do capitalismo. Como se poderia explicar, sem uma visão crítica do capitalismo e dos seus mecanismos de crise cíclica? Como explicar se as sociedades norteamericanas e europeias seriam os modelos que deveríamos seguir? Como explicar se no centro da crise estão os sistemas bancários, o FMI, o Banco Central Europeu e o modelo neoliberal?

Como explicar que um governo que, tudo o que fez em 2011 foi correr atrás de ministros corruptos, herdados do governo Lula, tenha a mais alta popularidade de um governo no seu primeiro ano? Como explicar, se as políticas econômicas e sociais nao forma incluídas entre as pautas essenciais desse governo?

Como explicar que seu ídolo francês, Strauss-Kahn, praticamente escolhido pela velha mídia para dirigir a França, caia em desgraca em um episódio de alguns minutos apenas? Sabia-se desse aspecto da sua vida, mas como era o dirigente máximo do FMI e iria capitalizar o descontentamento com Sarkozy para fazer um governo super moderado, era melhor nao dar destaque, até que nao deu mais para segurar e terminou a carreira do seu ídolo.

No Oriente Médio finalmente surgiria a democracia, descoberta por jovens mobilizados pela internet. Os velhos ditadores – todos elogiados ate ali por essa mesma mídia - cairam e forma substituídos por democracias liberais. Nada disso acontece e forças muçulmanas ganham as eleições ou ocupam os novos governos provisórios desses países, demonstrando a distancia entre a realidade dessas sociedades e as ilusões dos liberais.

Toda a imoralidade do pais estava concentrada no PT, no governo Lula e nos seus aliados. De repente aparece um livro que revela as maiores negociatas da história do país, por meio da privataria tucana e a velha mídia nao tem o que dizer.

Convocados por todos os meios que dispunham, manifestações fajutas cantadas em prosa e verso como a versão cabocla dos “indignados”, tiveram vida curta e publico pequeno. Os brasileiros são corruptos? Se deixam comprar por alguns trocados do Bolsa Família? Dificil explicar.

A Argentina, governada por dirigentes tresloucados e corruptos, reelege sua presidente no primeiro turno, com três vezes mais votos do que o segundo colocado. Como explicar isso aos leitores?

O jovem, dinâmico e flamante dirigente da oposição, Aécio Neves, foi para os jornais não por seus vibrantes pronunciamentos com propostas para o país, mas pelo bafômetro, pela queda do cavalo e outras farras privadas.

FHC foi comemorado nos seus 80 anos, mas deu pra se pronunciar pelo abandono das camadas populares definitivamente pelos tucanos, pelo sugestivo lema I care e outras bobagens do ramo, mesmo se saudado como a mente mais lúcida da oposição.

O contingente cada vez menos de leitores dessa mídia ficou sem entender o mundo, mesmo se tivesse paciência de ler os balanços do fim de ano. Ficam esperando que o modelo econômico brasileiro imploda, que a inflação dispare, que o desemprego aumente, que o DEM não desapareça definitivamente, que o Serra e o Aécio nao troquem tabefes – pelo menos em publico – e que nao saia a CPI da Privataria.